sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Se tu fosses...




Se tu fosses uma flor...

...eu queria ser um beija-flor...sempre a beijar a suavidade do teu rosto e admirar a beleza do teu sorriso.

Se tu fosses um rio...

...eu queria ser o leito que te acolhia e acompanhava em todos os momentos da tua vida.

Se tu fosses um raio de luz...

...eu seria uma gota de água...à espera de ser trespassado pela tua luz para assim poder ilustrar a beleza das tuas cores.

Se tu fosses um olhar...

...eu queria ser a alma...da qual serias o seu espelho.

Se tu fosses uma árvore...

...eu queria ser uma ave que nos teus ramos seria acolhida e onde encontraria o refúgio e a felicidade que procuro.

Se tu fosses um sentimento...

...eu queria viver esse sentimento...senti-lo...recebê-lo...

Se tu fosses um sonho...

...eu nunca mais queria acordar, para assim estar sempre contigo.


Não és nada disso...ou no fundo e aos meus olhos acabas por ser um pouco de tudo...és uma mulher amável...meiga...doce...eu apenas um homem que te adora e que deseja poder fazer parte da tua vida!...

Se tu fosses...




Se tu fosses uma flor...

...eu queria ser um beija-flor...sempre a beijar a suavidade do teu rosto e admirar a beleza do teu sorriso.

Se tu fosses um rio...

...eu queria ser o leito que te acolhia e acompanhava em todos os momentos da tua vida.

Se tu fosses um raio de luz...

...eu seria uma gota de água...à espera de ser trespassado pela tua luz para assim poder ilustrar a beleza das tuas cores.

Se tu fosses um olhar...

...eu queria ser a alma...da qual serias o seu espelho.

Se tu fosses uma árvore...

...eu queria ser uma ave que nos teus ramos seria acolhida e onde encontraria o refúgio e a felicidade que procuro.

Se tu fosses um sentimento...

...eu queria viver esse sentimento...senti-lo...recebê-lo...

Se tu fosses um sonho...

...eu nunca mais queria acordar, para assim estar sempre contigo.


Não és nada disso...ou no fundo e aos meus olhos acabas por ser um pouco de tudo...és uma mulher amável...meiga...doce...eu apenas um homem que te adora e que deseja poder fazer parte da tua vida!...

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

A Fruta proibida...



Sobre a minha cama te deitaste!
Oh!Sim... que suavidade... que calor...
Brotaram dos nossos corpos...
Ruborizados... incandescidos... incendiados...
Enlace perfeito ou fruto do acaso!...

A tua nudez cegou o meu olhar...

Movido pela tua áurea...
Iluminado pela tua fragrância a desejo...
Não hesitei nos meus passos...
Habituado a outras paragens... outros destinos...
Alvitrei-me diante de ti...

Com as tuas mãos macias
Avançando sobre aqueles que nos acolhiam...
Momento eterno... momento único...
Avançaste lentamente fazendo subir em mim o desejo!...

Tocaste-me finalmente... parecias receosa...
Elevou-se em mim o que de mais puro e belo possuía...

Deslizaste o teu corpo sobre o meu...
Enquanto isso prendias as minhas mãos...
Imediatamente percebi, o controlo seria teu!...
Tão poucos segundos...mais parecido com uma eternidade...
Aliciaste-me lentamente... avançando ainda mais...
Senti todo o teu calor... toda a tua chama...
Todo o desejo outrora latente, crescia agora...
E num gesto descuidado da tua parte senti-te...

E juntos fomos consumidos pelo desejo...

Jazia prostrado sobre a minha cama...
Ungido pela tua essência... colaborei no teu encantamento...
Naturalmente deixei-me levar nos teus carinhos...
Tocaste-me levemente... tremi... de loucura... de prazer...
Os músculos do meu corpo manifestaram-se...
Sorriste!ao sentir o meu ventre contrair...

Focaste a tua atenção no meu ventre...
Obrigaste-o a fazer-te sorrir novamente...
Melindrado pela tua descoberta...
Observei todos os pormenores e expressões que produziste...
Silenciosamente percebi o teu deleite...

Curvaste-te sobre o meu corpo...
O toque húmido... quente...
Num relance vi... continuavas o caminho...
Sinuosamente avançavas rumo a um destino...
Um destino apenas por ti conhecido...
Meticulosamente tocaste...
Impetuosamente vivias cada momento...
Deliciado... maravilhado... procurei encontrar-te...
Obrigaste-me a deitar novamente...
Sabias o que fazias...e ainda não tinha chegado o meu tempo...

Percebi isso... o comando era definitivamente teu...
Esperar!não... teria apenas que seguir o teu plano...
Ludibriaste as minhas intenções...
Ofuscaste todo o calor da noite anterior!...

Discretamente deixaste finalmente que pudesse entrar em ti...
Eloquentes... ateámos chamas de si já incontroláveis!
Silêncio partira de vez... o prazer apoderou-se das nossas vozes...
Elevei-me para junto do teu corpo sentado sobre o meu...
Jocosamente desfrutámos cada segundo, minuto...
O tempo parou!e... caímos sobre o braseiro dos nossos lençóis!

A Fruta proibida...



Sobre a minha cama te deitaste!
Oh!Sim... que suavidade... que calor...
Brotaram dos nossos corpos...
Ruborizados... incandescidos... incendiados...
Enlace perfeito ou fruto do acaso!...

A tua nudez cegou o meu olhar...

Movido pela tua áurea...
Iluminado pela tua fragrância a desejo...
Não hesitei nos meus passos...
Habituado a outras paragens... outros destinos...
Alvitrei-me diante de ti...

Com as tuas mãos macias
Avançando sobre aqueles que nos acolhiam...
Momento eterno... momento único...
Avançaste lentamente fazendo subir em mim o desejo!...

Tocaste-me finalmente... parecias receosa...
Elevou-se em mim o que de mais puro e belo possuía...

Deslizaste o teu corpo sobre o meu...
Enquanto isso prendias as minhas mãos...
Imediatamente percebi, o controlo seria teu!...
Tão poucos segundos...mais parecido com uma eternidade...
Aliciaste-me lentamente... avançando ainda mais...
Senti todo o teu calor... toda a tua chama...
Todo o desejo outrora latente, crescia agora...
E num gesto descuidado da tua parte senti-te...

E juntos fomos consumidos pelo desejo...

Jazia prostrado sobre a minha cama...
Ungido pela tua essência... colaborei no teu encantamento...
Naturalmente deixei-me levar nos teus carinhos...
Tocaste-me levemente... tremi... de loucura... de prazer...
Os músculos do meu corpo manifestaram-se...
Sorriste!ao sentir o meu ventre contrair...

Focaste a tua atenção no meu ventre...
Obrigaste-o a fazer-te sorrir novamente...
Melindrado pela tua descoberta...
Observei todos os pormenores e expressões que produziste...
Silenciosamente percebi o teu deleite...

Curvaste-te sobre o meu corpo...
O toque húmido... quente...
Num relance vi... continuavas o caminho...
Sinuosamente avançavas rumo a um destino...
Um destino apenas por ti conhecido...
Meticulosamente tocaste...
Impetuosamente vivias cada momento...
Deliciado... maravilhado... procurei encontrar-te...
Obrigaste-me a deitar novamente...
Sabias o que fazias...e ainda não tinha chegado o meu tempo...

Percebi isso... o comando era definitivamente teu...
Esperar!não... teria apenas que seguir o teu plano...
Ludibriaste as minhas intenções...
Ofuscaste todo o calor da noite anterior!...

Discretamente deixaste finalmente que pudesse entrar em ti...
Eloquentes... ateámos chamas de si já incontroláveis!
Silêncio partira de vez... o prazer apoderou-se das nossas vozes...
Elevei-me para junto do teu corpo sentado sobre o meu...
Jocosamente desfrutámos cada segundo, minuto...
O tempo parou!e... caímos sobre o braseiro dos nossos lençóis!

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Liberdade...Liberdades...ou simplesmente livres...



Liberdade...

... de juntar míseras letras... formar palavras... com elas frases... e tudo isso apesar de escrito de nada vale quando apenas está escrito e não sentido!...

... de poder exaltar... rejubilar... no fundo sentir uma alegria muito grande pela aceitação que este projecto de Blog teve e vai tendo diariamente...

... de poder transpirar sentimentos... fantasiar situações... fazer quem lê, sentir também parte do que está descrito...

... simplesmente liberdade de PODER!...


Liberdades...

... em nada podem ser confundidas com libertinagens...

... todos temos as nossas... como as usamos?... como as encaramos?...


Simplesmente livres...

... teremos já alcançado esse estado de ser livres... poder voar para lá dos horizontes mesmo sem que tiremos os pés realmente do chão!...

... sendo livres temos em nossa posse o maior do tesouros... a possibilidade de decidir o nosso próprio futuro... que mais poderemos desejar!...

... sendo livres... temos o coração aberto... e de coração aberto acolhemos outros seres livres...


Ai liberdade... liberdade...
tanto poder nos dás...
e contigo trazes tantas responsabilidades...

Ai liberdade... liberdade...
educa-nos a viver!
a viver respeitando a nossa...
e a liberdade dos outros!...

Liberdade...Liberdades...ou simplesmente livres...



Liberdade...

... de juntar míseras letras... formar palavras... com elas frases... e tudo isso apesar de escrito de nada vale quando apenas está escrito e não sentido!...

... de poder exaltar... rejubilar... no fundo sentir uma alegria muito grande pela aceitação que este projecto de Blog teve e vai tendo diariamente...

... de poder transpirar sentimentos... fantasiar situações... fazer quem lê, sentir também parte do que está descrito...

... simplesmente liberdade de PODER!...


Liberdades...

... em nada podem ser confundidas com libertinagens...

... todos temos as nossas... como as usamos?... como as encaramos?...


Simplesmente livres...

... teremos já alcançado esse estado de ser livres... poder voar para lá dos horizontes mesmo sem que tiremos os pés realmente do chão!...

... sendo livres temos em nossa posse o maior do tesouros... a possibilidade de decidir o nosso próprio futuro... que mais poderemos desejar!...

... sendo livres... temos o coração aberto... e de coração aberto acolhemos outros seres livres...


Ai liberdade... liberdade...
tanto poder nos dás...
e contigo trazes tantas responsabilidades...

Ai liberdade... liberdade...
educa-nos a viver!
a viver respeitando a nossa...
e a liberdade dos outros!...

sábado, 24 de janeiro de 2009

Confiança... parte II



Sem olhar a mais nada...

... ergui a cabeça, avancei sem sequer olhar para quem observava os meus passos... fossem eles pessoas queridas e que apenas me desejam bem... ou fossem esses egoístas e hipócritas que apenas sabem dizer ou desejar mal a quem é feliz!...

... por entre olhares invejosos os meus passos não vacilaram... a confiança cresceu em mim de uma forma que até me parecia suspeita e quase me fez desconfiar... mas... depois do primeiro passo já nada nem ninguém me pararia...

... o receio e temor sofreram um rude golpe... um golpe desferido sem qualquer misericórdia ou clemência... aos poucos foram desfalecendo até ao seu último suspiro... soube então que era tempo de gritar ao mundo... a confiança vive em mim!... nada nem ninguém me pode parar!


Finalmente confiante posso...

... abrir as portas a quem com boas intenções queira entrar... os outros encontrarão um muro impenetrável...

... ser feliz... primeiro comigo mesmo... e depois aliar essa felicidade a quem a queira partilhar!

... sorrir... fruto dessa alegria interior.... e fruto da satisfação da vitória conseguida sobre os miseráveis que tanto mal me desejam e tentam fazer sentir.

... escrever de peito aberto e sempre de cabeça erguida... algo que nunca se pode nem deve perder... a dignidade e o respeito por nós próprios... para que possamos respeitar os outros!

Confiança... parte II



Sem olhar a mais nada...

... ergui a cabeça, avancei sem sequer olhar para quem observava os meus passos... fossem eles pessoas queridas e que apenas me desejam bem... ou fossem esses egoístas e hipócritas que apenas sabem dizer ou desejar mal a quem é feliz!...

... por entre olhares invejosos os meus passos não vacilaram... a confiança cresceu em mim de uma forma que até me parecia suspeita e quase me fez desconfiar... mas... depois do primeiro passo já nada nem ninguém me pararia...

... o receio e temor sofreram um rude golpe... um golpe desferido sem qualquer misericórdia ou clemência... aos poucos foram desfalecendo até ao seu último suspiro... soube então que era tempo de gritar ao mundo... a confiança vive em mim!... nada nem ninguém me pode parar!


Finalmente confiante posso...

... abrir as portas a quem com boas intenções queira entrar... os outros encontrarão um muro impenetrável...

... ser feliz... primeiro comigo mesmo... e depois aliar essa felicidade a quem a queira partilhar!

... sorrir... fruto dessa alegria interior.... e fruto da satisfação da vitória conseguida sobre os miseráveis que tanto mal me desejam e tentam fazer sentir.

... escrever de peito aberto e sempre de cabeça erguida... algo que nunca se pode nem deve perder... a dignidade e o respeito por nós próprios... para que possamos respeitar os outros!

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Tudo o que te dou...



Sensual...

... inclinaste o teu corpo... as tuas curvas moldaram o sofá onde te sentavas... acolheu-te no seu seio desejando aconchegar-te...

... o teu corpo acolheu-o... sentiste-te no conforto que tanto procuravas e querias só para ti... o teu sorriso mostrava querer mais... mais felicidade... mas carinho e ternura!

... acariciaste o teu rosto... suavemente deslizaste os teus delicados dedos percorrendo o contornos da tua face... subitamente debruçaste a tua atenção nos traços do teu pescoço...

... do lado contrário os meus lábios tocaram a tua pele... ao primeiro toque tremeste... a sensação deve ter percorrido o teu corpo e com isso palpitaste...



Tudo o que eu te dou...

... neste momento é a segurança... a aventura... o interesse que não sentes!

... são pequenos gestos... leves afectos... que de tão pequenos que são parecem-me insignificantes... mas sinto em ti que os recebes de pleno desejo e aceitas de peito e coração aberto...

... um pequeno sopro na tua orelha... um suave beijo no teu pescoço... tacteio o teu corpo com toque suave e delicado de quem parece saber os caminhos que deve percorrer... embora siga apenas o instinto e as indicações que a tua expressão facial me indicam...


E tudo avança...

... por entre as indecisões... por entre todas as correcções feitas ao longo do imenso e longo caminho que percorro... a cada milímetro percorrido sinto em ti... em mim... em nós o desejo e a chama a incendiarem o nosso olhar...

... rumo ao infinito... à plenitude... já não são apenas as minhas toscas mãos a tocar-te... os meus lábios não conseguem soltar-se dos teus... o meu coração bate e ouve o teu coração bater...

... a tensão cresce... o desejo aumenta... já incandescentes os nossos corpos desnudam-se dos restos... das cinzas... das nossas roupas....


Tu me dás a mim...

... o prazer inebriante... a sensação de poder tocar em todas as estrelas e com elas escrever o teu nome nos céus!...

... a felicidade... esse sentimento que poucos encontram e que muitos buscam erradamente nos outros...

... o amor... oh... esse já se encontrava dentro de mim... apenas despertou e soltou a sua voz.

Tudo o que te dou...



Sensual...

... inclinaste o teu corpo... as tuas curvas moldaram o sofá onde te sentavas... acolheu-te no seu seio desejando aconchegar-te...

... o teu corpo acolheu-o... sentiste-te no conforto que tanto procuravas e querias só para ti... o teu sorriso mostrava querer mais... mais felicidade... mas carinho e ternura!

... acariciaste o teu rosto... suavemente deslizaste os teus delicados dedos percorrendo o contornos da tua face... subitamente debruçaste a tua atenção nos traços do teu pescoço...

... do lado contrário os meus lábios tocaram a tua pele... ao primeiro toque tremeste... a sensação deve ter percorrido o teu corpo e com isso palpitaste...



Tudo o que eu te dou...

... neste momento é a segurança... a aventura... o interesse que não sentes!

... são pequenos gestos... leves afectos... que de tão pequenos que são parecem-me insignificantes... mas sinto em ti que os recebes de pleno desejo e aceitas de peito e coração aberto...

... um pequeno sopro na tua orelha... um suave beijo no teu pescoço... tacteio o teu corpo com toque suave e delicado de quem parece saber os caminhos que deve percorrer... embora siga apenas o instinto e as indicações que a tua expressão facial me indicam...


E tudo avança...

... por entre as indecisões... por entre todas as correcções feitas ao longo do imenso e longo caminho que percorro... a cada milímetro percorrido sinto em ti... em mim... em nós o desejo e a chama a incendiarem o nosso olhar...

... rumo ao infinito... à plenitude... já não são apenas as minhas toscas mãos a tocar-te... os meus lábios não conseguem soltar-se dos teus... o meu coração bate e ouve o teu coração bater...

... a tensão cresce... o desejo aumenta... já incandescentes os nossos corpos desnudam-se dos restos... das cinzas... das nossas roupas....


Tu me dás a mim...

... o prazer inebriante... a sensação de poder tocar em todas as estrelas e com elas escrever o teu nome nos céus!...

... a felicidade... esse sentimento que poucos encontram e que muitos buscam erradamente nos outros...

... o amor... oh... esse já se encontrava dentro de mim... apenas despertou e soltou a sua voz.

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Perdidos...



Perdi...

... a paz, a harmonia, a integridade, a felicidade outrora estranhamente descobertos dentro de mim...

... as certezas, as convicções de que a vida pode ser como nos filmes... não!... os filmes é que podem retratar uma vida...


Perdi-me...

... nos encantos dos teus doces olhos... meigos, ternos... que me abraçaram sem o prazer de te sentir... que me envolveram sem nunca me teres tocado... que me enfeitiçaram sem mesinhas ou poções, apenas com natural encanto...

... nas curvas do teu rosto... suaves e perfeitas... incentivando a que possa acelerar a fundo rumo ao infinito e mais além...

... na maravilhosa paisagem desenhada pelo teu corpo... entre montes e vales... os encantos escondidos... o deleite completo de o poder desejar!...

Perdi-te...

... pois nunca te tive plenamente... sem entrega total e despreocupada não há entrega e mais cedo ou mais tarde perder-te-ia...

... na imensidão de meandros que a vida nos coloca e por entre os quais temos que escapar às armadilhas e rasteiras que ela nos prega!...

... no momento mais profundo de amor que alguma vez poderia dar... mas que nunca o consiguirás vir a compreender...


Perdidos...


... andam aqueles que nunca se encontraram verdadeiramente...

... andam aqueles que nunca se deixaram encontrar...

... andam aqueles que desanimam quando encontram levianas e terrenas dificuldades...

... andam aqueles que lamentam o que perderam em vez de olharam para o que podem ganhar...

... andamos todos, de uma maneira ou outra acabamos todos por nos perder... é a nossa Natureza... perder para depois lamentar...

Perdidos...



Perdi...

... a paz, a harmonia, a integridade, a felicidade outrora estranhamente descobertos dentro de mim...

... as certezas, as convicções de que a vida pode ser como nos filmes... não!... os filmes é que podem retratar uma vida...


Perdi-me...

... nos encantos dos teus doces olhos... meigos, ternos... que me abraçaram sem o prazer de te sentir... que me envolveram sem nunca me teres tocado... que me enfeitiçaram sem mesinhas ou poções, apenas com natural encanto...

... nas curvas do teu rosto... suaves e perfeitas... incentivando a que possa acelerar a fundo rumo ao infinito e mais além...

... na maravilhosa paisagem desenhada pelo teu corpo... entre montes e vales... os encantos escondidos... o deleite completo de o poder desejar!...

Perdi-te...

... pois nunca te tive plenamente... sem entrega total e despreocupada não há entrega e mais cedo ou mais tarde perder-te-ia...

... na imensidão de meandros que a vida nos coloca e por entre os quais temos que escapar às armadilhas e rasteiras que ela nos prega!...

... no momento mais profundo de amor que alguma vez poderia dar... mas que nunca o consiguirás vir a compreender...


Perdidos...


... andam aqueles que nunca se encontraram verdadeiramente...

... andam aqueles que nunca se deixaram encontrar...

... andam aqueles que desanimam quando encontram levianas e terrenas dificuldades...

... andam aqueles que lamentam o que perderam em vez de olharam para o que podem ganhar...

... andamos todos, de uma maneira ou outra acabamos todos por nos perder... é a nossa Natureza... perder para depois lamentar...

domingo, 18 de janeiro de 2009

As portas... os horizontes...



As portas...
São barreiras... são obstáculos!...

Portas que se abrem... portas que se fecham...
Ornamentam a nossa vida...
Requisitam importância e protagonismo...
Tentam impedir o acesso ao que está para além delas...
Afastam-nos do que se esconde...
Silenciam o que para lá delas se passa...

Dentro da nossa vida haverá portas?
As portas que nos barram a passagem...

Vitiminizamo-nos lamentando não as conseguir transpor...
Impedidos por não as conseguirmos abrir...
Dai-nos as chaves... destranquem as portas...
Abri as portas de par em par...

Ocupados com os afazeres do dia a dia...
Unicamente tentamos encontrar as desculpas mais fáceis...

Uma chave procuramos nós!
Mas... se as portas são parte da nossa vida...
A quem a vamos pedir...?

Vamos tentar encontrar soluções nos outros...
Invés de as encontrarmos dentro de nós...
Desilusões e problemas... sofrimento e dor...
Apenas isso encontraremos!...

Sejamos donos da nossa vida...
Encontremos as soluções...
Minimizemos as portas fechadas e alarguemos os horizontes!...


Portas... ou sem portas... elas estão lá!
Ocultas para os outros... e destrancadas por nós!
Resistamos à tentação de ter medo de as ultrapassar...
Transpor, e não voltar para trás... esse é o verdadeiro desafio...
A cada nova porta aberta... novos horizontes se abrem...
Sigamos sempre em frente... com toda a força e com todas as convicções!...

As portas... os horizontes...



As portas...
São barreiras... são obstáculos!...

Portas que se abrem... portas que se fecham...
Ornamentam a nossa vida...
Requisitam importância e protagonismo...
Tentam impedir o acesso ao que está para além delas...
Afastam-nos do que se esconde...
Silenciam o que para lá delas se passa...

Dentro da nossa vida haverá portas?
As portas que nos barram a passagem...

Vitiminizamo-nos lamentando não as conseguir transpor...
Impedidos por não as conseguirmos abrir...
Dai-nos as chaves... destranquem as portas...
Abri as portas de par em par...

Ocupados com os afazeres do dia a dia...
Unicamente tentamos encontrar as desculpas mais fáceis...

Uma chave procuramos nós!
Mas... se as portas são parte da nossa vida...
A quem a vamos pedir...?

Vamos tentar encontrar soluções nos outros...
Invés de as encontrarmos dentro de nós...
Desilusões e problemas... sofrimento e dor...
Apenas isso encontraremos!...

Sejamos donos da nossa vida...
Encontremos as soluções...
Minimizemos as portas fechadas e alarguemos os horizontes!...


Portas... ou sem portas... elas estão lá!
Ocultas para os outros... e destrancadas por nós!
Resistamos à tentação de ter medo de as ultrapassar...
Transpor, e não voltar para trás... esse é o verdadeiro desafio...
A cada nova porta aberta... novos horizontes se abrem...
Sigamos sempre em frente... com toda a força e com todas as convicções!...

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Morangos...



Morango... esse fruto cor do pecado...
O vermelho que emana da sua superfície...
Redescoberta por outros sabores...
Assediada por outras texturas...
Nunca se deixa confundir ou transformar...
Gostoso ao natural... apetitoso com chocolate...
Oh! Sublime com chantily...
Sexy quando aprimorado com um belo champanhe!...

Comparar o morango à mulher... um desafio... uma tentação...
Óptima mistura... arrojado duelo...
Mulher e o fruto que melhor combina com ela...

Acende o desejo... solta o prazer oculto...
Celestial o momento combinado...
Uhmm... são os encantos da letra M...
Capaz de dar vida aqueles que já não acreditam nela...
Arrojada sociedade... encantadora união...
Reacende chamas outrora extintas... atreves a queimar-te?

Morangos...



Morango... esse fruto cor do pecado...
O vermelho que emana da sua superfície...
Redescoberta por outros sabores...
Assediada por outras texturas...
Nunca se deixa confundir ou transformar...
Gostoso ao natural... apetitoso com chocolate...
Oh! Sublime com chantily...
Sexy quando aprimorado com um belo champanhe!...

Comparar o morango à mulher... um desafio... uma tentação...
Óptima mistura... arrojado duelo...
Mulher e o fruto que melhor combina com ela...

Acende o desejo... solta o prazer oculto...
Celestial o momento combinado...
Uhmm... são os encantos da letra M...
Capaz de dar vida aqueles que já não acreditam nela...
Arrojada sociedade... encantadora união...
Reacende chamas outrora extintas... atreves a queimar-te?

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Ensaio sobre a cegueira...



Calcorreamos estradas... caminhos... vidas...
Entretidos com tudo... entretidos com nada...
Gastamos energias em futilidades e inutilidades...
Obstinados em procurar o amor e a felicidade!...

Quem guarda afinal o segredo, onde se esconde essa felicidade?
Uma pergunta insensata e ignorante...
Encontrar a felicidade é impossível...
Muitos tentaram encontrar o seu esconderijo...

Nunca sendo capazes de o encontrar...
Afastam-se dela a cada nova procura...
Ofuscados mais nada conseguem ver...

Vitória! gritam pensando ter descoberto a felicidade... mas...
Encontrar a felicidade é impossível...

O lugar onde se esconde está onde mais ninguém está...
Um lugar que procuramos nos outros... e ele está dentro de nós!

Quem guarda afinal o segredo, onde se esconde esse amor?
Uma pergunta inteligente e que nos deixa sem resposta...
Encontrar o amor é muito mais do que procurar algo grandioso...
Mais valioso e precioso que todas as riquezas do planeta...

Num sentimento tão grandioso, é curioso observar...
A sua força e magnificência manifestam-se nos pequenos gestos...
Olhares trocados... palavras amigas... gestos de presença...

Segurar o amor é impossível!...
Ele expande-se... mas precisa de ser cuidado a cada dia...
Nunca está suficientemente demonstrado ou seguro...
Tolo, insensato e ignorante o que se julgue dono do amor...
Envelhecerá antes que viva novamente com tanta intensidade.


Ensaio sobre a cegueira...



Calcorreamos estradas... caminhos... vidas...
Entretidos com tudo... entretidos com nada...
Gastamos energias em futilidades e inutilidades...
Obstinados em procurar o amor e a felicidade!...

Quem guarda afinal o segredo, onde se esconde essa felicidade?
Uma pergunta insensata e ignorante...
Encontrar a felicidade é impossível...
Muitos tentaram encontrar o seu esconderijo...

Nunca sendo capazes de o encontrar...
Afastam-se dela a cada nova procura...
Ofuscados mais nada conseguem ver...

Vitória! gritam pensando ter descoberto a felicidade... mas...
Encontrar a felicidade é impossível...

O lugar onde se esconde está onde mais ninguém está...
Um lugar que procuramos nos outros... e ele está dentro de nós!

Quem guarda afinal o segredo, onde se esconde esse amor?
Uma pergunta inteligente e que nos deixa sem resposta...
Encontrar o amor é muito mais do que procurar algo grandioso...
Mais valioso e precioso que todas as riquezas do planeta...

Num sentimento tão grandioso, é curioso observar...
A sua força e magnificência manifestam-se nos pequenos gestos...
Olhares trocados... palavras amigas... gestos de presença...

Segurar o amor é impossível!...
Ele expande-se... mas precisa de ser cuidado a cada dia...
Nunca está suficientemente demonstrado ou seguro...
Tolo, insensato e ignorante o que se julgue dono do amor...
Envelhecerá antes que viva novamente com tanta intensidade.


segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

De repente já nos 30 ...


Dias vão...dias vêm...é o nosso ciclo diário...
Enquanto vão e vêm o que fazemos com eles?

Repetimos as rotinas?
Empreendemos novos projectos...
Partimos a louça toda e vamos à luta...
Enclausuramos as emoções e vivemos...
Nunca sorrindo...nunca correndo riscos...
Transformando-nos em térmitas da sociedade...
Envolvidos na nossa colónia de relações sociais...

Jazem na nossa memória as emoções...
Aquelas que relembramos de outrora!

Nesta perspectivas envelhecemos todos os dias...
Os dias que são como grãos de areia...
Subtraídos na ampulheta da nossa vida!

Todos os dias, todas as horas são únicas...
Repeti-las é de todo impossível e impensável...
Idade...isso não existe...
Nós somos as experiências que vamos coleccionando...
Todos os dias, todas as horas... tornam-nos mais sábios...
A sabedoria rejuvenesce-nos e dá-nos a eternidade!

De repente já nos 30 ...


Dias vão...dias vêm...é o nosso ciclo diário...
Enquanto vão e vêm o que fazemos com eles?

Repetimos as rotinas?
Empreendemos novos projectos...
Partimos a louça toda e vamos à luta...
Enclausuramos as emoções e vivemos...
Nunca sorrindo...nunca correndo riscos...
Transformando-nos em térmitas da sociedade...
Envolvidos na nossa colónia de relações sociais...

Jazem na nossa memória as emoções...
Aquelas que relembramos de outrora!

Nesta perspectivas envelhecemos todos os dias...
Os dias que são como grãos de areia...
Subtraídos na ampulheta da nossa vida!

Todos os dias, todas as horas são únicas...
Repeti-las é de todo impossível e impensável...
Idade...isso não existe...
Nós somos as experiências que vamos coleccionando...
Todos os dias, todas as horas... tornam-nos mais sábios...
A sabedoria rejuvenesce-nos e dá-nos a eternidade!

sábado, 10 de janeiro de 2009

É tempo de SORRIR...


Sorriso simples...

... com os lábios fechados e com os cantos para cima, que é quando uma pessoa sorri para si mesma... (esta é a versão séria)

... este é o sorriso dos sábios... dos conhecedores... pois apenas eles sabem que sorriem e apenas sorriem porque sabem a razão pela qual estão a sorrir...
... este é o sorriso dos marotos... é o sorriso usado pelos cúmplices e para a cumplicidades...
... este é o sorriso de quem tem problemas dentários... na brincadeira e espero que vos tenha feito sorrir... afinal o texto é sobre ele mesmo...o sorriso...

Sorriso para cima...

... com os lábios para cima nos cantos e aberto, usado geralmente quando sorrimos para outra pessoa... (esta é a versão séria)

... este é o sorriso cínico... mostramos o dentes mas no fundo não temos vontade de sorrir...
... este é o sorriso pepsodent...onde mostramos a nossa higiene oral...
... este é o sorriso vip...pois mesmo que a situação seja engraçada imaginem os paparazzi a apanharem o jet7 de boca aberta...ui...que risada geral!

Sorriso largo...

... com os lábios para cima e com os dentes claramente à mostra, usado geralmente quando nos estamos a divertir...(esta é a versão séria)

... este é o sorriso descarado... a pessoa quase se desmancha a rir...
... este é o sorriso que mostra a desgraça dos nossos chumbos nos dentes...

Não sei se consegui, mas o objectivo deste post era mesmo meter quem o lê a sorrir... não sei se existem mais tipos de sorriso... mas para o efeito pouco interessa.

A vida é curta... a vida é séria quanto baste... por isso amigo ou amiga... prezado visitante ou leitor assíduo... SORRIA ... porque RIR é mesmo o melhor remédio!



É tempo de SORRIR...


Sorriso simples...

... com os lábios fechados e com os cantos para cima, que é quando uma pessoa sorri para si mesma... (esta é a versão séria)

... este é o sorriso dos sábios... dos conhecedores... pois apenas eles sabem que sorriem e apenas sorriem porque sabem a razão pela qual estão a sorrir...
... este é o sorriso dos marotos... é o sorriso usado pelos cúmplices e para a cumplicidades...
... este é o sorriso de quem tem problemas dentários... na brincadeira e espero que vos tenha feito sorrir... afinal o texto é sobre ele mesmo...o sorriso...

Sorriso para cima...

... com os lábios para cima nos cantos e aberto, usado geralmente quando sorrimos para outra pessoa... (esta é a versão séria)

... este é o sorriso cínico... mostramos o dentes mas no fundo não temos vontade de sorrir...
... este é o sorriso pepsodent...onde mostramos a nossa higiene oral...
... este é o sorriso vip...pois mesmo que a situação seja engraçada imaginem os paparazzi a apanharem o jet7 de boca aberta...ui...que risada geral!

Sorriso largo...

... com os lábios para cima e com os dentes claramente à mostra, usado geralmente quando nos estamos a divertir...(esta é a versão séria)

... este é o sorriso descarado... a pessoa quase se desmancha a rir...
... este é o sorriso que mostra a desgraça dos nossos chumbos nos dentes...

Não sei se consegui, mas o objectivo deste post era mesmo meter quem o lê a sorrir... não sei se existem mais tipos de sorriso... mas para o efeito pouco interessa.

A vida é curta... a vida é séria quanto baste... por isso amigo ou amiga... prezado visitante ou leitor assíduo... SORRIA ... porque RIR é mesmo o melhor remédio!



quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Se calhar já chega...



Se calhar já chega...

... de ser tão frágil e preocupado... chega de procurar evitar que outros se magoem... chega de sofrer de forma absurda por situações que o não merecem!

Se calhar já chega...

... de ser um lobito ferido... e é tempo de passar a ser um logo mau, tal como alguém advertia há uns tempos aqui no blog!

Se calhar já chega...

... de ser tão transparente... mostrar o sofrimento que me vai na alma de forma tão clara e límpida... é tempo de mascarar o sofrimento com um sorriso e fazer os outros sofrer com o meu sorriso!...

Se calhar já chega...

... de ser inseguro... e ser tempo de assumir quem sou... o que sou... o que gosto e de quem gosto!

Se calhar já chega...

... de me expor... ainda que indirectamente passar a redigir textos mais vagos e abertos e não tão carregados de sentimentos... pelo menos que não transportem sentimentos meus!...

Se calhar já chega...

... de limpar os olhos tantas vezes... nunca por nunca gostei de chorar... por isso é tempo de as lágrimas jamais voltarem a cair por razões que o não justifiquem verdadeiramente!...

Se calhar já chega...

... de dar valor ao que não merece e subvalorizar o que é realmente merecedor!...

Se calhar já chega...

Se calhar já chega...



Se calhar já chega...

... de ser tão frágil e preocupado... chega de procurar evitar que outros se magoem... chega de sofrer de forma absurda por situações que o não merecem!

Se calhar já chega...

... de ser um lobito ferido... e é tempo de passar a ser um logo mau, tal como alguém advertia há uns tempos aqui no blog!

Se calhar já chega...

... de ser tão transparente... mostrar o sofrimento que me vai na alma de forma tão clara e límpida... é tempo de mascarar o sofrimento com um sorriso e fazer os outros sofrer com o meu sorriso!...

Se calhar já chega...

... de ser inseguro... e ser tempo de assumir quem sou... o que sou... o que gosto e de quem gosto!

Se calhar já chega...

... de me expor... ainda que indirectamente passar a redigir textos mais vagos e abertos e não tão carregados de sentimentos... pelo menos que não transportem sentimentos meus!...

Se calhar já chega...

... de limpar os olhos tantas vezes... nunca por nunca gostei de chorar... por isso é tempo de as lágrimas jamais voltarem a cair por razões que o não justifiquem verdadeiramente!...

Se calhar já chega...

... de dar valor ao que não merece e subvalorizar o que é realmente merecedor!...

Se calhar já chega...

terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Existência cruel...



Intolerante... nunca aceitando os outros...
Narcisista... ao ponto de ser incapaz de amar os outros...
Cobarde... não mostrando desde logo os seus pensamentos...
Obtuso... querendo sempre mais dos outros do que o que dá...
Maquiavélico... programando passos que nem sonhados estão!
Promíscuo... por tentar viver várias amizades sendo estas conflituosas...
Rancoroso... desinteressando-se e afastando-se dos que mal lhe fazem...
Equilibrista... vivendo o risco mesmo sabendo que vai cair...
Emersivo... vendo e apenas deixando ver a superfície...
Neurológico... pensando muito e agindo muito pouco...
Soslaio... olhando sempre pelo canto do olho com desconfiança...
Apaixonado... mesmo nos amores impossíveis e irreais...
Omisso... por recusar muitas palavras que o poderiam libertar!

Ocultas na personalidade...serão estas características próprias?
Um ponto de vista...será a realidade diferente?

Racional... tendo medo da mágoa protege-se nos seus pensamentos...
Equilibrado... pesa os prós e os contras e apenas avança de uma posição segura para outra!
Amigo... sempre pronto a ouvir os outros sem nada exigir em troca...
Leal... respeitando os outros não alimenta intrigas e invejas...mas esclarece-as!
Inseguro... desconhecedor de si próprio teme o desconhecido...
Dúbio... na observação e juízo que faz de si para com os outros...
Ambíguo... fazendo com que os outros percebam muito pouco de si...
Desastroso... na forma como avalia e lida com algumas situações...
Espelho... refugia-se em reflectir o bem ou mal que os outros lhe fazem...

Quanta dureza de palavras...quanta amargura no texto...
Uma leitura possível ou apenas o conhecimento da realidade?
Escolhidas as palavras, cada um lhes dá o seu valor e significado...
Muitas leituras... muitos sentidos lhe serão dados...

Somos aquilo que somos? ou moldamo-nos aos outros?
Enfrentamos o que querem de nós? ou não assumimos o que somos?
Respostas... não há... cada uma dará as suas nos seus silêncios...
Existência cruel... aquela que tantas vezes é questionada...
Investidos de força cabe-nos nós dar o sentido e o valor à existência!


Existência cruel...



Intolerante... nunca aceitando os outros...
Narcisista... ao ponto de ser incapaz de amar os outros...
Cobarde... não mostrando desde logo os seus pensamentos...
Obtuso... querendo sempre mais dos outros do que o que dá...
Maquiavélico... programando passos que nem sonhados estão!
Promíscuo... por tentar viver várias amizades sendo estas conflituosas...
Rancoroso... desinteressando-se e afastando-se dos que mal lhe fazem...
Equilibrista... vivendo o risco mesmo sabendo que vai cair...
Emersivo... vendo e apenas deixando ver a superfície...
Neurológico... pensando muito e agindo muito pouco...
Soslaio... olhando sempre pelo canto do olho com desconfiança...
Apaixonado... mesmo nos amores impossíveis e irreais...
Omisso... por recusar muitas palavras que o poderiam libertar!

Ocultas na personalidade...serão estas características próprias?
Um ponto de vista...será a realidade diferente?

Racional... tendo medo da mágoa protege-se nos seus pensamentos...
Equilibrado... pesa os prós e os contras e apenas avança de uma posição segura para outra!
Amigo... sempre pronto a ouvir os outros sem nada exigir em troca...
Leal... respeitando os outros não alimenta intrigas e invejas...mas esclarece-as!
Inseguro... desconhecedor de si próprio teme o desconhecido...
Dúbio... na observação e juízo que faz de si para com os outros...
Ambíguo... fazendo com que os outros percebam muito pouco de si...
Desastroso... na forma como avalia e lida com algumas situações...
Espelho... refugia-se em reflectir o bem ou mal que os outros lhe fazem...

Quanta dureza de palavras...quanta amargura no texto...
Uma leitura possível ou apenas o conhecimento da realidade?
Escolhidas as palavras, cada um lhes dá o seu valor e significado...
Muitas leituras... muitos sentidos lhe serão dados...

Somos aquilo que somos? ou moldamo-nos aos outros?
Enfrentamos o que querem de nós? ou não assumimos o que somos?
Respostas... não há... cada uma dará as suas nos seus silêncios...
Existência cruel... aquela que tantas vezes é questionada...
Investidos de força cabe-nos nós dar o sentido e o valor à existência!


domingo, 4 de janeiro de 2009

Dias de Solidão...



Há dias assim...

... dias em que tudo à nossa volta está a ruir... tudo está a desaparecer... ou seremos nós que fechamos os olhos para não vermos a realidade e sonharmos apenas com os nossos mais puros e profanos desejos...

Há dias assim...

... em que tudo em nós está submerso... tudo em nós se esconde ou melhor se afunda no mar do desgosto... e nos rios da desilusão...

Há dias assim...

... a estrada foge debaixo dos nossos pés... ficamos sem chão... levitamos no vazio... aceleramos a fundo rumo ao infinito...ou até mais além... mas como não temos suporte... não avançamos!...

Há dias assim...

... as nuvens escondem e cobrem todo o horizonte... o sol que outrora raiava no céu está agora morto... apenas o cinzento e a chuva reinam... os céus desabam e as minhas lágrimas inundam os caminhos por onde tento viajar até ti...

Há dias assim...

... dias em que a solidão e a mágoa falam mais alto... dias em que por muito que os lábios possam sorrir a alma chora amargamente e como tal os olhos que são o seu espelho estão tristes e abatidos... dias em que as próprias palavras infligem chagas profundas e grandiosas que despedaçam o meu corpo e coração...

Dias de Solidão...



Há dias assim...

... dias em que tudo à nossa volta está a ruir... tudo está a desaparecer... ou seremos nós que fechamos os olhos para não vermos a realidade e sonharmos apenas com os nossos mais puros e profanos desejos...

Há dias assim...

... em que tudo em nós está submerso... tudo em nós se esconde ou melhor se afunda no mar do desgosto... e nos rios da desilusão...

Há dias assim...

... a estrada foge debaixo dos nossos pés... ficamos sem chão... levitamos no vazio... aceleramos a fundo rumo ao infinito...ou até mais além... mas como não temos suporte... não avançamos!...

Há dias assim...

... as nuvens escondem e cobrem todo o horizonte... o sol que outrora raiava no céu está agora morto... apenas o cinzento e a chuva reinam... os céus desabam e as minhas lágrimas inundam os caminhos por onde tento viajar até ti...

Há dias assim...

... dias em que a solidão e a mágoa falam mais alto... dias em que por muito que os lábios possam sorrir a alma chora amargamente e como tal os olhos que são o seu espelho estão tristes e abatidos... dias em que as próprias palavras infligem chagas profundas e grandiosas que despedaçam o meu corpo e coração...

sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

De mãos dadas...




Navegamos na vida, procurando um destino...
Ocupados com os afazeres, o navio encalharemos...
Velas ao vento...âncora levantada... tocamos o sino...
Oriente...norte...ocidente...sul...para onde iremos.

Ano novo... vida nova... a velha tradição
Novas metas traçamos... e começamos a correr para elas...
Obstáculos encontramos... nunca nos derrubarão!...

Novo ano! E onde está a real diferença...
Os vícios serão os mesmos... os erros serão diferentes...
Vidas chegam... vidas vão... e tudo sem qualquer licença...
Avanços e recuos... caímos e erguemos-nos...
Socalcos da vida que vamos transpondo!

Viva o novo ano! Votos de um grande ano para todos...
Inimigos ou amigos... todos merecem o melhor ano possível...
Dados lançados...resta agora esperar pelas melhores jogadas...
A uma escala maior... longe da nossa pequenez...
Simplesmente um ano de muita Paz para todos!

A Paz não se consegue conquistar...a Paz vive-se!...
A Paz constrói-se no dia a dia...nos pequenos gestos!
A Paz passa por darmos as mãos e formarmos um mundo melhor...

De mãos dadas...




Navegamos na vida, procurando um destino...
Ocupados com os afazeres, o navio encalharemos...
Velas ao vento...âncora levantada... tocamos o sino...
Oriente...norte...ocidente...sul...para onde iremos.

Ano novo... vida nova... a velha tradição
Novas metas traçamos... e começamos a correr para elas...
Obstáculos encontramos... nunca nos derrubarão!...

Novo ano! E onde está a real diferença...
Os vícios serão os mesmos... os erros serão diferentes...
Vidas chegam... vidas vão... e tudo sem qualquer licença...
Avanços e recuos... caímos e erguemos-nos...
Socalcos da vida que vamos transpondo!

Viva o novo ano! Votos de um grande ano para todos...
Inimigos ou amigos... todos merecem o melhor ano possível...
Dados lançados...resta agora esperar pelas melhores jogadas...
A uma escala maior... longe da nossa pequenez...
Simplesmente um ano de muita Paz para todos!

A Paz não se consegue conquistar...a Paz vive-se!...
A Paz constrói-se no dia a dia...nos pequenos gestos!
A Paz passa por darmos as mãos e formarmos um mundo melhor...