quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Pureza Ruborizada...



O dia ia longo, as estrelas iluminavam a noite.

Vi-te por entre as outras pessoas...
Entraste... não apenas naquela noite
Reivindicaste um lugar... ou terei sido eu a reservar-to...
Maravilhaste e iluminaste a escuridão daquela noite...
Escuridão e vazio em que o meu coração estava a cair...
Livre na altura não era... apenas te contemplava de longe...
Havia em mim algo que me pedia mais...
O respeito e lealdade travaram esse ímpeto...

Suspirei por ti, posso agora reconhecer...
O difícil parece agora possível... será mesmo?
Bebi um pouco da tua essência...
Reconheço agora o que me terá cativado...
Em sonhos me visitaste... e em sonhos me visitas!...

A outrora indiferença trouxe mais...

Penso agora... não o devia fazer...
Uma oportunidade surgiu... o que fazer?
Redescobri em ti uma amizade...
Encontrei de novo a confiança
Zelo, preocupação, companheirismo...
Amizade... esse amor sem asas para voar!...

Dúvidas... sim muitas...
Esperança... imensa...
Livre me sinto quando palavras troco contigo...
Enquanto estou perto de ti... sorrio
Indiferente a tudo isso... não sabes o que se passa...
Tudo se saberá... o barco encontrará o porto certo...
Amizade e confiança são eternas... a nunca perder...
Deleito-me com o que tenho... ansiando sempre mais um pouco...
O tempo e tu me dirás se o poderei ter!...

1 comentário:

carmemlucia disse...

Este é um poema tão belo
Tão meigo. Que vem desprovido da altivez
Para ser amor amizade doação.
Frases divinas,que entram na alma
fazendo morada.
Cada texto eu fico mais admirada
com tuas palavras, teu carisma.
Tu é contagiando com estes poemas lindos, que faz meus pensamentos levitarem mas asas da emoção!