terça-feira, 29 de maio de 2012

Guardo-te...




Saí olhando o horizonte…
De olhos postos nas montanhas…
A cada metro percorrido…
Senti as ruas completamente desertas…
Apenas tingidas pela luz entre as árvores…
Habitadas por uma leve brisa…
Que parecia viajar desde o mar…
Ouvia tua voz ...
Contornada num sopro… 
Avançava fingindo não ouvir… 
Senti-me enfeitiçar de tal forma…
Que caí prostrado na margem do rio…
Esperando os teus passos deslizando na água…
Esperei… espero… esperarei a vida inteira…
Eras… és… serás a minha loucura… a minha paixão…
Mas ..
Nos olhos sinto a uma humidade crescente…
Afogo-me no seu conteúdo…
Com pressa de te ouvir…
Com imensa vontade de sentir…
As tuas mãos na minhas…
Ontem e hoje!!...
Guardo-te em mim…
Com medo…
De nunca te esquecer…

Sem comentários: