quinta-feira, 11 de junho de 2009

Amanhecer...


Não tenhas medo... murmurei baixinho ao teu ouvido...
Pertencemos um ao outro...

Senti o teu corpo estremecer...
Parecias esmagada pelas minhas próprias palavras...

O momento era perfeito e verdadeiro...
Sem outra forma de o ver ou sequer tentar negar!...

Contornando o teu corpo...envolvi-te com os meus braços...
Apertei o teu corpo contra o meu...
Uma corrente eléctrica percorreu todo o meu corpo...
Todas as extremidades dos nossos corpos...
Todos os nervos foram tocados pela corrente...

Será assim para sempre...
Por toda a eternidade...

2 comentários:

António Luís disse...

Bom fim de semana, com bons amanhecer como este!...

Até breve!

RETIRO do ÉDEN disse...

Caroteno,
....
E este silêncio
de duas mãos que se procuram
no amor entrelaçado das aranhas...

in Poesia III JGFerreira

Forte abraço
Mer