domingo, 31 de outubro de 2010

Entendimento...

Mais um tema muito bom, pelo menos na minha modesta opinião...


Música da banda sonora do filme Corvo... muito boa a música... não concordam?!

Entendimento...

Mais um tema muito bom, pelo menos na minha modesta opinião...


Música da banda sonora do filme Corvo... muito boa a música... não concordam?!

sábado, 30 de outubro de 2010

Muito poderosa...

Neste sábado deixo-vos uma música muito poderosa... um pouco sinistra para as mentes mais susceptíveis, outros a irão reconhecer de um programa de TV... apreciem apenas o som... sintam o seu poder e a sua força!

Muito poderosa...

Neste sábado deixo-vos uma música muito poderosa... um pouco sinistra para as mentes mais susceptíveis, outros a irão reconhecer de um programa de TV... apreciem apenas o som... sintam o seu poder e a sua força!

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Aromas...



Aromas...
A identidade de quem conhecemos...
A presença sempre presente de quem mais gostamos...
O doce aroma do teu beijo...
O perfume doce da tua pele...
Onde recordo o teu leve toque...
O suave arrepiar...
A leveza e a suavidade!...
Aroma salgado do mar...
Aquele que seca os meus lábios...
Efeito surpreendente...
Fazendo desejar banhar-me nos teus...
Aromas...
Doces... salgados... ácidos...
Como os reconhecer?!...
A prova de sabores...
O banhar de dissabores...
Aromas que recordo...
Aromas que sinto...
Adoro sentir-te nos cheiros que me rodeiam!...

Aromas...



Aromas...
A identidade de quem conhecemos...
A presença sempre presente de quem mais gostamos...
O doce aroma do teu beijo...
O perfume doce da tua pele...
Onde recordo o teu leve toque...
O suave arrepiar...
A leveza e a suavidade!...
Aroma salgado do mar...
Aquele que seca os meus lábios...
Efeito surpreendente...
Fazendo desejar banhar-me nos teus...
Aromas...
Doces... salgados... ácidos...
Como os reconhecer?!...
A prova de sabores...
O banhar de dissabores...
Aromas que recordo...
Aromas que sinto...
Adoro sentir-te nos cheiros que me rodeiam!...

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Coração...


Tantas vezes ferido...
Tantas vezes maltratado...
Imensas vezes acarinhado...
Inúmeras vezes amado!...
Coração meu...
Voa hoje para lá do alto dos céus...
Anuncia ao mundo as tuas asas...
Prontas para voar...
Prontas para abraçar!...
Meu coração...
Grita bem alto...
Bem forte...
Que o teu bater faça eco por esse mundo fora...
E anuncie aos quatro ventos...
Que para lá dos maus momentos...
Estás sempre pronto para amar!...
Fazendo de mim um ser livre de sonhar!...
Coração meu... voa bem alto!
Sem pressas ou correrias...
Mas sim com vontade de muitas alegrias!...

Coração...


Tantas vezes ferido...
Tantas vezes maltratado...
Imensas vezes acarinhado...
Inúmeras vezes amado!...
Coração meu...
Voa hoje para lá do alto dos céus...
Anuncia ao mundo as tuas asas...
Prontas para voar...
Prontas para abraçar!...
Meu coração...
Grita bem alto...
Bem forte...
Que o teu bater faça eco por esse mundo fora...
E anuncie aos quatro ventos...
Que para lá dos maus momentos...
Estás sempre pronto para amar!...
Fazendo de mim um ser livre de sonhar!...
Coração meu... voa bem alto!
Sem pressas ou correrias...
Mas sim com vontade de muitas alegrias!...

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Castelos...



Das pedras que recolho na minha vida...
Dos pequenos grãos de areia sonhados...
Construo a minha fortaleza...
Construo o meu castelo...
Um castelo de areia e fantasia...
Um forte de luz a presença...
Uma muralha poderosa e permeável...
Castelos de areia...
Construídos sobre a linha da tua água...
Castelos de força e poder...
Das areias da fantasia...
Recolhidas dos sonhos sonhados...
Cimentadas nos sonhos vividos!...

Castelos...



Das pedras que recolho na minha vida...
Dos pequenos grãos de areia sonhados...
Construo a minha fortaleza...
Construo o meu castelo...
Um castelo de areia e fantasia...
Um forte de luz a presença...
Uma muralha poderosa e permeável...
Castelos de areia...
Construídos sobre a linha da tua água...
Castelos de força e poder...
Das areias da fantasia...
Recolhidas dos sonhos sonhados...
Cimentadas nos sonhos vividos!...

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Sem saber...



Sem saber...
Procurei a paz nas tuas águas...
A força nas tuas ondas...
O sal do teu beijo...
Sem saber...
Afundei no calor da tua lava...
Derreti no interior do teu corpo...
Fundi-me na essência do teu ser...
Sem saber...
Dei cor às palavras...
Luz aos sentimentos...
Profundidade às emoções...
Sem saber...
Avanço sobre as dúvidas...
Tropeço nas tuas lágrimas...
Adormeço nos teus braços...
Sem saber...
Escrevo!...

Sem saber...



Sem saber...
Procurei a paz nas tuas águas...
A força nas tuas ondas...
O sal do teu beijo...
Sem saber...
Afundei no calor da tua lava...
Derreti no interior do teu corpo...
Fundi-me na essência do teu ser...
Sem saber...
Dei cor às palavras...
Luz aos sentimentos...
Profundidade às emoções...
Sem saber...
Avanço sobre as dúvidas...
Tropeço nas tuas lágrimas...
Adormeço nos teus braços...
Sem saber...
Escrevo!...

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Sentimentos...



Sentimentos...
Mais que meras palavras...
As raízes das emoções...
As pontes das tentações...
Sentimentos...
Espelham a alma de um ser...
Reflectem a essência de uma vida...
Sentimentos...
Portas para o paraíso...
Estrada a percorrer...
Rio de tranquilidade...
Mar de paixão...
Sentimentos...
O sonho dos momentos...
A luz que ilumina...
O calor que aquece...
Sentimentos puros que inundam o meu mundo!...

Sentimentos...



Sentimentos...
Mais que meras palavras...
As raízes das emoções...
As pontes das tentações...
Sentimentos...
Espelham a alma de um ser...
Reflectem a essência de uma vida...
Sentimentos...
Portas para o paraíso...
Estrada a percorrer...
Rio de tranquilidade...
Mar de paixão...
Sentimentos...
O sonho dos momentos...
A luz que ilumina...
O calor que aquece...
Sentimentos puros que inundam o meu mundo!...

domingo, 24 de outubro de 2010

Norah Jones...

Continuamos de fim de semana... e como tal mais uma pequena pausa para ouvir uma música...


Quantas vezes já fizeste esta mesma pergunta?!... Um tema que encontrei por acaso mas que gostando à partida da sonoridade da voz, gostei de todo o envolvimento da música e por isso decidi partilhar convosco!... Aproveitem o que ainda resta deste Domingo...

Norah Jones...

Continuamos de fim de semana... e como tal mais uma pequena pausa para ouvir uma música...


Quantas vezes já fizeste esta mesma pergunta?!... Um tema que encontrei por acaso mas que gostando à partida da sonoridade da voz, gostei de todo o envolvimento da música e por isso decidi partilhar convosco!... Aproveitem o que ainda resta deste Domingo...

sábado, 23 de outubro de 2010

Sábado...

Hoje não vos trago escrita... hoje trago uma música poderosa para ouvirem e um conselho... aproveitem o Sol lá fora... e aproveitem para ir visitar o MAR... 


Como já reparam o blog está agora com novos contornos, espero que apreciem os conteúdos e os temas... já sabem que podem dar a vossa opinião e sugestões de temas...

Sábado...

Hoje não vos trago escrita... hoje trago uma música poderosa para ouvirem e um conselho... aproveitem o Sol lá fora... e aproveitem para ir visitar o MAR... 


Como já reparam o blog está agora com novos contornos, espero que apreciem os conteúdos e os temas... já sabem que podem dar a vossa opinião e sugestões de temas...

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Passado...




Aquele que lá longe devia ficar...
O que vezes sem conta entra na nossa memória...
O passado...
Um pequeno filme da nossa vida...
Que observamos vezes sem conta...
Um filme sem novas gravações...
Apenas observável!...
Sofremos com o passado...
Aprendemos com o mesmo...
O passado...
Não é mais que a porta para o futuro...
O novo edifício que se ergue a cada novo dia...
Somos pequenos no passado que já vivemos...
Por vezes prisioneiros...
Outras aprendizes...
Que tipo de passado temos?!...
Que relação temos com ele!?...
O passado de uma pessoa...
A forma como nele se retrata...
São o espelho do nosso interior...
O passado...
A porta do futuro...
A escola onde tudo se aprende...
Onde tudo se vive...
Até que de novo se viva!...

Passado...




Aquele que lá longe devia ficar...
O que vezes sem conta entra na nossa memória...
O passado...
Um pequeno filme da nossa vida...
Que observamos vezes sem conta...
Um filme sem novas gravações...
Apenas observável!...
Sofremos com o passado...
Aprendemos com o mesmo...
O passado...
Não é mais que a porta para o futuro...
O novo edifício que se ergue a cada novo dia...
Somos pequenos no passado que já vivemos...
Por vezes prisioneiros...
Outras aprendizes...
Que tipo de passado temos?!...
Que relação temos com ele!?...
O passado de uma pessoa...
A forma como nele se retrata...
São o espelho do nosso interior...
O passado...
A porta do futuro...
A escola onde tudo se aprende...
Onde tudo se vive...
Até que de novo se viva!...

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Rastilho...




A linha ténue...
Sobre o chão desenha um rastilho...
A chama que arde sem se ver...
A dor muito forte para uma simples ferida...
Onde conduz a tua chama?!...
A linha fina mas forte...
Arde lenta... lentamente...
Como que chamando por alguém...
Serás tu... serei eu?!...
Por mim não será certamente...
E por ti chamaria bem mais fortemente!...
O rastilho que incendeia a nossa vida...
Pronto a conduzir às grandes explosões...
A alegria... a paixão... o prazer...
O clic que falta...
O caminho a percorrer...
Tantas formas pode ele assumir...
Um rastilho que quando aceso...
Jamais se poderá extinguir!...

Rastilho...




A linha ténue...
Sobre o chão desenha um rastilho...
A chama que arde sem se ver...
A dor muito forte para uma simples ferida...
Onde conduz a tua chama?!...
A linha fina mas forte...
Arde lenta... lentamente...
Como que chamando por alguém...
Serás tu... serei eu?!...
Por mim não será certamente...
E por ti chamaria bem mais fortemente!...
O rastilho que incendeia a nossa vida...
Pronto a conduzir às grandes explosões...
A alegria... a paixão... o prazer...
O clic que falta...
O caminho a percorrer...
Tantas formas pode ele assumir...
Um rastilho que quando aceso...
Jamais se poderá extinguir!...

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Rumo...



As linhas que escrevo...
Traços de um destino...
Escritas com a tinta que corre da alma...
Tingindo o ecrã...
As linhas que escrevo...
Traços de um destino...
Linhas de um rumo...
Expressões de uma vida...
Onde rumar...
Que escolhas tomar...
Essa é a vida que vivemos...
Uma estrada larga e de bom asfalto...
Ou um apertado caminho cheio de pedras...
As pedras apanho-as...
Um dia construirei um castelo com elas...
O caminho apertado...
Esse alargo-o com a presença de todos os que me são próximos...
Onde rumar...
Sendo tempo de seguir...
Tempo de largar!...
Talvez tempo mesmo de conquistar novos horizontes!...
Para onde ir?!...
O incerto é o destino...
O dia-a-dia... a estrada a percorrer!...
Sendo eu... apenas eu... sei que lá vou chegar!...
E quem sabe tu lá poderás estar!?!...

Rumo...



As linhas que escrevo...
Traços de um destino...
Escritas com a tinta que corre da alma...
Tingindo o ecrã...
As linhas que escrevo...
Traços de um destino...
Linhas de um rumo...
Expressões de uma vida...
Onde rumar...
Que escolhas tomar...
Essa é a vida que vivemos...
Uma estrada larga e de bom asfalto...
Ou um apertado caminho cheio de pedras...
As pedras apanho-as...
Um dia construirei um castelo com elas...
O caminho apertado...
Esse alargo-o com a presença de todos os que me são próximos...
Onde rumar...
Sendo tempo de seguir...
Tempo de largar!...
Talvez tempo mesmo de conquistar novos horizontes!...
Para onde ir?!...
O incerto é o destino...
O dia-a-dia... a estrada a percorrer!...
Sendo eu... apenas eu... sei que lá vou chegar!...
E quem sabe tu lá poderás estar!?!...

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Indeciso...



A esquerda ou a direita...
As escadas ou elevador...
Amar ou ser sofredor...
Indeciso...
O mar ou o campo...
Voar ou simplesmente caminhar...
Esquecer ou continuar a amar...
Indeciso...
Correr ou saltar...
Sorrir ou chorar...
Mas para onde me vou virar...
Indeciso...
Não!... nunca...
Sei por onde ir...
Onde quero chegar...
Sei que posso ou não ter-te na viagem...
Mas quero lá chegar...
E por isso para lá irei caminhar!...

Indeciso...



A esquerda ou a direita...
As escadas ou elevador...
Amar ou ser sofredor...
Indeciso...
O mar ou o campo...
Voar ou simplesmente caminhar...
Esquecer ou continuar a amar...
Indeciso...
Correr ou saltar...
Sorrir ou chorar...
Mas para onde me vou virar...
Indeciso...
Não!... nunca...
Sei por onde ir...
Onde quero chegar...
Sei que posso ou não ter-te na viagem...
Mas quero lá chegar...
E por isso para lá irei caminhar!...

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Por Favor...



Por favor...
Não digas que nunca estiveste aqui...
Nem que por sombras não me sentiste aí...
Semeaste em mim...
Uma cultura muito rápida...
Brotou... cresceu e desenvolveu...
Mas que nunca chegou a ser colhida...
Como chegaste...
Como entraste...
Como ficaste...
Não sei...
Não te sei explicar...
Sei simplesmente...
Sinto-o!...
Da sinfonia que escrevemos...
Sei os versos de princípio ao fim...
Dos quadros que pintamos..
Guardo todas as cores que usamos!..
Sem favor algum tu vieste...
E para sempre em mim ficaste!...

Por Favor...


Por favor...
Não digas que nunca estiveste aqui...
Nem que por sombras não me sentiste aí...
Semeaste em mim...
Uma cultura muito rápida...
Brotou... cresceu e desenvolveu...
Mas que nunca chegou a ser colhida...
Como chegaste...
Como entraste...
Como ficaste...
Não sei...
Não te sei explicar...
Sei simplesmente...
Sinto-o!...
Da sinfonia que escrevemos...
Sei os versos de princípio ao fim...
Dos quadros que pintamos..
Guardo todas as cores que usamos!..
Sem favor algum tu vieste...
E para sempre em mim ficaste!...

domingo, 17 de outubro de 2010

Fragmentos...



O pequeno que somos...
O grande em que nos tornamos...
Somos o todo...
O somatório de todas e muitas partes...
Fragmentos que em nós se unem...
Partes que em nós se soltam e libertam...
Tenho em mim parte de ti...
E de ti... e ainda de ti...
Somos parte de uma recordação global...
Somos conjunto de muitas partes...
De muitos momentos...
De muitas pessoas!...
Fragmentos de uma vida...
Que a tornam plena e preenchida...
Alegre e bem vivida...
Fragmentos de sonhos..
Sonhos que se fragmentam...
Os pequenos momentos e os pequenos gestos...
Que tornam tão grandiosa a nossa vida...
Tão plenos os nossos momentos...
Tão magníficos os nossos sentimentos!...

Fragmentos...


O pequeno que somos...
O grande em que nos tornamos...
Somos o todo...
O somatório de todas e muitas partes...
Fragmentos que em nós se unem...
Partes que em nós se soltam e libertam...
Tenho em mim parte de ti...
E de ti... e ainda de ti...
Somos parte de uma recordação global...
Somos conjunto de muitas partes...
De muitos momentos...
De muitas pessoas!...
Fragmentos de uma vida...
Que a tornam plena e preenchida...
Alegre e bem vivida...
Fragmentos de sonhos..
Sonhos que se fragmentam...
Os pequenos momentos e os pequenos gestos...
Que tornam tão grandiosa a nossa vida...
Tão plenos os nossos momentos...
Tão magníficos os nossos sentimentos!...

sábado, 16 de outubro de 2010

Solidão...



Solidão...
O maior de todos os medos...
A maior de todas as forças...
Sinto medo da solidão...
Ganho forças quando na solidão me reencontro...
Solidão...
Aquela dor no peito de não saber para onde ir...
Solidão...
Aquela luz que brilha ao fundo da estrada...
Onde vemos o caminho mais adiante...
Solidão...
A fraqueza e a força conjugadas...
A união impossível e impensável...
Solidão...
Assolas e confortas a minha alma...
Tenho medo de ti solidão...
Mas na tua solidão consigo encontrar-me...
E mais forte que nunca erguer-me!...

Solidão...



Solidão...
O maior de todos os medos...
A maior de todas as forças...
Sinto medo da solidão...
Ganho forças quando na solidão me reencontro...
Solidão...
Aquela dor no peito de não saber para onde ir...
Solidão...
Aquela luz que brilha ao fundo da estrada...
Onde vemos o caminho mais adiante...
Solidão...
A fraqueza e a força conjugadas...
A união impossível e impensável...
Solidão...
Assolas e confortas a minha alma...
Tenho medo de ti solidão...
Mas na tua solidão consigo encontrar-me...
E mais forte que nunca erguer-me!...

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Sede...



Como as areias quentes do deserto...
Assim eu anseio por em teus lábios matar a minha sede...
Afogar-me na tua boca...
Engolir a tua essência...
Saborear-te...
Tenho sede da tua frescura...
Da desidratação que me causas...
Sou terra árida e sequiosa...
Pronta a receber-te...
Pronta a absorver-te...
Quero beber o teu néctar...
Provar e abusar do teu hidrato!...

Sede...



Como as areias quentes do deserto...
Assim eu anseio por em teus lábios matar a minha sede...
Afogar-me na tua boca...
Engolir a tua essência...
Saborear-te...
Tenho sede da tua frescura...
Da desidratação que me causas...
Sou terra árida e sequiosa...
Pronta a receber-te...
Pronta a absorver-te...
Quero beber o teu néctar...
Provar e abusar do teu hidrato!...

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Brisa...



Brisa que levemente tocas no meu rosto...
Agitas com delicadeza os meus cabelos...
Trazes até mim retratos do que já vivi...
Brisa que agitas os meus olhares...
Fazes-te notar entra a folhagem amarelada...
Soltas e elevas-me com a tua força...
Brisa de uma vida outrora vivida e sentida...
És agora a memória sofrida...
A saudade que por fim ficou...
Brisa que me conduzes até ti...
Com o doce murmúrio no meu ouvido...
Brisa que bate leve... 
Levemente...
Será que chamas por mim?!...

Brisa...



Brisa que levemente tocas no meu rosto...
Agitas com delicadeza os meus cabelos...
Trazes até mim retratos do que já vivi...
Brisa que agitas os meus olhares...
Fazes-te notar entra a folhagem amarelada...
Soltas e elevas-me com a tua força...
Brisa de uma vida outrora vivida e sentida...
És agora a memória sofrida...
A saudade que por fim ficou...
Brisa que me conduzes até ti...
Com o doce murmúrio no meu ouvido...
Brisa que bate leve... 
Levemente...
Será que chamas por mim?!...

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Doce...



Doce...
Doce o veneno que nos meus olhos colocaste...
Turvaste-me o olhar...
Cegaste-me com o teu brilho...
Com a intensidade da tua luz...
Doce veneno que em meus lábio entregaste...
Mais doce que o mel...
Mais suave que a pétala da rosa mais bela...
Semeaste em mim a sede dos teus lábios...
A ânsia e procura da tua fonte...
Do teu néctar...
Doce veneno que as minhas mãos tactearam...
Sentindo o o arrepio ao sussurrar-te ao ouvido...
Ao beijar o teu pescoço...
Sinto ainda hoje o toque da tua pele...
Doce veneno que em mim armazenaste...
Que em pequenas doses me serviste...
Em que me banhei e banqueteei...
Doce veneno que me dá vida!...

Doce...



Doce...
Doce o veneno que nos meus olhos colocaste...
Turvaste-me o olhar...
Cegaste-me com o teu brilho...
Com a intensidade da tua luz...
Doce veneno que em meus lábio entregaste...
Mais doce que o mel...
Mais suave que a pétala da rosa mais bela...
Semeaste em mim a sede dos teus lábios...
A ânsia e procura da tua fonte...
Do teu néctar...
Doce veneno que as minhas mãos tactearam...
Sentindo o o arrepio ao sussurrar-te ao ouvido...
Ao beijar o teu pescoço...
Sinto ainda hoje o toque da tua pele...
Doce veneno que em mim armazenaste...
Que em pequenas doses me serviste...
Em que me banhei e banqueteei...
Doce veneno que me dá vida!...

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Eternidade...



Eternidade...
A imensidão que fica para lá do desconhecido...
A luz que brilha mesmo quando tudo o resto se extingue...
A eternidade que invade o meu ser...
Um ser repleto de emoções...
De amores e saudades...
Eternidade...
Essa marcha lenta do relógio...
A sinuosa e instintiva corrida...
Querer chegar de onde por vezes nunca saímos...
A essência e o querer de ser eterno...
Cabe-nos na palma da mão...
Somos pequenos no eterno...
Embora guardando em nós eternamente...
Levamos aqueles que amamos...
Eternidade...
A estrada que queremos seguir...
O estreito que nos impede de chegar à felicidade...
Eterno tudo o que no coração guardamos...
O amor platónico que vivemos...
A entrega sempre plena e total...
Eternidade...
Aquela que nos mostra a realidade...
Nesta vida e caminho de verdade!...

Eternidade...



Eternidade...
A imensidão que fica para lá do desconhecido...
A luz que brilha mesmo quando tudo o resto se extingue...
A eternidade que invade o meu ser...
Um ser repleto de emoções...
De amores e saudades...
Eternidade...
Essa marcha lenta do relógio...
A sinuosa e instintiva corrida...
Querer chegar de onde por vezes nunca saímos...
A essência e o querer de ser eterno...
Cabe-nos na palma da mão...
Somos pequenos no eterno...
Embora guardando em nós eternamente...
Levamos aqueles que amamos...
Eternidade...
A estrada que queremos seguir...
O estreito que nos impede de chegar à felicidade...
Eterno tudo o que no coração guardamos...
O amor platónico que vivemos...
A entrega sempre plena e total...
Eternidade...
Aquela que nos mostra a realidade...
Nesta vida e caminho de verdade!...

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Uma palavra...

Boa dia a todos,

Sinto cá bem no interior que devo uma palavra a todos os que lêem o blog Cidade dos Anjos. A vida fez com que estivesse ausente da escrita, tentei retomar por vários momentos, e falhei.

Este blog nasceu um dia num dos momentos mais difíceis da minha vida, durante muito tempo foi um canto secreto, ainda que aberto ao mundo, onde escrevia estados de alma... A vida quis que tempo difíceis me assolassem de novo, a vida é um ciclo?!... talvez, mas não acredito nisso, a vida é uma estrada. Não posso fazer a ligação ao passado... 

Este blog nasceu, não contava que tivesse tantas pessoas a lerem aquilo que escrevo, deixou de ser um blog apenas para mim, passou a um blog de pessoas que gostam de ler aquilo que nele se escreve... isso faz com que a escrita não deva parar... Assim, e mesmo correndo o risco de criar um vazio temporal na escrita, venho comunicar que vou retomar a escrita. Na vida gosto de me entregar a tudo de forma total, e o gosto pela escrita prevalece.

Esta noite será retomada a escrita, como hábito às 0:03.

Como explicar tudo isto, duas palavras mágicas fizeram-me voltar à escrita "platónicos" e "vividos", por isso a entrega ao blog será total!
Um Obrigado muito especial a quem me apoiou nesta fase complicada e me fez ver a realidade.
Um até já...

Uma palavra...

Boa dia a todos,

Sinto cá bem no interior que devo uma palavra a todos os que lêem o blog Cidade dos Anjos. A vida fez com que estivesse ausente da escrita, tentei retomar por vários momentos, e falhei.

Este blog nasceu um dia num dos momentos mais difíceis da minha vida, durante muito tempo foi um canto secreto, ainda que aberto ao mundo, onde escrevia estados de alma... A vida quis que tempo difíceis me assolassem de novo, a vida é um ciclo?!... talvez, mas não acredito nisso, a vida é uma estrada. Não posso fazer a ligação ao passado... 

Este blog nasceu, não contava que tivesse tantas pessoas a lerem aquilo que escrevo, deixou de ser um blog apenas para mim, passou a um blog de pessoas que gostam de ler aquilo que nele se escreve... isso faz com que a escrita não deva parar... Assim, e mesmo correndo o risco de criar um vazio temporal na escrita, venho comunicar que vou retomar a escrita. Na vida gosto de me entregar a tudo de forma total, e o gosto pela escrita prevalece.

Esta noite será retomada a escrita, como hábito às 0:03.

Como explicar tudo isto, duas palavras mágicas fizeram-me voltar à escrita "platónicos" e "vividos", por isso a entrega ao blog será total!
Um Obrigado muito especial a quem me apoiou nesta fase complicada e me fez ver a realidade.
Um até já...