sábado, 19 de junho de 2010

Raridade...



Raro...
Raro é um amor verdadeiro...
Cuja razão de existir é dar verdadeiro sentido à vida...
Raro é poder olhar-te nos olhos...
E neles poder ver o brilho do mar...
Raro é encontrar-te assim minha flor...
Perfumada... resplandecente... voltada para mim...
Raro é poder ver o teu sorriso...
E nele ver o rosto da felicidade...
Raro não sou eu... não és tu...
Raro é conseguir-se que exista um nós...
No qual conseguimos ter o melhor de cada um...
O diálogo... o abraço... o beijo...
Raro é poder conciliar o tempo...
E no tempo poder parar...
No tempo poder sorrir...
E com tempo contigo poder estar...
Raro...
Raro é poder sorrir...
Quando a tua voz sonho em ouvir...
Raro é poder viver...
Com a alegria de te poder voltar a ver...
Raro...
Raro é o que sinto por ti...
Sim por ti... a quem este poema dedico de todo o coração!...

Sem comentários: