segunda-feira, 9 de março de 2009

Twilight ... amores destes...



Quando é que se ama alguém?
Quando pensamos nessa pessoa?
Quando suspiramos por essa pessoa?
Quando ansiamos por essa pessoa?
Quando sentimos a sua falta mais do que tudo?
Quando contamos cada segundo até estarmos de novo junto dela?
Quando tentamos exprimir o que sentimos e a boca seca?
Quando tentamos escrever o que sentimos?
Quando agimos de forma a que ninguém nos reconhece?

Se respondeste SIM a todas estas perguntas e pensas que amas alguém... eu diria estás longe disso!

As afirmações que estão em cima...
São meras trivialidades...
Amamos quando lutamos para que o possamos concretizar!
Amamos quando tudo fazemos para que o outro esteja feliz!
Amamos quando vivemos na felicidade do outro!
Amamos quando mais do que dizer que somos capazes de fazer tudo por essa pessoa... o fazemos realmente e não por meras palavras!
Amamos quando esquecemos diferenças... idades... cores da pele... vemos apenas a alma de quem amamos... tudo o resto são meros acessórios!
Amamos quando não podendo fazer feliz quem amamos tudo fazemos para que o seja!
Amamos quando sorrimos por imaginar o sorriso de quem amamos!
Amamos quem nos desperta a felicidade existente dentro de nós!
Amamos muitas vezes quem nos sorri... mas devemos sim amar quem sofre por nós... pois quem nos sorri não nos ama... mas quem nos ama sofre por nós... mesmo estando longe de nós!

Amar... amar... quatro letras tão banalmente usadas!
Palavra usada em vão muitas vezes e que tanta mágoa causa!

Quem nunca amou demais nunca amou verdadeiramente!

Quem puder veja o filme... acho que até é muito interessante...

6 comentários:

Nokas disse...

Olaaaa...por acaso quero ver esse filme...
bonito texto...
Bjo

Caroteno disse...

é um bom filme...
Claro quem pense que por ser um filme de vampiros vai ser sangue sempre a correr pelas paredes e pelo pescoço... engana-se!

é um filme romântico e sobre um grande sentimento...o Amor... incondicional e capaz de ultrapassar até a relação de predador-presa.

Nokas... vê assim que puderes vais gostar!

António Luís disse...

Quando leio os teus textos, reduzo-me a uma total incapacidade para poder dissertar duas letras sobre os temas que abordas, afinal o tema que paira sobre o "Cidade Dos Anjos".
Sou incapaz de discorrer sobre o romantismo que aqui transborda, não sou sequer encartado nem encartável para o fazer.
Limito-me, isso sim, a admirar a capacidade e o à vontade que tens, como homem, em te entregares a um tipo de escrita, perdoa-me a eventual dureza da afirmação, não tão dada aos homens.
Não digo que não seja romântico, porque serei um pouco. Mas seria incapaz de, com a tua facilidade e frequência, expor o tema ao olho crítico dos leitores, aos seus juízos de valor, ao que perpassa do que escreves, seja pelo conteúdo, seja pela forma!
Conhecendo e vendo o entusiasmo com que escreves e falas sobre o que escreves, rendo-te a minha admiração!

Caroteno disse...

Caro António...

Essa é a afirmação que mais ouvi desde que o blog se tornou conhecido e que vou falando com as pessoas sobre ele...muito poucas pessoas acreditam que seja eu a escrever os textos... mas a realidade é que eles saem cá bem de dentro... a carga que transportam... essa é a carga que o momento inspira... escrevo pelo prazer da escrita... e durante muito tempo aqui no blog fugi (e agora já sabes porquê) desse tema que tanto custa a abordar... o AMOR!

Joaninha disse...

Nunca mais me esqueço desta frase, que não sei se a ouvi ou li em algum lado... Mas amor é... "deitarmo-nos a pensar numa pessoa e levantarmo-nos a pensar nela ainda"... Para mim esta frase traduz o que é amar.. pensar a toda a hora nessa pessoa, sonhar com ela, desejar estar com ela e sorrir ao pensar nela!!

Caroteno disse...

Sim, amar uma pessoa é deixá-la viver dentro de nós próprios... acolhe-la e cuidar dela!