quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Ausência...



A tua ausência dói...
Os segundos que sem ti parecem séculos...
Os dias... eternidades que nunca têm fim...
Uma dor que consome...
Que atormenta...
A tua ausência dói...
Mata quando ao meu lado estás ausente...
Quando te abraço e tu não estás lá...
Uma dor que destrói...
Que me destrói...
A tua ausência...
É tempo viajado sem um rumo...
O rio que corre sem saber onde é o seu mar...
Uma realidade não real...
Ausência...
Tudo o que preciso agora é a tua ausência...
Encontrar um rumo e viver sem a dor!...

2 comentários:

alegna disse...

Sim,...a ausência dói e muito...e serve para testar a nossa capacidade de a conseguirmos ultrapassar..
ao ultrapassarmos a ausência, não quer dizer que deixamos de amar, mas quer dizer sim, que sobrevivemos para amar ainda mais...
mas às vezes é preferivel uma ausência total, do que uma volta enganosa, que só serve para brincar com o coração, aí sim não será amor nem sobrevivência, mas uma transformação total de sentimentos, uma derrota para o coração...pois para se viver sem dor, o coração tornar-se-á frio...terá de se adaptar a outro modo de sobrevivência.....

Abraço!

Angel disse...

Maldita saudade que insiste em fazer cia!