segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Um dia...


Um dia sonhei poder ir mais além...

Um dia vou sair à rua e gritar que sou feliz...

Um dia irei publicar um livro...

Um dia vou pedir-te em casamento...

Um dia irei fazer-te uma serenata ao luar...

Um dia deixarei de sonhar e passarei a viver...

Um dia... um dia deixará de ser um dia para ser o dia...

Um dia deixou de ser o meu dia para passar a ser o nosso dia...

Um dia escrevo algo sobre este dia...

Um dia sonhei...
Um dia acordei...
Um dia sofri...
Um dia te encontrei...
Um dia voltei a sonhar...
Um dia voltei a viver...
Um dia viajei...
Um dia em ti me encontrei...
Tanto fiz num dia... num pequeno dia...
Agora quero passar deste dia ao restos dos meus dias!...

2 comentários:

António Luís disse...

Meu caro amigo!
Sem me considerar especialista (pois...), acho muito criativa a forma como estruturas os teus poemas...
Achei muito interessante esta última.

A estruturação das frases obriga a uma atenção que permite absorver melhor o conteúdo!

À medida que o tempo de vai passando, noto-te muito mais seguro para inovar do ponto de vista estrutural!
É bom evoluir e não estagnar numa ou numas formas que poderiam tornar a tua escrita/arte em algo demasiado repetitivo/previsível e redundante!
Parabéns!

IB

Caroteno disse...

Meu caro amigo,

É com elevadíssima estima que registo a tua muito atenta e ponderada reflexão sobre este texto e sobre a forma como vou escrevendo/estruturando.
Sendo ou não especialista, sabes que és uma opinião muito apreciada e considerada.
Apesar da limitação existente no enquadramento dos textos, tendo aliar o texto à sua forma e conteúdo. Não sou especialista, nem perto disso, sou um curioso e interessado na escrita.

Grande amigo, obrigado por mais esta visita.

Um abraço e espero que tudo esteja a correr pelo melhor.