quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Fim...Termina o 2008...


Termina o 2008...está mesmo à porta o 2009.
É tradição o desejar de um Bom Ano a todos os amigos e familiares...vou estender esses votos a todos aqueles e aquelas que lêem regularmente o meu blog...são amigos que não conheço!

A cada ano que termina é tempo de balanço...o que correu bem em 2008...o que correu menos bem... o que correu mal!

Este post será um post...e este sim...simples e da minha exclusiva autoria (não há fantasias...é o que realmente está cá dentro).

Neste ano de 2008 muitas coisas más se passaram...ficarão para sempre neste ano...e ficarão na parte do passado!

Mas coisas más acontecem sempre...as boas é que são raras...e neste ano de 2008 muitas coisas boas se passaram...conheci pessoas fantásticas...partilhei momentos muito bons...a essas pessoas agradeço...pelas conversas...pelas palavras amigas...pelos momentos mais íntimos...enfim ...obrigado por tudo e pelo valor que cada gesto teve!

Para 2009, é simples...desejo poder contar com todos os amigos...com todas as pessoas que entraram na minha vida em 2008...espero que continuem em 2009...e nos anos que se seguirão!

Com 2008 encerrei um capítulo grande da minha vida...e abre-se a porta para um novo em 2009...

Feliz 2009 para todos! Que aquilo que desejam aos vossos amigos seja-vos retribuído em muito maior escala!

O escritor/poeta... ou o simples caroteno volta em 2009...novamente a escrever dia sim...dia não! Espero contar convosco no novo ano! estão prometidas surpresas...

Agora é tempo de aproveitar e façam de cada dia um dia MEMORÁVEL!

FELIZ 2009 PARA TODOS!

Fim...Termina o 2008...


Termina o 2008...está mesmo à porta o 2009.
É tradição o desejar de um Bom Ano a todos os amigos e familiares...vou estender esses votos a todos aqueles e aquelas que lêem regularmente o meu blog...são amigos que não conheço!

A cada ano que termina é tempo de balanço...o que correu bem em 2008...o que correu menos bem... o que correu mal!

Este post será um post...e este sim...simples e da minha exclusiva autoria (não há fantasias...é o que realmente está cá dentro).

Neste ano de 2008 muitas coisas más se passaram...ficarão para sempre neste ano...e ficarão na parte do passado!

Mas coisas más acontecem sempre...as boas é que são raras...e neste ano de 2008 muitas coisas boas se passaram...conheci pessoas fantásticas...partilhei momentos muito bons...a essas pessoas agradeço...pelas conversas...pelas palavras amigas...pelos momentos mais íntimos...enfim ...obrigado por tudo e pelo valor que cada gesto teve!

Para 2009, é simples...desejo poder contar com todos os amigos...com todas as pessoas que entraram na minha vida em 2008...espero que continuem em 2009...e nos anos que se seguirão!

Com 2008 encerrei um capítulo grande da minha vida...e abre-se a porta para um novo em 2009...

Feliz 2009 para todos! Que aquilo que desejam aos vossos amigos seja-vos retribuído em muito maior escala!

O escritor/poeta... ou o simples caroteno volta em 2009...novamente a escrever dia sim...dia não! Espero contar convosco no novo ano! estão prometidas surpresas...

Agora é tempo de aproveitar e façam de cada dia um dia MEMORÁVEL!

FELIZ 2009 PARA TODOS!

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Impossível e Infinito...


Anonimamente surgiu um click...
Marcado pelo passado, ergueu as suas defesas...
Amargurado... sofredor... sonhador...
Renunciou o que parecia despontar...

Omitindo o que sentia, tentou ignorar o que nascia!...

Inevitavelmente voltaram a cruzar-se...
Muitos olhares foram trocados...
Posta a descoberto muita curiosidade...
Omitiram um ao outro o que se passava...
Semente virou pequena planta...
Simples curiosidade virou interesse profundo...
Interesse cresceu...
Verdades tiveram que ser assumidas...
Encontros vividos... momentos saboreados...
Limites foram pisados enquanto sentimentos cresciam!...

É impossível! gritaste tu bem alto...

Renunciar aos sentimentos que vivia...
Um passo que nunca queria dar...
Mesmo assim estava decidido...
Afastar-me-ia pelo teu bem e pela tua felicidade...
Renunciaste e não me deixaste concretizar as minhas intenções...

Alegria percorreu-me o corpo, estaria a felicidade ali tão perto?...
Ofuscado por essa essência de felicidade...fiquei cego!

Inevitavelmente ou não... foste tu a afastar-te...
Não percebi porquê... depois de tudo o que foi dito...
Ferido no orgulho e na felicidade...
Imergi... abaixo da limiar do dia-a-dia...
Nuvens de solidão envolveram-me...
Inexplicavelmente ganhei novo alento...
Tudo contra mim... contra nós!
O máximo que alguma vez poderia desejar!...

Impossível e Infinito...


Anonimamente surgiu um click...
Marcado pelo passado, ergueu as suas defesas...
Amargurado... sofredor... sonhador...
Renunciou o que parecia despontar...

Omitindo o que sentia, tentou ignorar o que nascia!...

Inevitavelmente voltaram a cruzar-se...
Muitos olhares foram trocados...
Posta a descoberto muita curiosidade...
Omitiram um ao outro o que se passava...
Semente virou pequena planta...
Simples curiosidade virou interesse profundo...
Interesse cresceu...
Verdades tiveram que ser assumidas...
Encontros vividos... momentos saboreados...
Limites foram pisados enquanto sentimentos cresciam!...

É impossível! gritaste tu bem alto...

Renunciar aos sentimentos que vivia...
Um passo que nunca queria dar...
Mesmo assim estava decidido...
Afastar-me-ia pelo teu bem e pela tua felicidade...
Renunciaste e não me deixaste concretizar as minhas intenções...

Alegria percorreu-me o corpo, estaria a felicidade ali tão perto?...
Ofuscado por essa essência de felicidade...fiquei cego!

Inevitavelmente ou não... foste tu a afastar-te...
Não percebi porquê... depois de tudo o que foi dito...
Ferido no orgulho e na felicidade...
Imergi... abaixo da limiar do dia-a-dia...
Nuvens de solidão envolveram-me...
Inexplicavelmente ganhei novo alento...
Tudo contra mim... contra nós!
O máximo que alguma vez poderia desejar!...

sábado, 27 de dezembro de 2008

Às vezes é preciso...




Às vezes é preciso...

...sofrer... deixar que o talhante nos desmanche nas nossas mais pequenas partes, para no fim disso percebermos a importância que todas têm e o quanto errados estávamos ao ignorarmos algumas delas...

Às vezes é preciso...

...chorar... limpar toda a mágoa e sofrimento que existe dentro de nós, deixando que escorram por entre as pequenas gotículas de água...

Às vezes é preciso...

...sorrir... mostrar o lado bom da vida, mesmo quando a vida teima em não nos sorrir... mostrar aos outros a alegria que vai em nós por termos sido capazes de sofrer e de chorar!...

Às vezes é preciso...

... lutar... ultrapassar todas as barreiras que se erguem à nossa frente e deixar fluir o que de mais puro e incontrolado existe...

Às vezes é preciso...

...vencer... o medo dos tabus, o receio do fracasso... vencer a nossa maneira de ser...derrota-la e conseguir dessa forma passar-lhe à frente e sair para cada batalha e combate com ânimo redobrado!...

Às vezes é preciso...

...olhar... um sinal, um gesto, uma silenciosa palavra que nos dê o toque... o impulso... que nos dê a motivação e a força para continuar a lutar e procurar vencer hoje e sempre!...

Às vezes é preciso...

...tão pouco para sermos felizes... mas teimamos em nos afastar dessa felicidade... agarrados ao que temos... com medo do que possa vir... assustados por ter que recomeçar de novo...

Às vezes é preciso...

...morrer... interiormente para que se possa renascer com novo fôlego... é preciso morrer para que alguém ou nós próprios tenhamos o real valor que nunca nos deram ou disseram....

Às vezes é preciso...




Às vezes é preciso...

...sofrer... deixar que o talhante nos desmanche nas nossas mais pequenas partes, para no fim disso percebermos a importância que todas têm e o quanto errados estávamos ao ignorarmos algumas delas...

Às vezes é preciso...

...chorar... limpar toda a mágoa e sofrimento que existe dentro de nós, deixando que escorram por entre as pequenas gotículas de água...

Às vezes é preciso...

...sorrir... mostrar o lado bom da vida, mesmo quando a vida teima em não nos sorrir... mostrar aos outros a alegria que vai em nós por termos sido capazes de sofrer e de chorar!...

Às vezes é preciso...

... lutar... ultrapassar todas as barreiras que se erguem à nossa frente e deixar fluir o que de mais puro e incontrolado existe...

Às vezes é preciso...

...vencer... o medo dos tabus, o receio do fracasso... vencer a nossa maneira de ser...derrota-la e conseguir dessa forma passar-lhe à frente e sair para cada batalha e combate com ânimo redobrado!...

Às vezes é preciso...

...olhar... um sinal, um gesto, uma silenciosa palavra que nos dê o toque... o impulso... que nos dê a motivação e a força para continuar a lutar e procurar vencer hoje e sempre!...

Às vezes é preciso...

...tão pouco para sermos felizes... mas teimamos em nos afastar dessa felicidade... agarrados ao que temos... com medo do que possa vir... assustados por ter que recomeçar de novo...

Às vezes é preciso...

...morrer... interiormente para que se possa renascer com novo fôlego... é preciso morrer para que alguém ou nós próprios tenhamos o real valor que nunca nos deram ou disseram....

quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

Feliz Natal...



Apenas para vos desejar um Santo e Feliz Natal junto de todos os que mais Amam!

Feliz Natal...



Apenas para vos desejar um Santo e Feliz Natal junto de todos os que mais Amam!

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Mais um Natal a chegar...


Pois é amigos mais um Natal a chegar!
Com ele vem as filhoses... as rabanadas... os sonhos... os presentes... vem a alegria das crianças... vem o Pai Natal (pelos menos para quem acreditar nele)...
Será que o Natal é apenas isso... cabe a cada um decidir isso mesmo...
Natal começa por significar natividade... nascimento... nascimento de quem? Para os Cristãos, será o nascimento de Cristo... para todos os outros comuns mortais pode significar o nascimento de nós próprios... o nosso renascimento interior!
Natal será também um sinónimo muito próximo de Família... de união... de amizade... de amor!
Natal é algo muito mais do que uma época do ano em que todos procuram estar em paz e harmonia... esquecendo o muito do que se passa ao longo do ano...
Natal, pode trazer também à lembrança, a neve, o frio... O Natal trás muito e o muito é difícil de explicar... Natal... palavra muito repetida nos últimos dias e que anda na boca de todo o mundo...
Estamos com o Natal à porta... preparemos a sua chegada da melhor forma... aproveitemos o nosso renascimento interior e vivamos na paz e na harmonia com os que nos são mais queridos!

Mais um Natal a chegar...


Pois é amigos mais um Natal a chegar!
Com ele vem as filhoses... as rabanadas... os sonhos... os presentes... vem a alegria das crianças... vem o Pai Natal (pelos menos para quem acreditar nele)...
Será que o Natal é apenas isso... cabe a cada um decidir isso mesmo...
Natal começa por significar natividade... nascimento... nascimento de quem? Para os Cristãos, será o nascimento de Cristo... para todos os outros comuns mortais pode significar o nascimento de nós próprios... o nosso renascimento interior!
Natal será também um sinónimo muito próximo de Família... de união... de amizade... de amor!
Natal é algo muito mais do que uma época do ano em que todos procuram estar em paz e harmonia... esquecendo o muito do que se passa ao longo do ano...
Natal, pode trazer também à lembrança, a neve, o frio... O Natal trás muito e o muito é difícil de explicar... Natal... palavra muito repetida nos últimos dias e que anda na boca de todo o mundo...
Estamos com o Natal à porta... preparemos a sua chegada da melhor forma... aproveitemos o nosso renascimento interior e vivamos na paz e na harmonia com os que nos são mais queridos!

domingo, 21 de dezembro de 2008

A voz do Momento...



Finalmente, o maravilhoso dia tinha chegado...
Enroscados no conforto do sofá...
Lenha a estalar na lareira...a temperatura a subir...
Inevitavelmente nossos lábios tocaram-se...
Como o clímax do espectáculo pirotécnico...
Incendiou-se o momento, todo o controlo e tensão...
Desapareceram, o beijo reinou... e o coração acelerou...
As nossas mãos percorreram o corpo do outro
Desvendando todos os seus mistérios
Encontrando todos os segredos...tocando toda a sensibilidade!...

Sugaste a minha essência... substituíste-a por uma nova...
Um novo alento... um desejo crescente... uma nova chama
Por instantes os nossos corpos uniram-se
Refundiram-se num só... elevaram-se...
Electrizante momento... indescritível nas palavras...
Marcante desde o toque dos nossos lábios...
Até à suprema união dos nossos corpos!...

A voz do Momento...



Finalmente, o maravilhoso dia tinha chegado...
Enroscados no conforto do sofá...
Lenha a estalar na lareira...a temperatura a subir...
Inevitavelmente nossos lábios tocaram-se...
Como o clímax do espectáculo pirotécnico...
Incendiou-se o momento, todo o controlo e tensão...
Desapareceram, o beijo reinou... e o coração acelerou...
As nossas mãos percorreram o corpo do outro
Desvendando todos os seus mistérios
Encontrando todos os segredos...tocando toda a sensibilidade!...

Sugaste a minha essência... substituíste-a por uma nova...
Um novo alento... um desejo crescente... uma nova chama
Por instantes os nossos corpos uniram-se
Refundiram-se num só... elevaram-se...
Electrizante momento... indescritível nas palavras...
Marcante desde o toque dos nossos lábios...
Até à suprema união dos nossos corpos!...

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Sensual...puramente...inocente...




Subtilmente senti a tua presença...
Envolvido nos teus braços deixei-me abraçar...
Num passo rápido e preciso, virei-me para ti...
Senti então o bater do teu coração acelerar...
Uma batida após batida...cada vez mais rápidas...
Aceleradas...descontroladas...desatinadas...
Levianamente notei...não era apenas o teu coração!...

Posicionados frente a frente os nossos olhos colaram-se...
Unidos num só sentido...virados para apenas um local...
Rodeados por nada...únicos no vazio que nos rodeava...
Abracei-te!...usando as minhas mãos acariciei o teu rosto
Medrosamente mantive a minha mão colada à tua pele...
Enredado pelo momento, deixei envolver a minha mão pela tua!...
Num gesto sincronizado, elas desceram, nunca deixando a tua pele...
Travaram...não sei se a tua mão...se a minha...
Estáticas...nossos olhos cúmplices piscaram descontroladamente!...

Incontrolado...saboreei cada milímetro da tua pele...
Nervoso...tacteei cada curva do teu corpo...
Observei a tua reacção...gostaste...estavas a sorrir!...
Com a confiança reforçada...o atrevimento apoderou-se de mim...
Enrijeci os movimentos...suavizei o toque...aproximei o rosto...
Num doce avanço saboreei a tua pele...
Timidamente procurei novamente o teu olhar...
Eloquentemente mandou-me avançar!...

Sensual...puramente...inocente...




Subtilmente senti a tua presença...
Envolvido nos teus braços deixei-me abraçar...
Num passo rápido e preciso, virei-me para ti...
Senti então o bater do teu coração acelerar...
Uma batida após batida...cada vez mais rápidas...
Aceleradas...descontroladas...desatinadas...
Levianamente notei...não era apenas o teu coração!...

Posicionados frente a frente os nossos olhos colaram-se...
Unidos num só sentido...virados para apenas um local...
Rodeados por nada...únicos no vazio que nos rodeava...
Abracei-te!...usando as minhas mãos acariciei o teu rosto
Medrosamente mantive a minha mão colada à tua pele...
Enredado pelo momento, deixei envolver a minha mão pela tua!...
Num gesto sincronizado, elas desceram, nunca deixando a tua pele...
Travaram...não sei se a tua mão...se a minha...
Estáticas...nossos olhos cúmplices piscaram descontroladamente!...

Incontrolado...saboreei cada milímetro da tua pele...
Nervoso...tacteei cada curva do teu corpo...
Observei a tua reacção...gostaste...estavas a sorrir!...
Com a confiança reforçada...o atrevimento apoderou-se de mim...
Enrijeci os movimentos...suavizei o toque...aproximei o rosto...
Num doce avanço saboreei a tua pele...
Timidamente procurei novamente o teu olhar...
Eloquentemente mandou-me avançar!...

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Pensamentos...Memórias



Pequenas imagens...grandes momentos...
Evidentemente todos os dias temos recordações a manter...
Ninguém poderá dizer que não pensa...que não recorda...
Somos caixas de memórias e recordações...
Abertos à entrada de novos momentos...
Mantemos a abertura na esperança...
Esperança de termos cada vez mais bons pensamentos!
Nunca nos sentimos cheios...
Temos sempre espaço para novas lembranças.
Obrigatoriamente tantas imagens e momentos,
Sublinham e vincam a nossa vida!

Envoltos em memórias...revitalizados nas lembranças!

Marcados pela vida...
Elevados pela vida...
Mortos pela vida...
Originalmente ou não somos frutos da vida!...
Revivemos o que mais gostamos nela...
Inevitavelmente procuramos apagar o resto...
Assim como as ondas nos trazem o melhor...
Subtilmente também nos afastam o pior!

Frenesim e correria...
Amigos inseparáveis...
Zelam pela nossa agitação...
Exigem que deixemos de lado...
Momentos e imagens a serem recordadas!

Obstinados pelas exigências da vida quotidiana...
Sonhamos cada vez menos...

Sonhamos e não recordamos!
Ocupamos o pensamento com o que não interessa!
Noite após noite dormimos mal!
Hum!porque será?
Ocupamos o pensamento... procuramos calar...
Sonhos!...que nunca podem ser calados!...

Pensamentos...Memórias



Pequenas imagens...grandes momentos...
Evidentemente todos os dias temos recordações a manter...
Ninguém poderá dizer que não pensa...que não recorda...
Somos caixas de memórias e recordações...
Abertos à entrada de novos momentos...
Mantemos a abertura na esperança...
Esperança de termos cada vez mais bons pensamentos!
Nunca nos sentimos cheios...
Temos sempre espaço para novas lembranças.
Obrigatoriamente tantas imagens e momentos,
Sublinham e vincam a nossa vida!

Envoltos em memórias...revitalizados nas lembranças!

Marcados pela vida...
Elevados pela vida...
Mortos pela vida...
Originalmente ou não somos frutos da vida!...
Revivemos o que mais gostamos nela...
Inevitavelmente procuramos apagar o resto...
Assim como as ondas nos trazem o melhor...
Subtilmente também nos afastam o pior!

Frenesim e correria...
Amigos inseparáveis...
Zelam pela nossa agitação...
Exigem que deixemos de lado...
Momentos e imagens a serem recordadas!

Obstinados pelas exigências da vida quotidiana...
Sonhamos cada vez menos...

Sonhamos e não recordamos!
Ocupamos o pensamento com o que não interessa!
Noite após noite dormimos mal!
Hum!porque será?
Ocupamos o pensamento... procuramos calar...
Sonhos!...que nunca podem ser calados!...

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Poeta... Escritor... Homem...



Poeta, esse ser indescritível...
Oráculo do que não pode ser pronunciado!
Escreve, descreve os sentimentos...
Transpira sentimentalidade,
Alimenta os corações mais abatidos!...

Escritor, ser que cria mundos e personagens...
Segura a sua caneta com firmeza
Cativa o leitor pela beleza da sua escrita...
Recria histórias! Reinventa vidas...
Imagina...e vive as histórias por si criadas
Tudo nele é possível! Tudo para ele é possível...
Ostenta o poder da escrita...a escrita universal!
Regido pela imaginação e não tanto pelos sentimentos!

Homem, está acima do poeta ou do escritor...
Ocupa o centro de toda a escrita...
Marcado pela vida...pelo bom e pelo mau!...
Envolto em mistério...envolto em paixão...
Marcado pelos sentimentos que lhe tiram a razão!...

Poeta... Escritor... Homem...



Poeta, esse ser indescritível...
Oráculo do que não pode ser pronunciado!
Escreve, descreve os sentimentos...
Transpira sentimentalidade,
Alimenta os corações mais abatidos!...

Escritor, ser que cria mundos e personagens...
Segura a sua caneta com firmeza
Cativa o leitor pela beleza da sua escrita...
Recria histórias! Reinventa vidas...
Imagina...e vive as histórias por si criadas
Tudo nele é possível! Tudo para ele é possível...
Ostenta o poder da escrita...a escrita universal!
Regido pela imaginação e não tanto pelos sentimentos!

Homem, está acima do poeta ou do escritor...
Ocupa o centro de toda a escrita...
Marcado pela vida...pelo bom e pelo mau!...
Envolto em mistério...envolto em paixão...
Marcado pelos sentimentos que lhe tiram a razão!...

sábado, 13 de dezembro de 2008

Eu Sou...



Eu sou...
... aquele poema inacabado...que nunca ninguém leu!

Eu sou...
... aquele sonho maravilhoso... que nunca ninguém realizou!

Eu sou...
... aquela paixão gostosa... que por medo, alguém um dia sufocou até à morte!

Eu sou...
... aquele amor que alguém ansiava... mas que nunca acabou por chegar!

Eu sou...
... muito mais do que simples palavras... sou alguém que pensa... sente... e que muito observa!

Eu sou...
... no fundo aquilo que tu fazes que eu seja... eu sou tudo e no mesmo segundo eu sou nada!

Eu sou...
... livre... e por isso sou muito mais do que um corpo!

Eu sou...
... aquele que mesmo sorrindo para ti... afoga-se na suas próprias lágrimas!

Eu sou...
... isto tudo... e ao mesmo tempo serei nada... sou prisioneiro de mim próprio...aguardando que tragas as chaves para me libertar!

Eu sou...
... eu fui... eu sou... e eu serei... aquilo que tiver que ser e nunca o que os outros esperam que eu seja!

Eu Sou...



Eu sou...
... aquele poema inacabado...que nunca ninguém leu!

Eu sou...
... aquele sonho maravilhoso... que nunca ninguém realizou!

Eu sou...
... aquela paixão gostosa... que por medo, alguém um dia sufocou até à morte!

Eu sou...
... aquele amor que alguém ansiava... mas que nunca acabou por chegar!

Eu sou...
... muito mais do que simples palavras... sou alguém que pensa... sente... e que muito observa!

Eu sou...
... no fundo aquilo que tu fazes que eu seja... eu sou tudo e no mesmo segundo eu sou nada!

Eu sou...
... livre... e por isso sou muito mais do que um corpo!

Eu sou...
... aquele que mesmo sorrindo para ti... afoga-se na suas próprias lágrimas!

Eu sou...
... isto tudo... e ao mesmo tempo serei nada... sou prisioneiro de mim próprio...aguardando que tragas as chaves para me libertar!

Eu sou...
... eu fui... eu sou... e eu serei... aquilo que tiver que ser e nunca o que os outros esperam que eu seja!

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Quem sou eu?...



Quem sou eu...

... é em dias como o de hoje que esta pergunta mais me ocorre no pensamento... dias em que olho à minha volta e não te vejo junto a mim... dias em que se abatem sobre mim nuvens muito carregadas e prontas a deixar cair pequenas gotas de líquido salgado!...

Quem sou eu...

... que consigo na vida magoar as pessoas a quem mais amo e proteger as pessoas que nada merecem... que percorro as estradas da vida solitariamente esperando a cada nova paragem a tua entrada na minha vida!...

Quem sou eu...

... altruísta e despreocupado deixo o tempo passar e sem me aperceber vou imergindo para as profundezas da solidão... tristemente vou percebendo a insularidade em que a minha vida se torna!...

Quem sou eu...

... estranho para muitos dos que me rodeiam... obscuro para a maioria dos que me conhecem... e impenetrável para aqueles que tentam entrar em mim!...

Quem sou eu...

... que navegando através das palavras recebo grande alento de alguns afectuosos e dedicados amigos e no dia-a-dia vivo enclausurado na mediocridade da minha vida!...

Quem sou eu...

... que tudo tive na vida e tudo da vida acabei por despejar... que tão difícil sou para mim próprio de perceber e que aos outros nada deixo conhecer!...

Quem sou eu...

... que apenas tu traduzes aquilo que eu sou... que apenas tu inconscientemente mostras e conheces a minha outra face... és o reflexo daquilo que eu sou ou serei eu o reflexo daquilo que tu és!

Quem sou eu?...



Quem sou eu...

... é em dias como o de hoje que esta pergunta mais me ocorre no pensamento... dias em que olho à minha volta e não te vejo junto a mim... dias em que se abatem sobre mim nuvens muito carregadas e prontas a deixar cair pequenas gotas de líquido salgado!...

Quem sou eu...

... que consigo na vida magoar as pessoas a quem mais amo e proteger as pessoas que nada merecem... que percorro as estradas da vida solitariamente esperando a cada nova paragem a tua entrada na minha vida!...

Quem sou eu...

... altruísta e despreocupado deixo o tempo passar e sem me aperceber vou imergindo para as profundezas da solidão... tristemente vou percebendo a insularidade em que a minha vida se torna!...

Quem sou eu...

... estranho para muitos dos que me rodeiam... obscuro para a maioria dos que me conhecem... e impenetrável para aqueles que tentam entrar em mim!...

Quem sou eu...

... que navegando através das palavras recebo grande alento de alguns afectuosos e dedicados amigos e no dia-a-dia vivo enclausurado na mediocridade da minha vida!...

Quem sou eu...

... que tudo tive na vida e tudo da vida acabei por despejar... que tão difícil sou para mim próprio de perceber e que aos outros nada deixo conhecer!...

Quem sou eu...

... que apenas tu traduzes aquilo que eu sou... que apenas tu inconscientemente mostras e conheces a minha outra face... és o reflexo daquilo que eu sou ou serei eu o reflexo daquilo que tu és!

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

A nossa pequenez...



Altruístas de todo o mundo que nos rodeia!...

Não estamos sós!... Mas agimos como tal...
Ocupados... corremos todo o dia...
Seguimos uma vida que mais parece um circo...
Seguimos uma vida em que parecemos amestrados!...
Amestrados pelo trabalho, pela correria, pelo stress!

Porque deixamos de lado o importante da vida...
Equivocados estabelecemos prioridades...
Quantas vezes erradas, onde o material supera o essencial!...
Ultrapassados pela estupidez em que as nossas vidas se transformam...
Esgrimimos argumentos com os quais tentamos...tentamos...
Nunca conseguindo, contudo, justificar essa estupidez!...
Exíguos ao que nos rodeia e a quem nos rodeia...
Zelamos o nosso bem estar... tentando desunir-nos dos outros!...

É triste a nossa pequenez... a nossa insignificância...

Ruína moral e temporal impera nos nossos tempos...
Inveja e ódios reinam... melhor imperam!
Destroem relações e relacionamentos...
Inquietam aqueles que param um pouco para pensar...
Capazes de desejar mudar o mundo!...
Um sonho, sim pode apenas ser um sonho... uma ilusão!
Lutar por eles... é uma realidade...
A vida é curta demais para ser vivida assim!...

A nossa pequenez...



Altruístas de todo o mundo que nos rodeia!...

Não estamos sós!... Mas agimos como tal...
Ocupados... corremos todo o dia...
Seguimos uma vida que mais parece um circo...
Seguimos uma vida em que parecemos amestrados!...
Amestrados pelo trabalho, pela correria, pelo stress!

Porque deixamos de lado o importante da vida...
Equivocados estabelecemos prioridades...
Quantas vezes erradas, onde o material supera o essencial!...
Ultrapassados pela estupidez em que as nossas vidas se transformam...
Esgrimimos argumentos com os quais tentamos...tentamos...
Nunca conseguindo, contudo, justificar essa estupidez!...
Exíguos ao que nos rodeia e a quem nos rodeia...
Zelamos o nosso bem estar... tentando desunir-nos dos outros!...

É triste a nossa pequenez... a nossa insignificância...

Ruína moral e temporal impera nos nossos tempos...
Inveja e ódios reinam... melhor imperam!
Destroem relações e relacionamentos...
Inquietam aqueles que param um pouco para pensar...
Capazes de desejar mudar o mundo!...
Um sonho, sim pode apenas ser um sonho... uma ilusão!
Lutar por eles... é uma realidade...
A vida é curta demais para ser vivida assim!...

domingo, 7 de dezembro de 2008

O doce desejo vermelho...



Voluptuosa avanças para mim...
Embacias o meu olhar com doces pétalas de desejo...
Recobres o seio outrora descoberto... descoberto pela minha mão!
Momento memorável e altivamente relembrado!...
Espaçadamente por entre momentos de lucidez...
Localizo a linha do teu corpo...
Harmonioso... coerente... aprazível...
Oh!.. musa minha... que incendeias o meu corpo!

Consumido de ânsia... de desejo...
Olhos que nada mais querem ver!
Redirecciono todo o meu ser rumo ao teu corpo!...

Deleito-me na tua silhueta...
Ostensivamente precipito-me para ti!...

Pego na tua mão
Entrelaço os meus dedos nos teus
Calcorreamos juntos o teu rosto...
Avançamos para o pescoço...
Descemos...descemos um pouco mais...
Os dois sentimos o teu corpo estremecer!...

Electricamente a tua pele acaricia as nossas mãos!...

Descemos... ao mesmo tempo que subimos...
Orientados pelo paixão perdemos o controlo!...

Desejo... paixão... prazer...
Erotismo... as palavras escasseiam...
Separamos as mãos... unimos os corpos...
Exponencialmente perdemos o controlo próprio!...
Jovialmente desobstruo os nossos corpos...
O suor liberta-se... a chama aumenta... e o prazer eclode!...

O doce desejo vermelho...



Voluptuosa avanças para mim...
Embacias o meu olhar com doces pétalas de desejo...
Recobres o seio outrora descoberto... descoberto pela minha mão!
Momento memorável e altivamente relembrado!...
Espaçadamente por entre momentos de lucidez...
Localizo a linha do teu corpo...
Harmonioso... coerente... aprazível...
Oh!.. musa minha... que incendeias o meu corpo!

Consumido de ânsia... de desejo...
Olhos que nada mais querem ver!
Redirecciono todo o meu ser rumo ao teu corpo!...

Deleito-me na tua silhueta...
Ostensivamente precipito-me para ti!...

Pego na tua mão
Entrelaço os meus dedos nos teus
Calcorreamos juntos o teu rosto...
Avançamos para o pescoço...
Descemos...descemos um pouco mais...
Os dois sentimos o teu corpo estremecer!...

Electricamente a tua pele acaricia as nossas mãos!...

Descemos... ao mesmo tempo que subimos...
Orientados pelo paixão perdemos o controlo!...

Desejo... paixão... prazer...
Erotismo... as palavras escasseiam...
Separamos as mãos... unimos os corpos...
Exponencialmente perdemos o controlo próprio!...
Jovialmente desobstruo os nossos corpos...
O suor liberta-se... a chama aumenta... e o prazer eclode!...

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Uma flor para uma "Flor"



Muitas palavras poderia escrever... seriam insuficientes para poder agradecer...
Umas vezes apoiaste... melhor sempre apoiaste...
Incentivaste a que hoje seja aquilo que sou
Tudo mudou graças aos teus conselhos...
Opiniões que estou sempre pronto a ouvir!...

O quanto me ajudaste!... penso que não tens consciência disso...
Beneficiei e muito com os teus conselhos...
Redefini a minha forma de escrever...
Impulsionaste uma abertura do meu coração...
Grito agora palavras difíceis... outrora segredos bem guardados!
A tua amizade o teu companheirismo...
Despreocupados... desimpedidos...
Obrigado! simplesmente obrigado...

Longa a distância que nos separa...
Unicamente as tecnologias permitem que nos conheçamos...
Componho agora textos... abro as portas dos meus sentimentos...
Intensos... profundos... poéticos... simples...
Apenas tendo dar voz àquilo que nunca terá voz!...

Uma flor para uma "Flor"



Muitas palavras poderia escrever... seriam insuficientes para poder agradecer...
Umas vezes apoiaste... melhor sempre apoiaste...
Incentivaste a que hoje seja aquilo que sou
Tudo mudou graças aos teus conselhos...
Opiniões que estou sempre pronto a ouvir!...

O quanto me ajudaste!... penso que não tens consciência disso...
Beneficiei e muito com os teus conselhos...
Redefini a minha forma de escrever...
Impulsionaste uma abertura do meu coração...
Grito agora palavras difíceis... outrora segredos bem guardados!
A tua amizade o teu companheirismo...
Despreocupados... desimpedidos...
Obrigado! simplesmente obrigado...

Longa a distância que nos separa...
Unicamente as tecnologias permitem que nos conheçamos...
Componho agora textos... abro as portas dos meus sentimentos...
Intensos... profundos... poéticos... simples...
Apenas tendo dar voz àquilo que nunca terá voz!...

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Cheguei aqui...e agora...


Todas as viagens acabam por ter um fim...
Nesta... bem nesta tive a recuperação de algo muito importante...
O restabelecimento do meu ser... e a fortificação do meu próprio coração...
Por tudo isso obrigado! Sim, a ti agradeço tudo isso... pois foi graças a ti!...

Eis-me aqui... de novo junto ao precipício da vida...
Desta vez é diferente... naturalmente não estou a sorrir...
Mas também não verto água do mar dos olhos que em tempos te contemplaram!...
Lamento e sofro uma perda... a perda de alguém que nunca chegou a ser meu verdadeiramente...

De novo junto ao abismo...as mesmas opções pela frente...
Salto rumo ao desconhecido... ou espero alguém que me salve?!...
A espera destroça o meu coração... e ao mesmo tempo tempera-o!
Prepara-o para enfrentar qualquer uma das decisões.

Caso rume ao desconhecido... nada de novo na vida!
Para sempre te hei-de lembrar... foste um marco muito forte na minha vida...
Caso salte para o abismo...igualmente nada de novo haverá!
Ficarei mergulhado na piscina da tristeza... nadarei no mar da solidão...

Cheguei aqui... e agora... o que fazer?!...
Em tempos jurei nunca mais deixar de ouvir-te...
Mas repara na situação em que me colocaste... porquê?
Porque gostas tanto de sofrer?
Porque buscas o quase impossível?
Gostas de testar a minha resistência?
Sofri e sofro muito com as tuas decisões...
Gosto das tuas escolhas, pois fazem-me reviver...
Coração meu! porque é que há sempre um mas...
Um mas que nos impede de nos realizarmos plenamente!

Para já fico... fico aqui parado... sentado...
Na agonia da decisão a tomar...
Será que verei um sinal que me ajude?!...
Haverá algures um farol que me oriente...
Sinto-me perdido e desamparado quase a mergulhar nas profundezas...
Onde futuramente mais difícil será de ser resgatado!...

Cheguei aqui...e agora...


Todas as viagens acabam por ter um fim...
Nesta... bem nesta tive a recuperação de algo muito importante...
O restabelecimento do meu ser... e a fortificação do meu próprio coração...
Por tudo isso obrigado! Sim, a ti agradeço tudo isso... pois foi graças a ti!...

Eis-me aqui... de novo junto ao precipício da vida...
Desta vez é diferente... naturalmente não estou a sorrir...
Mas também não verto água do mar dos olhos que em tempos te contemplaram!...
Lamento e sofro uma perda... a perda de alguém que nunca chegou a ser meu verdadeiramente...

De novo junto ao abismo...as mesmas opções pela frente...
Salto rumo ao desconhecido... ou espero alguém que me salve?!...
A espera destroça o meu coração... e ao mesmo tempo tempera-o!
Prepara-o para enfrentar qualquer uma das decisões.

Caso rume ao desconhecido... nada de novo na vida!
Para sempre te hei-de lembrar... foste um marco muito forte na minha vida...
Caso salte para o abismo...igualmente nada de novo haverá!
Ficarei mergulhado na piscina da tristeza... nadarei no mar da solidão...

Cheguei aqui... e agora... o que fazer?!...
Em tempos jurei nunca mais deixar de ouvir-te...
Mas repara na situação em que me colocaste... porquê?
Porque gostas tanto de sofrer?
Porque buscas o quase impossível?
Gostas de testar a minha resistência?
Sofri e sofro muito com as tuas decisões...
Gosto das tuas escolhas, pois fazem-me reviver...
Coração meu! porque é que há sempre um mas...
Um mas que nos impede de nos realizarmos plenamente!

Para já fico... fico aqui parado... sentado...
Na agonia da decisão a tomar...
Será que verei um sinal que me ajude?!...
Haverá algures um farol que me oriente...
Sinto-me perdido e desamparado quase a mergulhar nas profundezas...
Onde futuramente mais difícil será de ser resgatado!...

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

A tua ausência...


A tua ausência...

...não significava nada! natural... claro como podia significar... não te conhecia!...

A tua ausência...

...começou de forma tímida a fazer-se notar... como as flores esperam os cuidados dos seus donos... assim eu comecei a sentir a tua ausência... precisando dos teus cuidados, até então desconhecidos!...

A tua ausência...

....dói... mata como uma bala!trespassa o meu coração num só golpe... mostra-me o gosto e a vontade de viver... clarifica a vontade de estar sempre a teu lado!...

A tua ausência...

...mesmo sendo dolorosa... faz com que ao longo do dia possa sorrir... às vezes sem que os outros percebam porquê... um sorriso emana dos lábios... um sorriso para ti e por ti!...

A tua ausência...

...em tempos matou um sentimento... e nos novos tempos acabou por mostrar a força de novos frutos à espera de serem colhidos!...

A tua ausência...

...trás a saudade... a saudade lembra a tua importância... a importância apenas existe porque me ajudaste a reconstruir... a reconstruir e a colocar de novo um coração fora de órbita... fora de órbita mas rumo a uma estrela... a estrela que és TU!...

A tua ausência...


A tua ausência...

...não significava nada! natural... claro como podia significar... não te conhecia!...

A tua ausência...

...começou de forma tímida a fazer-se notar... como as flores esperam os cuidados dos seus donos... assim eu comecei a sentir a tua ausência... precisando dos teus cuidados, até então desconhecidos!...

A tua ausência...

....dói... mata como uma bala!trespassa o meu coração num só golpe... mostra-me o gosto e a vontade de viver... clarifica a vontade de estar sempre a teu lado!...

A tua ausência...

...mesmo sendo dolorosa... faz com que ao longo do dia possa sorrir... às vezes sem que os outros percebam porquê... um sorriso emana dos lábios... um sorriso para ti e por ti!...

A tua ausência...

...em tempos matou um sentimento... e nos novos tempos acabou por mostrar a força de novos frutos à espera de serem colhidos!...

A tua ausência...

...trás a saudade... a saudade lembra a tua importância... a importância apenas existe porque me ajudaste a reconstruir... a reconstruir e a colocar de novo um coração fora de órbita... fora de órbita mas rumo a uma estrela... a estrela que és TU!...

sábado, 29 de novembro de 2008

Folhas Caídas...


Folhas caídas...

...que enchem as praças e ruas neste Outono frio e seco... e que tanto desassossego causam aos varredores e tantas alegrias às crianças...

Folhas caídas...

...de um simples diário... e que muitos segredos... sonhos... fantasias...transportam causando tanta preocupação aos seus donos... receosos de quem as possa ler...

Folhas caídas...

...de uma vida... e que saudades... lembranças... dor... muito mais deixam no ar!

Folhas caídas...

...que longe da sua fonte de vida acabam por secar... perder o seu poder... ficarem sós... abandonadas ao sabor do vento...

Folhas caídas...

...são retalhos, são trapos... não! foram e são parte de nós... uma folha jamais deixará de ser parte de uma árvore... pois mesmo depois de cair... continua a ser ligada à sua árvore!

Folhas caídas...

...elevadas ao alto pelo vento... rodopiam sobre nós, mais leves, mais livres, mais soltas...serão folhas caídas ou simplesmente folhas livres?!

Folhas Caídas...


Folhas caídas...

...que enchem as praças e ruas neste Outono frio e seco... e que tanto desassossego causam aos varredores e tantas alegrias às crianças...

Folhas caídas...

...de um simples diário... e que muitos segredos... sonhos... fantasias...transportam causando tanta preocupação aos seus donos... receosos de quem as possa ler...

Folhas caídas...

...de uma vida... e que saudades... lembranças... dor... muito mais deixam no ar!

Folhas caídas...

...que longe da sua fonte de vida acabam por secar... perder o seu poder... ficarem sós... abandonadas ao sabor do vento...

Folhas caídas...

...são retalhos, são trapos... não! foram e são parte de nós... uma folha jamais deixará de ser parte de uma árvore... pois mesmo depois de cair... continua a ser ligada à sua árvore!

Folhas caídas...

...elevadas ao alto pelo vento... rodopiam sobre nós, mais leves, mais livres, mais soltas...serão folhas caídas ou simplesmente folhas livres?!

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

O mar e a Lua...



Um grande momento havia chegado...
Mar preparou-se a rigor para a receber!

Pouco depois de escurecer
Ondas e espuma deram o sinal,
Um pouco de forma desajeitada
Começou por nas suas águas
Ostentar o brilho dela!...

Como estava bela naquela noite
Ofuscando todas as estrelas no céu
Mostrava todo o seu brilho...mas...
Ocultava a beleza da sua face...

A Lua lá do alto, via como o mar se agitava...

Noite avançava no tempo...
Observava e encobria o romance...
Seria mesmo um romance?!
Segurando o seu manto escuro
Arrolhava o amor agitado do Mar...

Há amores difíceis de perceber...
Impossíveis de poderem acontecer!
Simples como a Lua...que observa o Mar...
Tolos como o Mar...que nunca toca a Lua...
O amor transforma-nos
Realça o nosso lado mais romântico...
Iluminando a luz, e apagando a escuridão...
Alimentado sempre pelo desejo...

O mar e a Lua...



Um grande momento havia chegado...
Mar preparou-se a rigor para a receber!

Pouco depois de escurecer
Ondas e espuma deram o sinal,
Um pouco de forma desajeitada
Começou por nas suas águas
Ostentar o brilho dela!...

Como estava bela naquela noite
Ofuscando todas as estrelas no céu
Mostrava todo o seu brilho...mas...
Ocultava a beleza da sua face...

A Lua lá do alto, via como o mar se agitava...

Noite avançava no tempo...
Observava e encobria o romance...
Seria mesmo um romance?!
Segurando o seu manto escuro
Arrolhava o amor agitado do Mar...

Há amores difíceis de perceber...
Impossíveis de poderem acontecer!
Simples como a Lua...que observa o Mar...
Tolos como o Mar...que nunca toca a Lua...
O amor transforma-nos
Realça o nosso lado mais romântico...
Iluminando a luz, e apagando a escuridão...
Alimentado sempre pelo desejo...

terça-feira, 25 de novembro de 2008

O Poder e a Força



A nossa vida passa por nós a correr,
Muito do que nos dá, passa-nos ao lado
Somos distraídos, não ouvimos seu recado,
Ela é tão curta que a devemos viver!

A vida foi amiga, deu-me a conhecer,
Alguém fora do meu sinistro passado,
Um grande momento havia chegado
Mesmo sem que o conseguisse reconhecer.

Gesto tão simples que me acariciou
E com ele uma grande transformação
Desde o simples sorriso que voltou...

Com o sorriso regressou a paixão
E todo o sofrimento ela apagou...
Libertando para sempre meu coração!

O Poder e a Força



A nossa vida passa por nós a correr,
Muito do que nos dá, passa-nos ao lado
Somos distraídos, não ouvimos seu recado,
Ela é tão curta que a devemos viver!

A vida foi amiga, deu-me a conhecer,
Alguém fora do meu sinistro passado,
Um grande momento havia chegado
Mesmo sem que o conseguisse reconhecer.

Gesto tão simples que me acariciou
E com ele uma grande transformação
Desde o simples sorriso que voltou...

Com o sorriso regressou a paixão
E todo o sofrimento ela apagou...
Libertando para sempre meu coração!

domingo, 23 de novembro de 2008

Mau feitio ou não!...



As nossas vidas são repletas de pessoas...
Simpáticas, inteligentes, bonitas...de todos os tipos!...

Pessoas que connosco convivem e trabalham...
Experiências que se partilham, trabalhos que se concretizam...
Semanas e meses de convívio e no fundo...
Somos estranhos aos olhos daqueles que...
Obrigados ou não convivem connosco todos os dias!...
Absurdo?!
Será que estou a exagerar?

Contactam connosco todos os dias...
Observam-nos sempre que podem...
Nunca pensámos...que não nos conhecessem!...
Homens e mulheres que passam por nós...
Espaços que partilhamos...
Conversas que construímos...
E afinal tudo isso...
Mostra tão pouco do que somos ou do que vemos dos outros!...

Trabalhamos juntos...
Almoçamos juntos...e
Ocultamos tanto de nós...

Partilhamos espaços com pessoas...
Obscuras para nós...
Um pouco de abertura nossa pode mudar muita coisa...
Contudo, fugimos desse lado do relacionamento...
Omitimos a nossa face em favor do rosto que os outros conhecem!...

Mau feitio ou não!...



As nossas vidas são repletas de pessoas...
Simpáticas, inteligentes, bonitas...de todos os tipos!...

Pessoas que connosco convivem e trabalham...
Experiências que se partilham, trabalhos que se concretizam...
Semanas e meses de convívio e no fundo...
Somos estranhos aos olhos daqueles que...
Obrigados ou não convivem connosco todos os dias!...
Absurdo?!
Será que estou a exagerar?

Contactam connosco todos os dias...
Observam-nos sempre que podem...
Nunca pensámos...que não nos conhecessem!...
Homens e mulheres que passam por nós...
Espaços que partilhamos...
Conversas que construímos...
E afinal tudo isso...
Mostra tão pouco do que somos ou do que vemos dos outros!...

Trabalhamos juntos...
Almoçamos juntos...e
Ocultamos tanto de nós...

Partilhamos espaços com pessoas...
Obscuras para nós...
Um pouco de abertura nossa pode mudar muita coisa...
Contudo, fugimos desse lado do relacionamento...
Omitimos a nossa face em favor do rosto que os outros conhecem!...

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Luz que nos conduz!...



Chegaste!...Recatada avançaste para mim...
Oculta pela luz que brotava dos teus olhos...
Não recuei...mas tive dificuldade...
Tanta luz!...ofuscado não vacilei...
Reconheci a sua fonte...
Obscura, mas capaz de emanar tanta luz...
Luz que escapa aos distraídos e cativa os atentos...
Atestou o motor que estava de rastos...
Reconstituiu as partes danificadas e destruídas!

Oh luz...poderosa luz...que não podes ser controlada...

Afasta de mim a incerteza, a dúvida...
Multiplica a tua intensidade se for necessário...
Ocupa a minha vida com toda essa alegria...
Renascerei de novo para que possas vir até mim...

É inverosímil pensar na minha vida sem ti...

Impensável, que em tão pouco tempo...
Muito tenhas conquistado!
Pacata e discreta a forma como nos conhecemos...
Olhares indiscretos foram trocados...
Silêncios profundos partilhámos...
Sílabas e palavras dissemos...
Incontroláveis momentos vivemos...
Vivo e recordo todos esses instantes...
Especiais, únicos...indiscutivelmente os melhores!...
Loucura!...sim...mas não será isso o amor...uma loucura!?...

Luz que nos conduz!...



Chegaste!...Recatada avançaste para mim...
Oculta pela luz que brotava dos teus olhos...
Não recuei...mas tive dificuldade...
Tanta luz!...ofuscado não vacilei...
Reconheci a sua fonte...
Obscura, mas capaz de emanar tanta luz...
Luz que escapa aos distraídos e cativa os atentos...
Atestou o motor que estava de rastos...
Reconstituiu as partes danificadas e destruídas!

Oh luz...poderosa luz...que não podes ser controlada...

Afasta de mim a incerteza, a dúvida...
Multiplica a tua intensidade se for necessário...
Ocupa a minha vida com toda essa alegria...
Renascerei de novo para que possas vir até mim...

É inverosímil pensar na minha vida sem ti...

Impensável, que em tão pouco tempo...
Muito tenhas conquistado!
Pacata e discreta a forma como nos conhecemos...
Olhares indiscretos foram trocados...
Silêncios profundos partilhámos...
Sílabas e palavras dissemos...
Incontroláveis momentos vivemos...
Vivo e recordo todos esses instantes...
Especiais, únicos...indiscutivelmente os melhores!...
Loucura!...sim...mas não será isso o amor...uma loucura!?...

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Brumas eloquentes...


Quando a bruma já envolvia o meu olhar...
Ultrapassadas as tempestades e as desventuras...
Aliviado por os dias penosos serem apenas história...
Nunca esquecerei, mas por vezes recordarei...
Dúvidas...incertezas...realidades...cercaram os meus dias
Os dias que se tornaram sonhos e utopias!...

Oh, ventos fortes e leves levem esta bruma para longe de mim...

Como?...poderá ser possível!...
Açoitada pelo vento...
Sacudida pela realidade...
Tu...sim tu minha bruma...adensaste...
Envolveste-me de forma indescritível...
Liberta-me...liberta um pouco...
Ouve o vociferar do meu coração...

Conquistaste a altivez do meu amor...
Alvejaste o meu coração...
Inevitavelmente tomaste conta dele...

...

Foste tu bruma...
Involuntariamente ou não...
Conseguiste algo que não imaginei ser novamente possível...
Apenas em sonhos o presenciava...

A vida é complicada...e nós complicamos a vida...

Ilusões eu tive!...
Levianamente sonhei com o impossível...
Um sonho que estava desfeito à partida...
Sonhei uma vida...
A vida à qual acabamos por não pertencer...
Obrigado bruma por envolveres o meu olhar!...

Brumas eloquentes...


Quando a bruma já envolvia o meu olhar...
Ultrapassadas as tempestades e as desventuras...
Aliviado por os dias penosos serem apenas história...
Nunca esquecerei, mas por vezes recordarei...
Dúvidas...incertezas...realidades...cercaram os meus dias
Os dias que se tornaram sonhos e utopias!...

Oh, ventos fortes e leves levem esta bruma para longe de mim...

Como?...poderá ser possível!...
Açoitada pelo vento...
Sacudida pela realidade...
Tu...sim tu minha bruma...adensaste...
Envolveste-me de forma indescritível...
Liberta-me...liberta um pouco...
Ouve o vociferar do meu coração...

Conquistaste a altivez do meu amor...
Alvejaste o meu coração...
Inevitavelmente tomaste conta dele...

...

Foste tu bruma...
Involuntariamente ou não...
Conseguiste algo que não imaginei ser novamente possível...
Apenas em sonhos o presenciava...

A vida é complicada...e nós complicamos a vida...

Ilusões eu tive!...
Levianamente sonhei com o impossível...
Um sonho que estava desfeito à partida...
Sonhei uma vida...
A vida à qual acabamos por não pertencer...
Obrigado bruma por envolveres o meu olhar!...

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Altivez do amor...


Os amores assim apenas acontecem uma vez na vida...

Desde o dia que te conheci
Investigo a razão para que tal tenha acontecido!...
Anoitecem os dias e eu penso,medito...desespero...
Respostas nem vê-las!...
Invento teorias, pesquiso razões...
Obstinado procuro aquilo que nem a própria razão conhece!...

Desgovernaste a minha solidão...e...
Almejando de novo o prazer de viver...avancei...

Nunca esperando ir...por mais longe que fosse...
Onde, mesmo sem tu sonhares, me levaste!...
Serviste-me um pouco de magia...Oh, doce cálice de magia!...
Semeaste a esperança onde apenas o desânimo reinava...
Atiçaste um fogo outrora quase extinto!...

Poder extraordinário que tiveste...
Ainda hoje penso como foi possível...
Inquieta-me que algo tão intenso cesse...
Xau!...A palavra mais temida...
Aquela que me faz tremer...
Oscilando mais do que a vela de um veleiro em alto mar!..

Altivez do amor...


Os amores assim apenas acontecem uma vez na vida...

Desde o dia que te conheci
Investigo a razão para que tal tenha acontecido!...
Anoitecem os dias e eu penso,medito...desespero...
Respostas nem vê-las!...
Invento teorias, pesquiso razões...
Obstinado procuro aquilo que nem a própria razão conhece!...

Desgovernaste a minha solidão...e...
Almejando de novo o prazer de viver...avancei...

Nunca esperando ir...por mais longe que fosse...
Onde, mesmo sem tu sonhares, me levaste!...
Serviste-me um pouco de magia...Oh, doce cálice de magia!...
Semeaste a esperança onde apenas o desânimo reinava...
Atiçaste um fogo outrora quase extinto!...

Poder extraordinário que tiveste...
Ainda hoje penso como foi possível...
Inquieta-me que algo tão intenso cesse...
Xau!...A palavra mais temida...
Aquela que me faz tremer...
Oscilando mais do que a vela de um veleiro em alto mar!..

sábado, 15 de novembro de 2008

Noite que vais...



Noite que vais...
Inquieta sem a tua lua...
Noite que vais...
Gritando aos quatro ventos...
Um nome, uma emoção, uma vida!
Espero por ti...noite...
Manhã após manhã, anseio sempre por ti...noite!

Salvo em boa hora...
Apenas com um simples gesto da tua parte!
Bastou um pouco de ti...
E muito em mim mudou!

Ocultaste e ocupaste...

Quanto?...e o quê?
Um segredo que será tão grande como o que...
Eu sinto por ti!...


Eloquente a forma como entraste...
Um mistério no que despertaste!

Serei louco,
Expressivo o suficiente no que te digo...
Inquieta-me a dúvida...

Escrevo...tentando descobrir...

Tu noite!...só tu...e sempre tu...
Unes o meu pensamento ao meu coração!...

Sobe lua...
Acende uma chama...
Bastante potente para me iluminar...
Eleva-te e ilumina a minha noite...
Salva-me todos os dias!Deixa-me ser teu nesta noite...

Noite que vais...



Noite que vais...
Inquieta sem a tua lua...
Noite que vais...
Gritando aos quatro ventos...
Um nome, uma emoção, uma vida!
Espero por ti...noite...
Manhã após manhã, anseio sempre por ti...noite!

Salvo em boa hora...
Apenas com um simples gesto da tua parte!
Bastou um pouco de ti...
E muito em mim mudou!

Ocultaste e ocupaste...

Quanto?...e o quê?
Um segredo que será tão grande como o que...
Eu sinto por ti!...


Eloquente a forma como entraste...
Um mistério no que despertaste!

Serei louco,
Expressivo o suficiente no que te digo...
Inquieta-me a dúvida...

Escrevo...tentando descobrir...

Tu noite!...só tu...e sempre tu...
Unes o meu pensamento ao meu coração!...

Sobe lua...
Acende uma chama...
Bastante potente para me iluminar...
Eleva-te e ilumina a minha noite...
Salva-me todos os dias!Deixa-me ser teu nesta noite...

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Gota a Gota...


Quando um rio nasce não é mais que uma pequena gota...
Uma gota que se vai juntar a novas gotas...
Entre elas criam laços fortes...ligações duradouras...
Rapidamente crescem e deixam de ser gotas...
Inovam para pequenos riachos...
Alargando assim horizontes e destinos!

Por vezes a nossa vida é o nascer de um rio...
Olhar!...um simples olhar que fez nascer...
Desenvolver sentimentos muito intensos...
Eternos e indescritíveis...
Rejuvenescedores e revigorantes!

Gritaria aos quatro ventos o que sinto...
Reinventava o significado de paixão e amor!
Incendiaria o meu coração, mas isso já tu o fizeste...
Tudo isso seria muito pouco quando comparado àquilo que é...
Amar-te...desejar-te...
Reconhecer em ti o que é ser feliz.

Oh!...

Tempo, volta para trás...ou avança mais depressa...
Escolha difícil...
Unicamente interessava a fórmula que permita poder estar contigo!

Nunca direi... nunca!
Oportunidades a vida não dá muitas vezes...
Mentir sobre o que sinto não sou capaz...
Entristece-me não o poder gritar ao mundo!

Gota a Gota...


Quando um rio nasce não é mais que uma pequena gota...
Uma gota que se vai juntar a novas gotas...
Entre elas criam laços fortes...ligações duradouras...
Rapidamente crescem e deixam de ser gotas...
Inovam para pequenos riachos...
Alargando assim horizontes e destinos!

Por vezes a nossa vida é o nascer de um rio...
Olhar!...um simples olhar que fez nascer...
Desenvolver sentimentos muito intensos...
Eternos e indescritíveis...
Rejuvenescedores e revigorantes!

Gritaria aos quatro ventos o que sinto...
Reinventava o significado de paixão e amor!
Incendiaria o meu coração, mas isso já tu o fizeste...
Tudo isso seria muito pouco quando comparado àquilo que é...
Amar-te...desejar-te...
Reconhecer em ti o que é ser feliz.

Oh!...

Tempo, volta para trás...ou avança mais depressa...
Escolha difícil...
Unicamente interessava a fórmula que permita poder estar contigo!

Nunca direi... nunca!
Oportunidades a vida não dá muitas vezes...
Mentir sobre o que sinto não sou capaz...
Entristece-me não o poder gritar ao mundo!