domingo, 31 de julho de 2011

Pele...



O sentido profundo de um verso...
A origem e termo de cada palavra...
A conjugação perfeita de cada letra...
A plenitude de rimas informais...
Na tua pele escrevo o rascunho...
De um poema...
Que apenas em nós pode ser decifrado...
Usando um código livre do pecado...
Na tua pele desenho figuras...
As figuras da linguagem do desejo...
Apenas lidas pela língua de um beijo...
Na tua pele me encontro...
Nela me envolvo e me sinto...
Meus olhos brilham ao contempla-la...
Meus braços desejam abraça-la...
Tocar... beijar...
Na tua pele me perco...
Para mais tarde me reencontrar!...
Fecho os olhos e sinto-te presente...
Em vez da escuridão vejo mel...
Vejo a cor do caramelo da tua pele...
A suavidade da mais bela das flores...
O aroma mais intenso que o mar salgado...
Na tua pele me tatuaste...
Na minha pele te sinto viver...

Sem comentários: