terça-feira, 27 de julho de 2010

A minha aldeia...



Quis o destino que um dia...
Nessa aldeia pequenina fosse nascer...
Quando nem o canto do cuco se ouvia...
Nem o sol se via aparecer...

Aldeia com muito pouca população...
Onde o verde domina a paisagem...
Já é longa e rica a sua tradição...
E por isso um destino para a sua viagem...

Pequeno casario de paredes caiadas...
Onde o xisto revestia os telhados...
Hoje com tinta as casas foram pintadas...
E os penedos de seixo das ruas foram arrancados!...

Em plena Serra do Açor...
Com vista para a Mata da Margaraça...
É aí que Relva Velha ganha cor...
E onde as pessoas vivem felizes e com graça...

Em três quadras vos apresentei...
A aldeia que me viu nascer...
E assim também vos mostrei...
Onde busco inspiração para alguns textos escrever...

Com estas palavras me despeço...
Com a certeza de um dia voltar...
E com grande sinceridade vos peço...
Que um dia me venham cá visitar!...

Sem comentários: