quinta-feira, 5 de março de 2009

Desejei ...


Olhos que não vêem coração que não sente...
Secretamente os meus olhos viram e o coração sentiu...

Minutos, horas, dias me deixaram longe de ti...
Esgotei o desejo... revivi o dia em que te vi...
Uma, duas, três... vezes sem conta e sem as poder contar...
Segredo guardei, do tanto que te amei, desde o dia que te vi...

Oh, como era possível suportar toda aquela ânsia...
Levemente... com uma leveza apenas vista nos teus passos...
Havia em mim ainda um pouco do perfume do teu andar...
O dia teve ocaso... finalmente a noite tinha chegado...
Suspirava por ti... pela felicidade que transportavas...

Partiu-se meu coração ao ver-te triste...
Um desgosto, uma mágoa... certamente algo doloroso...
Detive os meus passos...
Estando comigo em pensamento não o podia fisicamente...
Retirei todas a intenções de no momento te acolher...
Acolher em meus braços e te reconfortar...
Mantive o olhar atento...

Ver-te foi bom... mas de coração partido fiquei...
Entristecido... angustiado... impotente...
Revoltado... desejando o teu conforto...

2 comentários:

carmemlucia disse...

Esta parte do texto diz tudo:

Secretamente os meus olhos viram e o coração sentiu...
Este é o verdadeiro amor.
Quando alguem consegue enxergar e sentir o que se passa com a pessoa amada,antes mesmo do desejo da posse. você consegue transformar teus poemas em algo tão real, mas com tamanha suavidade que me encanta!

Joaninha disse...

Sorte de quem tu olhas e secretamente desejas, secretamente o teu coração sente e sofre... mas deixa que te dê uma opinião... passa o secretismo à realidade!! Com estas palvras lindas que dizes e sentes...... tudo está a teu favor!!