segunda-feira, 4 de maio de 2009

Estranho...


Estranho...

... será este modo de vida... onde tão difícil é sermos surpreendidos...

Estranho...

... este mundo onde vivemos... onde parece que não pertencemos...

Estranho...

... será encontrar alguém... que partilhe a mesma estranheza...

Estranho...

... é viver... pois vivendo tudo o resto pode acontecer...

Estranho...

... serei eu, serás tu... pelo menos até que o estranho desapareça...

Estranho...

... no mundo sem palavras... perceber-se tão bem o que dizes...

Estranho...

... é um estranho tanto gostar de ouvir o que um estranho tem a dizer.


4 comentários:

carmemlucia disse...

Tua capacidade de fazer textos com temas completamente diferentes um do outro dá a certeza que és um grande escritor.
Não acho dificil sermos surpreendidos, vc vive fazendo isto comigo.Desta vez fez algo para deixar-mos a questionar o que seria realmente Estranho:
Será nós ou nosso modo de ver ou de ser no mundo de hoje.
Mas o estranho existe?
Adoro teus enigmas!!!

António Luís disse...

Muito bom!

Nanda disse...

Estranho é não ter a sensibilidade de ver como vc ve as entrelinhas que existe em nossa vida... ao nosso redor...

belissimo texto...
como sempre...

beijos e boa semana

Caroteno disse...

A escrita é fantástica exactamente porque de acordo com as palavras que escolhemos assim podemos dar diferentes tons à pintura que fazemos quando escrevemos...

Carmem, tal como tu sabes...os enigmas e o mistério são um tema muito querido para mim...se ao escrever conseguir apelar a eles...então já sabes que não tentarei evitar...

António, apesar de poucas palavras, um grande obrigado... pois são importantes.

Nanda, se bem me lembro este será o primeiro comentário por aqui [se não for desde já as minhas desculpas], sê benvinda e é com grande agrado que vejo que as simples palavras que escolhi para este texto te tocaram... pois a nossa vida é rodeada de estranhos...quando sentimos a proximidade pelas palavras de alguém é bom acolhermos. A vida cada vez mais se vive nas entrelinhas...obrigada pelos elogios... e até já...

Beijos para as meninas... um abraço ao companheiro António!