quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

A Fruta proibida...



Sobre a minha cama te deitaste!
Oh!Sim... que suavidade... que calor...
Brotaram dos nossos corpos...
Ruborizados... incandescidos... incendiados...
Enlace perfeito ou fruto do acaso!...

A tua nudez cegou o meu olhar...

Movido pela tua áurea...
Iluminado pela tua fragrância a desejo...
Não hesitei nos meus passos...
Habituado a outras paragens... outros destinos...
Alvitrei-me diante de ti...

Com as tuas mãos macias
Avançando sobre aqueles que nos acolhiam...
Momento eterno... momento único...
Avançaste lentamente fazendo subir em mim o desejo!...

Tocaste-me finalmente... parecias receosa...
Elevou-se em mim o que de mais puro e belo possuía...

Deslizaste o teu corpo sobre o meu...
Enquanto isso prendias as minhas mãos...
Imediatamente percebi, o controlo seria teu!...
Tão poucos segundos...mais parecido com uma eternidade...
Aliciaste-me lentamente... avançando ainda mais...
Senti todo o teu calor... toda a tua chama...
Todo o desejo outrora latente, crescia agora...
E num gesto descuidado da tua parte senti-te...

E juntos fomos consumidos pelo desejo...

Jazia prostrado sobre a minha cama...
Ungido pela tua essência... colaborei no teu encantamento...
Naturalmente deixei-me levar nos teus carinhos...
Tocaste-me levemente... tremi... de loucura... de prazer...
Os músculos do meu corpo manifestaram-se...
Sorriste!ao sentir o meu ventre contrair...

Focaste a tua atenção no meu ventre...
Obrigaste-o a fazer-te sorrir novamente...
Melindrado pela tua descoberta...
Observei todos os pormenores e expressões que produziste...
Silenciosamente percebi o teu deleite...

Curvaste-te sobre o meu corpo...
O toque húmido... quente...
Num relance vi... continuavas o caminho...
Sinuosamente avançavas rumo a um destino...
Um destino apenas por ti conhecido...
Meticulosamente tocaste...
Impetuosamente vivias cada momento...
Deliciado... maravilhado... procurei encontrar-te...
Obrigaste-me a deitar novamente...
Sabias o que fazias...e ainda não tinha chegado o meu tempo...

Percebi isso... o comando era definitivamente teu...
Esperar!não... teria apenas que seguir o teu plano...
Ludibriaste as minhas intenções...
Ofuscaste todo o calor da noite anterior!...

Discretamente deixaste finalmente que pudesse entrar em ti...
Eloquentes... ateámos chamas de si já incontroláveis!
Silêncio partira de vez... o prazer apoderou-se das nossas vozes...
Elevei-me para junto do teu corpo sentado sobre o meu...
Jocosamente desfrutámos cada segundo, minuto...
O tempo parou!e... caímos sobre o braseiro dos nossos lençóis!

1 comentário:

carmemlucia disse...

Só o titulo já dava para sentir
que teria diante dos meus olhos
algo muito interessante.
Mas como sempre vc me surpreende.
Desta vez ao ler o texto me senti vitoriosa.
Sabe porque?
Por ter feito da mulher alguem com atitudes, senhora dos seus encantos, do seu poder de sedução.
Que sabe o poder que pode causar se assim o desejar num homem.
Hum.... gostei de ver a submissão deste enamorado!