segunda-feira, 27 de junho de 2011

Um amor...



Mesmo que o mundo mude os nossos sentidos...
Que tudo lá fora pare de girar...
É nos teus braços que me desejo encontrar...
Em ti e contigo quero viver um amor sem fim...
Sei de cor cada traço do teu rosto...
Aquele que em minha mão tatuaste...
Habitas no interior de mim...
Corres e percorres cada ponto da minha pele...
Fica em mim...
Deixa que tudo lá fora desapareça...
Tudo o que foi... o que era...
É passado...
Um amor assim nunca pode ser um segredo fechado!...
É sim uma porta aberta para quem o quiser partilhar...
Mas só tu tens a chave que a vai escancarar!
Como um pássaro quero voar...
Abrir as asas e ao teu encontro partir...
Sempre sabendo que os teus braços terás abertos...
Esperando a minha aterragem!...
 

Um amor...



Mesmo que o mundo mude os nossos sentidos...
Que tudo lá fora pare de girar...
É nos teus braços que me desejo encontrar...
Em ti e contigo quero viver um amor sem fim...
Sei de cor cada traço do teu rosto...
Aquele que em minha mão tatuaste...
Habitas no interior de mim...
Corres e percorres cada ponto da minha pele...
Fica em mim...
Deixa que tudo lá fora desapareça...
Tudo o que foi... o que era...
É passado...
Um amor assim nunca pode ser um segredo fechado!...
É sim uma porta aberta para quem o quiser partilhar...
Mas só tu tens a chave que a vai escancarar!
Como um pássaro quero voar...
Abrir as asas e ao teu encontro partir...
Sempre sabendo que os teus braços terás abertos...
Esperando a minha aterragem!...
 

terça-feira, 21 de junho de 2011

Viagem...



A luz trémula do Sol brilha do horizonte...
Calcorreio estes pedaços de cimento cinzento...
De pensamento mais leve que o vento...
Viajo para lá do por-do-sol...
Encontro a estrada que me conduz...
Entre as linhas que torneiam o teu corpo...
Sinto as curvas onde quero derrapar e perder o controle...
Deslizar e acelerar nas rectas da tua pele...
Doce e delicada como o mais puro mel...
Onde desejo beber esse néctar que me alimenta e dá vida!...
Viajo...
O Infinito não tem limite...
O teu corpo no meu corpo...
Flutuando e elevando-se no éter do horizonte...
A leveza que me seduz e tranquiliza...
Quero ser o viajante...
Sem me perder de ti quero essa viagem...
Quero viajar muito para além do sonhar...
Quero viver sem ter medo de adormecer...
Porque sei que ao acordar...
Ao meu lado te quero e vou encontrar!...

Viagem...



A luz trémula do Sol brilha do horizonte...
Calcorreio estes pedaços de cimento cinzento...
De pensamento mais leve que o vento...
Viajo para lá do por-do-sol...
Encontro a estrada que me conduz...
Entre as linhas que torneiam o teu corpo...
Sinto as curvas onde quero derrapar e perder o controle...
Deslizar e acelerar nas rectas da tua pele...
Doce e delicada como o mais puro mel...
Onde desejo beber esse néctar que me alimenta e dá vida!...
Viajo...
O Infinito não tem limite...
O teu corpo no meu corpo...
Flutuando e elevando-se no éter do horizonte...
A leveza que me seduz e tranquiliza...
Quero ser o viajante...
Sem me perder de ti quero essa viagem...
Quero viajar muito para além do sonhar...
Quero viver sem ter medo de adormecer...
Porque sei que ao acordar...
Ao meu lado te quero e vou encontrar!...

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Ousadia...



Na imobilidade do momento permaneci...
Quieto e mudo apenas olhando o mundo lá fora...
Caminhas para mim...
Na suavidade dos teus passos...
Encantas os meus ouvidos...
Encostas-te a mim sinto a tua pele nua...
Tocando as minhas costas...
A pele dura dos teus seios massajando-me...
Envolves-me em teus braços...
A tua pele incendeia a minha...
Olho-te nos olhos...
Devoro-te nesse instante...
Sinto os teus seios tocarem as minhas mãos...
A delicadeza e suavidade inconfundíveis...
Estremeces ao sentir a minha língua quente...
Beijo-te o pescoço...
Sinto o teu arrepiar percorrer cada célula do teu corpo...
Deslizas os teus lábios no meu peito...
Sentes o seu calor abrasador...
Delicias-te ao ver o desejo crescer em mim...
O teu olhar seduz-me...
Os nossos corpos ecoam o nome um do outro...
O bater acelerado do coração...
Compõem uma melodia sem letra nem pauta...
O compasso descompassado...
O sangue fervilha...
Num acto apaixonado cedemos...
Somos um do outro...
Como duas almas gémeas...
Dois corpos que se fundem...
Um linha de pensamento nos conduz...
Ousadia?!...
Não!... Somos um do outro...
E no outro nos entregamos e conhecemos...
Viajamos...
O destino?!... quem o poderá advinhar...
Viajamos um no outro!...

Ousadia...



Na imobilidade do momento permaneci...
Quieto e mudo apenas olhando o mundo lá fora...
Caminhas para mim...
Na suavidade dos teus passos...
Encantas os meus ouvidos...
Encostas-te a mim sinto a tua pele nua...
Tocando as minhas costas...
A pele dura dos teus seios massajando-me...
Envolves-me em teus braços...
A tua pele incendeia a minha...
Olho-te nos olhos...
Devoro-te nesse instante...
Sinto os teus seios tocarem as minhas mãos...
A delicadeza e suavidade inconfundíveis...
Estremeces ao sentir a minha língua quente...
Beijo-te o pescoço...
Sinto o teu arrepiar percorrer cada célula do teu corpo...
Deslizas os teus lábios no meu peito...
Sentes o seu calor abrasador...
Delicias-te ao ver o desejo crescer em mim...
O teu olhar seduz-me...
Os nossos corpos ecoam o nome um do outro...
O bater acelerado do coração...
Compõem uma melodia sem letra nem pauta...
O compasso descompassado...
O sangue fervilha...
Num acto apaixonado cedemos...
Somos um do outro...
Como duas almas gémeas...
Dois corpos que se fundem...
Um linha de pensamento nos conduz...
Ousadia?!...
Não!... Somos um do outro...
E no outro nos entregamos e conhecemos...
Viajamos...
O destino?!... quem o poderá advinhar...
Viajamos um no outro!...

terça-feira, 7 de junho de 2011

Reencontro...



Sento-me de novo na frente deste ecrã...
Aquele em que tudo começou...
Não deixa de ser curioso...
Encontrar de novo uma parte do que eu sou...
Reencontro-me com as palavras...
Revisito os sentimentos...
Alimento-me das emoções que fluem no meu interior...
A vida que dá voltas e voltas...
Tendo sempre um ponto onde nos reencontramos...
De olhos postos em todas estas letras...
Tento seleccionar as que melhor me ilustram neste momento...
Meditando apenas se serão as melhores...
E concluindo que são as únicas que me retratam!...
Reencontro-me com a vida...
Aquela que desejo ser vivida...
Reencontro-me contigo que tão longe te tinha...
Trazendo contigo a saudade e o desejo de continuar!...
Encontro-me de novo contigo...
Minha escrita...
Minha voz...
Minha musa inspiradora de tantos momentos...
Reencontro-te!...


 

Reencontro...



Sento-me de novo na frente deste ecrã...
Aquele em que tudo começou...
Não deixa de ser curioso...
Encontrar de novo uma parte do que eu sou...
Reencontro-me com as palavras...
Revisito os sentimentos...
Alimento-me das emoções que fluem no meu interior...
A vida que dá voltas e voltas...
Tendo sempre um ponto onde nos reencontramos...
De olhos postos em todas estas letras...
Tento seleccionar as que melhor me ilustram neste momento...
Meditando apenas se serão as melhores...
E concluindo que são as únicas que me retratam!...
Reencontro-me com a vida...
Aquela que desejo ser vivida...
Reencontro-me contigo que tão longe te tinha...
Trazendo contigo a saudade e o desejo de continuar!...
Encontro-me de novo contigo...
Minha escrita...
Minha voz...
Minha musa inspiradora de tantos momentos...
Reencontro-te!...