quarta-feira, 6 de junho de 2012

Desconhecido...



Desconhecido...
Para já toda esta forma de viver...
Onde passa um novo dia sem te poder ver...
Sem na minha pele poder sentir...
O teu calor e o teu rosto a sorrir...
Coloco os olhos do horizonte...
E nem a sombra da tua presença...
Sinto a falta de beber na tua fonte...
Apenas sentido perto a tua ausência...
No desconhecido avanço...
Desconhecendo se te voltarei a encontrar...
Com a certeza que ao passado não quero voltar...
Sinto a areia fria nos meus pés...
Avanço sem a tua presença a meu lado...
Não receio pois sei tudo  que quero...
Mesmo num futuro de todo incerto...
Desconhecido avançarei...
Até que sem forças ficarei...
Aí encontrei o meu viver e a minha força...

Sem comentários: