sexta-feira, 28 de maio de 2010

Possui-me...



Observo o tremer dos dedos...
Quando lá fora os termómetros derretem ao sol...
Sinto as pernas vacilar...
Tremendo mais que as canas agitadas por um tornado...
Sento-me sobre este chão...
Dentro de mim o sangue ferve...
O coração acelera...
A velocidade aumenta...
A vertigem de não o poder controlar consome-me...
Quero mais...
Mais calor... mais vertigem... mais tremor...
Quero...
Desejo...
Fecho os olhos...
Por entre a escuridão uma luz me ilumina...
Entre o sangue já em ebulição...
Vejo o teu rosto...
Nele um sorriso que me ilumina...
Tento parar os dedos...
Procuro palavras que te possam descrever...
Tento vociferar o que no meu interior eu sinto...
Tento... mas fico mudo...
As palavras não saem...
O coração acelera ainda mais...
Todos os meus sentidos despertam para ti...
Sinto o teu aroma...
Os meus lábios saboreiam ainda o teu banquete...
A minha pele toca ainda a suavidade da tua...
Dentro de mim ecoa a tua voz melodiosa e doce...
O meu interior está repleto de ti...
Sinto-me pleno... inteiro...
Sinto ainda o rubor da minha pele...
O coração bate mais forte e rápido...
Ainda sobre este chão...
Espero por ti ardendo em paixão...
Vem... vem depressa e sem demora...
Vem...
Possui-me...
Deixa-me alimentar-te com este fogo...
E juntos ardermos no fogo deste desejo e prazer!...

3 comentários:

Isabel Serrano disse...

Não temas esse tremor...deixa acontecer!
Solta esses termómetros para que possam fugir de um calor só nosso...
Passa de um vacilar a um rejúbilo..
Abraça esse tornado na tua mente....
Não tenhas medo estaremos juntos...
Sentas-te e eu sento-me ao teu lado...
Vamos ferver um único sangue
Misturá-los para que seja um
Não controles..absorve esse velocidade daquilo que move esse coração
Pede-me ....dar-te-ei
Dou-te tudo pois já sou tua...
Uma luz? várias luzes...
Aqueles que procuras ...encontrarás
Vês e imaginas
Serei o que quiseres
Desenha-me...define-me
Não me descrevas...
Une-me!
Vamos esquecer..esquecer nossos corpos
Nosso sabor...
Nosso aroma...
Funde-me e seremos uno
Alimenta-me sim...
Alimenta-me desse alimento
A quem cantando e gemendo chamamos de paixão!
Vou depressa...Chegarei a ti
Sei que me esperas e que ainda ardes para mim...

Isabel Serrano disse...

Este texto poderia servir de resposta ou não...mas pelo menos para mim!

gostei imenso...lindo e intenso!

:)*

António Luís disse...

Vou passando.
Vou lendo.
Umas vezes em silêncio.
Outras, como agora, constatando que o "poeta" vive por cima dos espinhos das tantas flores que escreve!

Abraço atlântico!