quinta-feira, 14 de junho de 2012

Infinito...



Do muito que possa ou não aqui dizer...
Sobre o que por nós passa ao longo de uma vida...
Mesmo que seja alegre ou muito sofrida...
Jamais pode ser descrita pelo que vá escrever...

Quero vivê-la em cada vão momento...
Em sua honra sempre hei-de espalhar o meu encanto...
E poder espalhar o meu riso ou o meu pranto...
Sofrer no meu pesar ou mostrar o meu contentamento...

E assim, quando mais tarde para trás olhar...
Quem sabe no dia em que à porta da morte esteja...
Talvez num momento de solidão, fim de quem não sabe amar...

Eu possa me dizer que por muito tolo que seja...
Não deixei de ser imortal, nem deixei de acreditar...
Que no infinito de uma vida se alcança tudo o que se deseja!...
 
 

Sem comentários: