sábado, 7 de março de 2009

Vi ...


Quando eu era pequenino, ainda mal abria os olhos...
Uma grande visão... um grande momento me fez ver...
A tua luz quase me cegou... e eu deixei!...
Num passo mais belo que os passos de dança
Deste-me a conhecer a tua presença...
Omissa e distante... talvez refugiada de outras tristezas...

Uma aproximação... um olá...
Mais longe que isso... um beijo...

Devaneios do momento... o barulho das grilhetas...
Inevitavelmente me fizeram parar de voar...
Ainda não era um pássaro livre... não podia voar...

Teimosamente os meus olhos procuravam-te na multidão...
E eu deixei... quebrando todas as leis sem reservas nem pudores...

Como por magia... ou por insistência minha...
O teu nome fiquei a conhecer...
Num momento de rara beleza... sonhei um dia...
Há sonhos para não contar... sonhos para recordar...
Estava preso e tu fizeste-me querer voar...
Carimbaste o teu nome dentro do meu peito...
Incendiaste a tua chama no meu coração!

Sem comentários: