quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Doce...



Doce...
Doce o veneno que nos meus olhos colocaste...
Turvaste-me o olhar...
Cegaste-me com o teu brilho...
Com a intensidade da tua luz...
Doce veneno que em meus lábio entregaste...
Mais doce que o mel...
Mais suave que a pétala da rosa mais bela...
Semeaste em mim a sede dos teus lábios...
A ânsia e procura da tua fonte...
Do teu néctar...
Doce veneno que as minhas mãos tactearam...
Sentindo o o arrepio ao sussurrar-te ao ouvido...
Ao beijar o teu pescoço...
Sinto ainda hoje o toque da tua pele...
Doce veneno que em mim armazenaste...
Que em pequenas doses me serviste...
Em que me banhei e banqueteei...
Doce veneno que me dá vida!...

Sem comentários: