sábado, 26 de maio de 2012

A voz...



De onde me sento observando o horizonte...
Sinto o salpico dessa vossa guerra...
Ouvindo o bramir das tuas ondas embatendo no monte...
Parecendo desafiar até o mais firme pedaço de terra...

Sinto a brisa que toca o meu rosto...
Como um murmúrio da tua voz contando um segredo...
Muito suave e baixinho como tu sabes que eu gosto...
De maneira a tocar a alma e afastar todo o medo...

Estou longe de ti neste lugar...
Onde tudo ao meu redor me faz sentir saudade...
O teu jeito impetuoso como esta onda do mar...

Alargo o olhar e encontro a serenidade...
De tudo o que de ti me fez aproximar...
E desejo mergulhar novamente nesse mar de felicidade!...

És a voz que busco e procuro ouvir...
Desde de manhã ao amanhecer...
Até ao tardio por-do-sol que há-de vir... 
Mais logo quando o dia for adormecer...

És a voz que todos os dias quero escutar...
E que faz o meu coração mais forte bater...
Junto de ti sinto ser o meu lugar...
Onde quero dormir quando o dia escurecer...

Na voz do vento o teu nome estou a ouvir...
Fecho os olhos para me poder concentrar...
E a tua doce carícia de novo sentir...

Vem de novo quero-te amar...
Grito alto... mais alto que o forte rugir...
Para que mesmo estando longe o possas escutar!...
  

Sem comentários: