quarta-feira, 12 de maio de 2010

A dor...

 

Socorro...
Sinto o peito a arder!...
Sinto as forças a desaparecer...
Esta parece uma guerra perdida à partida...
Será?...
Nunca na vida desisti...
Também nunca senti algo assim!...
A dor que percorre o meu corpo...
Cada ponto... cada célula...
Sinto a tua falta...
Percorro o pensamento procurando-te...
Sinto-te longe...
Quero-te mais perto...
Luto... e avanço...
Até ti quero chegar!...
Contra a dor luto com todas as forças que me restam...
A dor insuportável consome-me...
Preciso de ti...
Alivia-me esta dor!...
Vem socorrer-me... corta com esta dor!...

3 comentários:

alegna disse...

Para o sentimento que está dentro de mim hoje, ler o teu poema ainda intensificou.... Só tenho a dizer que está muito sentimental, saudoso,...de resto nada mais consigo dizer. Adorei.

Abraço e até amanha ;)

Angel disse...

Como pode uma ausência doer mais que qualquer ferida física? Pois é assim... Me reconheço nesse texto, como em muitos outros que já li aqui...

Fiquei feliz por não ter abandonado o blog.

Abraço!

Caroteno disse...

A dor da ausência em nada se compara à dor física... essa é passageira... a dor da ausência aumenta a cada segundo que passa!

Este blog tem também esse objectivo... que as pessoas se possam rever em palavras tão simples e que assim possam pensar...

Como dizia no texto, nunca iria dar esse prazer a quem tanto mal causou! no máximo teria que tomar medidas ainda mais restritivas...

Abraço!