domingo, 1 de fevereiro de 2009

Sem fôlego...



Os nossos corpos arfavam... arfavam... caídos... esgotados...
Tínhamos chegado, após percorrermos aquela estrada...
Sim! aquela que nos conduziu rumo ao vale do prazer...

Desgostámos um belo vinho... aquecido pelo braseiro...
Aquele que dentro de nós nos consumia...
A sua cor pintou-nos com uma paleta de tons e sabores intensos...

Nessa paleta seleccionámos duas cores...
O vermelho, intenso... saboroso... quente...
e o castanho, doce... derretido... provocante...
Sim! qual manjar dos deuses... antes o banquete dos amantes...
Os intensos morangos... cruzados com o provocante chocolate...
Uhmmm! que deleite... que prazer...quase tão intenso como...
Não! Antes parte do intenso prazer...

Possuídos... ou seria consumidos...
Não seria certamente o mais importante...
Brincámos... trincámos... lambemos...
Pequenos pingos do já de si derretido chocolate
Estrategicamente se colaram nos nossos corpos...
Quantas sensações incógnitas...
Quantas possibilidades... quanta intensidade...
Cada toque... uhmmmm...
Ao nosso redor tudo ia também saboreando do nosso banquete!



A cada brincadeira abrimos a porta para a seguinte...
E mais... e mais...
A cada brincadeira abrimo-nos... prontos para sentir...
E mais... e mais...
Recordo aquela gota marota...
Aquela que beijou o teu mamilo...
Interessante a tua reacção...
O teu retrair do corpo... terias-te magoado...
Não... o teu sorriso não enganava...
O desejo e prazer também em ti crescia...
Crescia num ritmo galopante e imparável...
Descuidadamente ou não...
Quiseste retribuir as sensações que vivias...
Aquele beijo caloroso deixou-me louco...

Seria caso para dizer...
As coisas estavam sérias...
Os nossos olhares lançavam chamas de amor...
Chamas ardentes de prazer... tentando incendiar ainda mais o outro...
Num passo melodioso os nosso corpos em uníssono
Marcaram o mesmo compasso...
Um Mi por cima de Si...
Compusemos então uma sinfonia...
Uma partitura... nem sei o que lhe chamar...
Vivemos algo de maravilhoso...
que nos levou onde estamos agora...
aqui lado a lado...
com o coração a saltar do peito...
falta-nos o ar...
damos as mãos...
trocamos olhares...
nada dizemos... mas tudo lemos no outro...
Doce e intenso prazer de poder dizer...

Sem Fôlego...




2 comentários:

António Luís disse...

Como diria Bart Simpson na sua eloquência larga...
...Ai Caramba!

Caroteno disse...

De facto terá ficado longo...mas o título é "Sem Fôlego" não podia facilitar a vida aos leitores...hehe...

O Bart...esse gand maluco...

brigadão meus amigos leitores...são a força deste blog.