sábado, 21 de maio de 2011

Introspecção...



Mais um dia que passou...
Um turbilhão de pensamentos...
Uma corrente de emoções...
Olho ao espelho olhando para quem sou...
Vejo a vida a passar em todos os momentos...
Procuro dentro de mim a voz das soluções...

Esta vida está longe da perfeição...
Ou serei eu que me afasto dela...
Percorrendo esta estrada...
Onde tudo me mostra dor e desilusão...
Sentindo-me como um barco à vela...
Levando do mar a espuma e a forte bofetada...

Dói! Esta dor real que teima em não desaparecer...
Fecho os olhos e tento dormir...
Querendo entre os sonhos me reencontrar...
Olho-me num frente a frente para me perceber...
Ouvindo dentro de mim tudo o que é sentir...
Encontrando de novo a razão para voar!...

O tempo passa leve... muito levemente...
Eu aqui e tu estás aí!...
Tudo parece estranhamente simples e complicado...
Como tudo aconteceu tão rapidamente...
Numa distancia tão grande que não vi...
Tudo aquilo que em nós estava a ser edificado!...

De todas as pedras que no meu caminho encontrei...
Um castelo irei construir um dia...
Aprendendo o que todas elas tinham para dizer...
Perceber que a resolução que tanto procurei...
Não está muito longe... mas que apenas não a via...
Depois de tanto tropeçar deu enfim para perceber...
Que todas estas pedras que à minha frente se cruzaram...
Foram para me fazer compreender...
E finalmente chegar a uma conclusão...
A resolução dos problemas que existiram...
Não tinham razão de existir ou de ser...
Estando sempre ao alcance da minha própria mão!

Introspecção...



Mais um dia que passou...
Um turbilhão de pensamentos...
Uma corrente de emoções...
Olho ao espelho olhando para quem sou...
Vejo a vida a passar em todos os momentos...
Procuro dentro de mim a voz das soluções...

Esta vida está longe da perfeição...
Ou serei eu que me afasto dela...
Percorrendo esta estrada...
Onde tudo me mostra dor e desilusão...
Sentindo-me como um barco à vela...
Levando do mar a espuma e a forte bofetada...

Dói! Esta dor real que teima em não desaparecer...
Fecho os olhos e tento dormir...
Querendo entre os sonhos me reencontrar...
Olho-me num frente a frente para me perceber...
Ouvindo dentro de mim tudo o que é sentir...
Encontrando de novo a razão para voar!...

O tempo passa leve... muito levemente...
Eu aqui e tu estás aí!...
Tudo parece estranhamente simples e complicado...
Como tudo aconteceu tão rapidamente...
Numa distancia tão grande que não vi...
Tudo aquilo que em nós estava a ser edificado!...

De todas as pedras que no meu caminho encontrei...
Um castelo irei construir um dia...
Aprendendo o que todas elas tinham para dizer...
Perceber que a resolução que tanto procurei...
Não está muito longe... mas que apenas não a via...
Depois de tanto tropeçar deu enfim para perceber...
Que todas estas pedras que à minha frente se cruzaram...
Foram para me fazer compreender...
E finalmente chegar a uma conclusão...
A resolução dos problemas que existiram...
Não tinham razão de existir ou de ser...
Estando sempre ao alcance da minha própria mão!

terça-feira, 10 de maio de 2011

Reborn...



Nascem na ponta dos meus dedos...
Prolongam-se nestes botões pretos...
Os pensamentos...
As palavras...
Os desejos...
Renascem dentro deste pequeno cantinho...
Os momentos que te fazem sonhar...
Que nos fazem viajar...
Para lá de onde pensas poder voar!...
De entre as cinzas se erguem...
Crescendo e brotando como os raios do sol...
Os sonhos e a liberdade...
A paixão e o desejo...
Assim fluem as palavras...
Voando como anjos!...

Reborn...



Nascem na ponta dos meus dedos...
Prolongam-se nestes botões pretos...
Os pensamentos...
As palavras...
Os desejos...
Renascem dentro deste pequeno cantinho...
Os momentos que te fazem sonhar...
Que nos fazem viajar...
Para lá de onde pensas poder voar!...
De entre as cinzas se erguem...
Crescendo e brotando como os raios do sol...
Os sonhos e a liberdade...
A paixão e o desejo...
Assim fluem as palavras...
Voando como anjos!...