terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Gelado...



Gelado o tempo lá fora...
A temperatura que não sentimos...
O frio que não nos consegue tocar!...
Juntos somos a chama...
O fogo que arde mesmo sem se poder ver!
Tu tocas-me e incendeias-me...
Fazes o meu coração disparar...
Num bater forte que faz o sangue correr...
Que faz os sentidos apurar...
Toco-te e sinto o teu corpo a querer levitar!...
Somos calor que tudo abrasa à nossa volta...
Somos o embaciar dos vidros que nos rodeiam...
Nossos corpos são um do outro...
O meu te entrego e sinto a tua entrega...
Meu coração bate e soletra o teu nome...
Bate forte a cada letra... a cada sílaba!...
Gelado... não... aqui reside o calor...
Vive a chama que nos alimenta a felicidade...
Reside a alegria de poder sorrir e viver...
Habita o desejo de os sonhos concretizar!...

1 comentário:

António "Sniper" Luís disse...

Passei por cá e gosto sempre de te ler! O poeta em pleno!

Abraço.
Iron Bird