segunda-feira, 29 de março de 2010

Saudade...



Os peixes sem água sufocam...
As aves sem asas perdem a sua liberdade...
Eu sem ti...
Sinto a dor intensa no meu peito...
Sinto a falta de ver a minha felicidade espelhada nos teus olhos...
Preciso de ti...
Vem comigo construir o espelho do que nos une...
Vamos abraçar a teia que a vida à nossa voltam construiu...
Os errantes perdidos vagueavam...
E à beira de um lago se encontraram...
No reflexo das águas calmas sorriram...
Não era o seu reflexo que viam...
Apenas um desconhecido que sempre pareciam procurar...
A calma do lago...
A entrega e liberdade das águas...
Trouxeram-me à tua presença...
Tenho saudades de ti...
Vejo-te no interior dos meus olhos...
Sinto o teu aroma preencher os meus pulmões...
Toque a minha pele a fervilhar...
Corres dentro de mim...
Fazes-me corar...
As minhas pernas tremer...
Tenho saudades de ti...

Sem comentários: