sábado, 13 de junho de 2009

Vida Suspensa...



Vida suspensa... vida parada!...
No suspense da vida viajamos...
Na corda... no arame frágil tentamos alcançar a outra margem...
Um empurrão... um passo mal dado e o chão é o destino...
Na corda da vida... temos como segurança a rede furada...
Paramos por momentos... ou estagnamos na vida...
Precisamos de alguém... um impulso forte e decisivo e voltamos a avançar...
Quem terá esse condão... o que terá esse condão...
Os click´s que não vemos... os click´s que não ouvimos!...
Procuramos manter a vida a correr...
Por vezes ela apenas anda...
Outras em que rasteja...
E ainda os momentos em que paramos....
Quem é que é capaz de nos fazer tanto mal...
Quem nos faz parar a vida!?...
Não sei... não quero saber...
Apenas quero distância...
Distância de quem tanto mal é capaz...
Distância de quem tanto sofrer faz.

5 comentários:

Sil disse...

Oi!!
Descubri casualmente o teu blog, ao navegar pela Net e me encantei com teus escritos.
Ia escrever, pedir licença, para reproduzir no meu blog alguns textos, mas fiquei meio sem jeito.
Fiquei muito satisfeita que tenhas gostado, e espero que não te incomode se copiar outors, claro que sempre respeitando o direito autoral.
Obrigada pelas, palavras e visite sempre que quiseres o meu blog.

Ailime disse...

Muito obrigada pelo seu comentário no meu cantinho!
Era já bastante tarde e nem me recordo se pedi licença para entrar no seu espaço, pelo que peço desculpa.
Andava à procura de uma imagem na Net e penso que deixei a mensagem num texto seu que me pareceu ser de 2008.
Achei lindo e comentei.
Estive agora a espreitar "A Cidade dos Anjos" e gostei muito dos seus poemas, da maneira como escreve!
Toca-me.
Gosto muito de poesia e gostaria de lhe perguntar se o posso acrescentar à minha lista! Um beijinho e votos de um bom domingo.

Amorrdias disse...

Escrever é uma arte, e os seus poemas sempre falam do que sentimos, e acaba consolando a alma que muita das vezes está sofrida.
Obrigada pelo espaço.

Caroteno disse...

Escrever para mim é muitas vezes um lavar da alma... outras a voz da própria alma...
Se com o que escrevo consigo tocar assim a alma das outras pessoas, é uma grande honra.

Obrigado por palavras tão elogiosas, as quais nem sempre sei se mereço receber, mas agradeço na mesma.

RETIRO do ÉDEN disse...

Caroteno,

A predestinação longínqua do homem é tornar-se como o próprio Deus, aproximar-se cada dia mais da Sua sabedoria, do Seu amor, do Seu poder, e manifestá-los na sua própria vida.
Assim, se a predestinação é ser poeta, deverá dirigir-se e organizar-se, nesse sentido, para cumprir a sua grande e longínqua predestinação: tornar-se como o seu Pai Celeste.
in: Omraam
Forte Abraço
Mer