quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Escrever...



Hoje aqui sentado não consigo escrever...
A dura realidade da vida trava o meu viver...
Palavras que não saem para o exterior...
Pensamentos negros repletos de dor...
Quero a calma e a minha serenidade...
Quero a profunda alegria e a felicidade...
Deixar a palavra através do papel voar...
Abrir os olhos sem mais nada recear...
Viajo no interior que cada nova palavra...
Escondo-me no silêncio de cada letra...
Hoje queria tanto poder enfim escrever...


terça-feira, 28 de agosto de 2012

Sonhos...



O despertador manda sair da cama...
Perante o espelho tempo de barbear...
No olhar a ausência daquela chama...
Do dia em que é tempo de regressar...
Sonhos que outrora foram sonhados...
Todos  parecem querer desaparecer...
Dando lugar a medos antes infundados...
E que agora têm corpo e razão de ser...
Ter um curso e poder enfim trabalhar...
Hoje é uma miragem perante o olhar...
Ter uma casa para nela poder viver...
Sonho muito difícil de poder manter...
De que vale um dia crescer e sonhar...
Se tudo fica longe de se poder tocar...
Sonhos que o tempo vai hoje levando...
Da vida vamos perdendo o comando...
Não estou preparado para desistir...
As rédeas dos sonhos irei assumir...
Sonhos que a vida vão comandar...
Agora que é tempo mesmo de levantar!...

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Bruma...



Quando a bruma já envolvia o meu olhar...
Ultrapassadas as tempestades e as desventuras...
Aliviado por os dias penosos serem apenas história...
Nunca esquecerei, mas por vezes recordarei...
Dúvidas...incertezas...realidades...cercaram os meus dias
Os dias que se tornaram sonhos e utopias!...
Oh, ventos fortes e leves levem esta bruma para longe de mim...
Como?...poderá ser possível!...
Açoitada pelo vento...
Sacudida pela realidade...
Tu...sim tu minha bruma...adensaste...
Envolveste-me de forma indescritível...
Liberta-me...liberta um pouco...
Ouve o vociferar do meu coração...
Conquistaste a altivez do meu amor...
Alvejaste o meu coração...
Inevitavelmente tomaste conta dele...
...
Foste tu bruma...
Involuntariamente ou não...
Conseguiste algo que não imaginei ser novamente possível...
Apenas em sonhos o presenciava...
A vida é complicada...e nós complicamos a vida...
Ilusões eu tive!...
Levianamente sonhei com o impossível...
Um sonho que estava desfeito à partida...
Sonhei uma vida...
A vida à qual acabamos por não pertencer...
Obrigado bruma por envolveres o meu olhar!...

domingo, 26 de agosto de 2012

Noite...



Noite que vais...
Inquieta sem a tua lua...
Noite que vais...
Gritando aos quatro ventos...
Um nome, uma emoção, uma vida!
Espero por ti...noite...
Manhã após manhã, anseio sempre por ti...noite!
Salvo em boa hora...
Apenas com um simples gesto da tua parte!
Bastou um pouco de ti...
E muito em mim mudou!
Ocultaste e ocupaste...
Quanto?...e o quê?
Um segredo que será tão grande como o que...
Eu sinto por ti!...
Eloquente a forma como entraste...
Um mistério no que despertaste!
Serei louco,
Expressivo o suficiente no que te digo...
Inquieta-me a dúvida...
Escrevo...tentando descobrir...
Tu noite!...só tu...e sempre tu...
Unes o meu pensamento ao meu coração!...
Sobe lua...
Acende uma chama...
Bastante potente para me iluminar...
Eleva-te e ilumina a minha noite...
Salva-me todos os dias!Deixa-me ser teu nesta noite...

sábado, 25 de agosto de 2012

Ser Feliz...



Ser feliz é muito mais do que sonhar...

É uma viagem onde realizar é buscar...
E encontrar acima de tudo o acreditar...
É dedicar tempo e espaço à nossa vida...

É viver o hoje sem pressa e em liberdade...
É cultivar o ontem e plantar o amanhã...

E mais do que tudo, ser feliz é perdoar...
Jamais as mágoas no coração guardar...
Preciso tão pouco para ser muito feliz...
O coração recheado de paz e alegria...
Ficando muito melhor na tua companhia...

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Saudade...



Tão nossa que é a saudade...
Dos tempos e nossos momentos...
Da paz e de toda a tranquilidade...
Leveza e pureza de sentimentos...
Saudade é parte do nosso fado...
Relembra-nos um todo inacabado...
Fazendo o nosso coração sonhar...
Que a tristeza não deve muito durar...
Tão nossa que é a saudade...
Do espaço e nossos locais...
Do desejo e de toda a paixão...
Do ouvir leve do teu coração...
Saudade é parte do nosso viver...
Lembra-nos o que nos fez sofrer...
O que não queremos perder...
Saudade eu tenho de ti, de nós...
De poder ouvir o som da tua voz!...


quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Nuvens...



Quando a chuva toda passar...
As portas das nuvens irão abrir...
O sol poderá então espreitar...
E deixar todo o seu calor sentir...
De que valem asas para voar...
Se tivermos o medo de cair...

Quando a chuva toda passar...
As nuvens deixam de existir...
O azul do céu vamos observar...
As aves alegres podemos ouvir...
E com elas escolhemos cantar...
Para tal nossas vozes vamos unir...

Quando a chuva toda passar...
Ouvirei a água na rua a correr...
A tempestade irá se afastar...
Poder as estrelas na noite ver...
Debaixo do seu brilho dançar...
Nos meus braços te poder ter...


quarta-feira, 22 de agosto de 2012

O Amor...



Dizem que o amor é muito complicado...
Que à vida trás sofrimento e desilusão...
Onde está a capacidade de bem alto sonhar...
O Amor é um desenho eternamente inacabado...
Cada traço um momento, uma recordação...
Uma memória que por vezes nos faz chorar...
A todos eu digo... vamos parar e pensar...
Afinal o que recordamos do nosso amor?
Os momentos em que sentimos a felicidade...
Ou todos os outros em que provamos a dor...
Pois é... essa é a triste e pobre realidade...
De todos os que dizem que o amor é dor...
O Amor é exactamente o seu oposto...
Cada momento que nos arranca o sorriso do rosto...
Cada segundo que nos sustem a respiração...
Onde apenas estamos eu, tu e a nossa paixão...
O amor muito pelo contrário é mágico...
Simples de ser vivido embora muito delicado...
Por isso é como o mais belo jardim...
Todos os dias precisa ser delicadamente cuidado...

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Beijo...



Deitei-me envolvido da tua doçura...
Sentindo meus lábios ainda a latejar...
Nos meus pensamentos uma frescura...
Que na noite o meu corpo fez levitar...
Sinceramente não sei se contigo sonhei...
Ou se tudo foi mesmo uma realidade...
Mas quando pela manhã de novo acordei...
Todo o meu corpo rejubilou de felicidade...
As palavras ecoavam nos meus ouvidos...
O teu aroma preenchia todo o meu interior...
A tua presença revigora os meus sentidos...
Sentindo a manhã em todo o seu esplendor...
Sem dúvida que foi um diferente acordar...
Mais do que as palavras possam descrever...
Beija-me de novo com as tuas palavras...
Dá-me a provar o sabor dos teus lábios!...


segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Sonhar...



A noite vai caindo tão subtilmente...
Mostrando estrelas para se admirar...
Entre elas vai surgindo a lua lentamente...
Espalhando a sua magia em pleno ar...
Do dia se despedem as belas flores...
Recolhendo o brilho das suas cores...
Chega a hora de os olhos ir fechar...
Parando no tempo e simplesmente sonhar...
Atravessar as barreiras e os medos...
Abrir as asas e bem alto poder voar...
Viver todos os pensamentos e segredos...
Sorrir para toda a felicidade libertar...

domingo, 19 de agosto de 2012

O Livro...




Hoje acordei com um som diferente...
Fez-me sorrir lembrando a saudade...
Do acordar e sorrindo de felicidade...
Olhar para o novo dia e poder sorrir...
Esta é a paz que mais quero sentir...
Com o coração e limpeza na mente...
Ao lado vejo o livro das memórias...
O que comigo no tempo vai viajando...
Em cada página contando as histórias...
Que em cada dia me vão acompanhando...
Cada nova página um mundo de mistério... 
Um novo mundo pronto a ser descoberto...
Tão grande como o maior império...
Muito mais rico que o oásis no deserto...
Neste livro de muitas páginas por escrever...
Onde cada página tem o seu significado...
Hoje sento-me e espero ver o sol desaparecer...
Para que a lua de novo deixe o céu iluminado...
Cada história um capítulo a relembrar...
Cada nova página uma vida a intensamente viver...
Num livro em que as páginas não pode rasgar...
Nele cabe e vive tudo o que sou e todo o meu ser!... 


sábado, 18 de agosto de 2012

Olhar...



O simples olhar que em si tanto revela...
Mostrando quem és, mesmo em segredo...
São cristalinos e da alma uma janela...
Irradiam alegria, confiança e nunca medo...
As palavras ditas no silêncio de um olhar...
Ecoam até ao mais profundo da alma...
Elas que nos dão a conhecer e a sonhar...
Nos fazem viajar sem nunca perder a calma...
Olhar que sempre será o espelho sincero...
De tudo o que na vida para sempre quero...
Recheada de momentos a não esquecer...
Pois só assim faz sentido querer viver...
O olhar que me assalta, seduz e desarma...
Que no seu interior prende a minha atenção...
Intriga-me o perfume que dele se derrama...
Sinto-o preencher a batida do meu coração... 
  


sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Terminou...



A chama que uma dia foi tão forte...
Extinguiu-se de uma forma lenta...
Hoje apaga-se e parece ser uma sorte...
A dor que existiu é que não se lamenta...
Fica o fumo que na noite se esvanece...
Arrastado para longe ao sabor do vento...
Levando as memórias e quem não se esquece...
Os sonhos, as ilusões e até o lamento...
Mais cedo do que seria de esperar...
Hoje a nossa história simplesmente terminou...
Deixou de haver o ouvir, o compreender e o falar...
Que um dia a chama tanto atiçou...
Pensei que ficasse a dor e a saudade...
Mas para ser sincero e dizer toda a verdade...
Depois de tantas batalhas perdidas...
E no meio de tantas e tantas feridas...
A verdade é que tudo simplesmente terminou...


quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Viagem...




Caminho para o meu automóvel...
Nos lábios esboço um leve sorriso...
Na memória uma imagem memorável...
Sinto ainda o toque do teu cabelo liso...
A lua na noite já se mostra avançada...
Querendo esconder o brilho do teu olhar...
As estrelas ilustram e iluminam a estrada...
Numa viagem ainda com muito por decifrar...
No tabuleiro em que jogamos a nossa vida...
Movemos os pensamentos num simples olhar...
Avançamos numa confiança sentida...
Sem qualquer desejo de querer parar...
Viajamos nas linhas leves do pensamento...
Ganhando asas para podermos voar...
Vivemos e aproveitamos cada momento...
Que nos faça mais além poder sonhar!...


quarta-feira, 15 de agosto de 2012

História...




Todas as linhas que desenham o meu rosto…
Contam a história de quem eu sou…
Onde eu estive e do que mais gosto…
E como cheguei onde hoje estou…
Já escalei ao topo de montanhas…
Nadei no profundo azul do oceano…
Mas chega de falar das minhas façanhas…
Pois tudo faço sem seguir qualquer plano…
Há quem veja apenas o sorriso na minha boca…
Escondendo as lágrimas que no rosto brotam…
Mostrando a força que tenho apesar da sorte pouca…
Sou feliz nesta vida e isso todos notam…


terça-feira, 14 de agosto de 2012

Está escrito...




Está escrito nas linhas de uma vida…
Esta é para ser vivida com emoção…
E nada nela lhe passa despercebida…
Está tudo escrito dentro do coração…
Tu e eu temos a partilha de uma sonho…
Encontrar um lugar para o nosso amor…
Onde possamos nos esconder e viver…
Tu e eu fomos feitos de um simples desejo…
Amar um ao outro agora sem receio e pudor…
Amar hoje, para sempre e mais um dia…
O tempo pára quando estamos juntos…
Lá fora o dia acaba e a noite avança…
Eu te amo menina, e sempre amarei…
Eu juro, estou aqui por ti e estarei…
Até o dia que os olhos fechar e morrer…


segunda-feira, 13 de agosto de 2012

E nada mais...



Quando estou aqui tão perto…
Não me importa o quão distante possa vir a estar…
Pois no meu coração eu sinto-te aqui…
Porque eternamente confiando em quem somos…
Nada mais importa…
Nunca me abri deste forma para mais ninguém…
A vida é nossa e nós a vivemos à nossa maneira…
Todas estas palavras que escrevo…
Eu não digo apenas por dizer…
Mas por acreditar que mais nada importa…
Confiança eu procuro e encontro em ti…
E nada mais interessa…

domingo, 12 de agosto de 2012

Brisa de Verão...



Conheço os teus olhos no sol da manhã…
Sinto quando me tocas numa chuva pesada…
E no momento que tu partes para longe de mim…
Eu quero sentir-te em meus braços novamente…
E tu vens até mim numa brisa de verão…
Manténs-me aquecido com o teu amor…
Incendeias em mim o fogo da paixão…
Eu preciso realmente de aprender…
Nós somos um do outro…
Eu acredito em ti…
Tu conheces a porta para minha alma…
Tu és a minha luz nas horas mais escuras e profundas…
Tu foste a minha salvação quando eu caí…
E tu podes pensar que eu não me importo contigo…
Eu realmente preciso aprender…
Mais ainda preciso te mostrar…
Que tu és a flor mais delicada do meu jardim…
Aquela que mais quero cuidar e ter junto de mim…

sábado, 11 de agosto de 2012

Flutua...



Embalado pelo sol que ao longe se põe...
Dando o seu lugar às sombras da noite...
No horizonte um poema que se compõe...
Transportado no deleite da paisagem!...
Inundas o meu peito com a tua entrada...
Oh! ar puro da magnífica Serra do Açor...
O meu corpo flutua nesta terra encantada...
Onde nasce esta pequena mensagem...
Relva Velha aldeia pequenina na dimensão...
Mas por ela grande é o meu amor...
Foi nela que começou a bater meu coração...
Numa tarde onde não se ouvia qualquer cantor...

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Novo Rumo...



Hoje sinto-me bem...
E em palavras soltas o quero expressar...
Sem pressas ou querer sequer rimar...
Sinto a minha vida na palma da minha mão...
A alegria transborda para fora do meu coração...
Hoje sinto o rumo que tomei...
E que de novo a minha vida controlei...
Sinto a felicidade envolvendo o meu ser...
No peito o enorme desejo de novamente de ver...
Eu sinto que tenho em mim de novo a vida...
Da qual desenrola a estrada a ser percorrida...
Hoje sinto-me bem...
Como há muito não me sentia...
Absorvo a luz que me trás cada novo dia...
Hoje escrevo versos soltos e eternos...
Hoje sinto-me bem!...

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Ausência...


Nos últimos dias o Caroteno tem estado com escrita em atraso, esteve na sua aldeia que aqui apresenta a todos vós!



Quis o destino que um dia...
Nessa aldeia pequenina fosse nascer...
Quando nem o canto do cuco se ouvia...
Nem o sol se via aparecer...

Aldeia com muito pouca população...
Onde o verde domina a paisagem...
Já é longa e rica a sua tradição...
E por isso um destino para a sua viagem...

Pequeno casario de paredes caiadas...
Onde o xisto revestia os telhados...
Hoje com tinta as casas foram pintadas...
E os penedos de seixo das ruas foram arrancados!...

Em plena Serra do Açor...
Com vista para a Mata da Margaraça...
É aí que Relva Velha ganha cor...
E onde as pessoas vivem felizes e com graça...

Em três quadras vos apresentei...
A aldeia que me viu nascer...
E assim também vos mostrei...
Onde busco inspiração para alguns textos escrever...

Com estas palavras me despeço...
Com a certeza de um dia voltar...
E com grande sinceridade vos peço...
Que um dia me venham cá visitar!...

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Reconhece-me...



Durante demasiado tempo me perdi...
Ao ponto de minhas asas deixar de usar...
Muita profunda a tristeza em mim poisou...
Sofucando todos as horas para sonhar...
Olhei-me no espelho... não me reconheci...
Procurei por ti e longe senti que estou...
Como foi possível tanto mal a mim fazer...
Quase perdendo teu doce profundo amar...
Senti a dor... desejo de desaparecer...
Hoje diante de ti ouve o meu pedir...
Reconhece-me... e abraça este sentir...
Que nos faz esquecer o tempo e o lugar...
Nos braços um do outro desejando estar...




terça-feira, 7 de agosto de 2012

Saudade...




Desejo…
Que a tristeza te possa convencer…
Que a saudade não pode compensar…
E que a tua ausência não me dá paz…
E o verdadeiro amor de quem se ama…
Tece uma teia que nos une e fortalece…
Que apesar das tempestades não se desfaz…
É a coisa mais divina e pura que pode existir…
Que há no mundo e em todo o universo…
É viver em cada segundo o segundo que existe…
Como nunca mais pode voltar a ser vivido…
Saudades eu sinto por não te poder tocar…
Do teu aroma em meu pulmões poder guardar…
A tua pele a minha tocar e assim a incendiar…


segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Leva-me...



Nas tuas asas delicadas e fortes…
Eu quero muito contigo poder voar…
Sorrindo para todos os meus sonhos…
E todas as fantasias poder concretizar…
Quero sentir os teus soltos ao vento…
Que soprando suave e devagarinho…
Pode apagar a pequena fogueira…
E dizer-te que não quero estar sozinho…
Quero poder fechar os olhos e sonhar…
Observar as folhas soltas no chão a bailar…
Sentir o teu respirar em meu rosto…
E poder ao teu ouvido soprar palavras…
Dizer-te o quanto de ti eu gosto!...
Ah! vento, vento tira-me os pés do chão…
Porque não me levas neste momento…
Nas tuas asas eu quero sentir a paixão…
Sentir o teu toque para além do pensamento…

domingo, 5 de agosto de 2012

Doce Anjo...



Escuta-me doce anjo...
Sente cada palavra dita no silêncio do nosso olhar... 
 Quero sentir o teu desejo…
Viver plenamente este sincero amar...
Saborear o mel do teu Ser...
Sentir o teu gosto na minha boca…
Em ti matar a minha sede e assim preencher...
A minha essência outrora oca...
Abraçar-te suavemente e ouvir o compasso do teu coração…
Batendo descontrolado na onda da nossa paixão...
Deixa-me viajar pelo teu corpo e misteriosamente sentir prazer...
Percorrer cada linha do nosso viver...
Faz-me tua!...
Aquece a minha alma...
Que eu incendiarei o teu coração...
Escuta-me meu doce anjo...
Ouve cada palavra que o vento transporta...
São leves murmúrios carregados de emoção...
Estrelas que levam o brilho do olhar...
Quando meu coração bate para te chamar...
Sente a minha chegada em cada palavra...
Abraça cada entrelinha pronta a ser decifrada!...