segunda-feira, 20 de junho de 2011

Ousadia...



Na imobilidade do momento permaneci...
Quieto e mudo apenas olhando o mundo lá fora...
Caminhas para mim...
Na suavidade dos teus passos...
Encantas os meus ouvidos...
Encostas-te a mim sinto a tua pele nua...
Tocando as minhas costas...
A pele dura dos teus seios massajando-me...
Envolves-me em teus braços...
A tua pele incendeia a minha...
Olho-te nos olhos...
Devoro-te nesse instante...
Sinto os teus seios tocarem as minhas mãos...
A delicadeza e suavidade inconfundíveis...
Estremeces ao sentir a minha língua quente...
Beijo-te o pescoço...
Sinto o teu arrepiar percorrer cada célula do teu corpo...
Deslizas os teus lábios no meu peito...
Sentes o seu calor abrasador...
Delicias-te ao ver o desejo crescer em mim...
O teu olhar seduz-me...
Os nossos corpos ecoam o nome um do outro...
O bater acelerado do coração...
Compõem uma melodia sem letra nem pauta...
O compasso descompassado...
O sangue fervilha...
Num acto apaixonado cedemos...
Somos um do outro...
Como duas almas gémeas...
Dois corpos que se fundem...
Um linha de pensamento nos conduz...
Ousadia?!...
Não!... Somos um do outro...
E no outro nos entregamos e conhecemos...
Viajamos...
O destino?!... quem o poderá advinhar...
Viajamos um no outro!...

1 comentário:

Nome Lua disse...

Descrição perfeita da ousadia , que só pode ser vivida... sentida ...partilhada ...entre duas almas gemeas...

Beijo

Lua