domingo, 30 de setembro de 2012

Alma...




Eu teria de tudo na vida desistido...
Para finalmente te poder tocar...
Ainda que agora não faça sentido...
Apenas ao céu eu queria chegar...
Desistira de toda a eternidade...
Para tocar uma vez na tua mão...
Assim sentir a imensa felicidade...
E bem alto ouvir o meu coração...
Só tu és capaz de me perceber...
Mesmo que o teu nome oculte...
No silêncio posso palavras dizer...
Sem que mais ninguém escute...
Para casa não quero mais voltar...
Se ao meu lado não te posso ter...
É como viver sem poder respirar...
Sonhas sem poder jamais viver...
Esta noite não te quero deixar ir...
Ao teu lado me quero deitar...
O teu corpo e calor enfim sentir...
Antes, durante todo o meu sonhar...
Quero sentir a eternidade a passar...
Teus cabelos poder tocar e cheirar...
O teu nome irei agora enfim dizer...
Baixinho para mais ninguém saber!...
Neste momento tudo o que sinto...
Na beleza destas palavras eu pinto...
Não sou capaz de poesia escrever...
Tudo o que posso fazer é tentar...
Os belos momentos do meu viver...
Deixar a minha alma aqui falar!...


Reabertura...



A Cidade dos Anjos irá reabrir as suas portas a todos os que nela queiram entrar e viajar.

O Autor da Cidade abre de novo este projeto ainda que desta vez seja uma viagem diferente...

O que poderão ler por aqui?
O que irá mudar?
Algumas perguntas que agora vos poderão surgir na cabeça.

Caroteno anuncia que espera não decepcionar as pessoas que o acompanham e que fizeram crescer a Cidade dos Anjos.


Reabertura...



A Cidade dos Anjos irá reabrir as suas portas a todos os que nela queiram entrar e viajar.

O Autor da Cidade abre de novo este projeto ainda que desta vez seja uma viagem diferente...

O que poderão ler por aqui?
O que irá mudar?
Algumas perguntas que agora vos poderão surgir na cabeça.

Caroteno anuncia que espera não decepcionar as pessoas que o acompanham e que fizeram crescer a Cidade dos Anjos.


sábado, 29 de setembro de 2012

Reflexão...




E agora, nada mais resta, o fim chegou...
E portanto é hora de em frente olhar...
Sinceramente foi bom enquanto durou...
Mas agora é mesmo tempo de terminar…
Eu tenho vivido uma vida de forma plena...
Viajei por cada e todas as estradas desta vida...
E mais, muito mais que isso, me faz ter pena...
Sempre o fiz à minha maneira, plena e sentida...
Arrependimentos, eu tive alguns a pedir e dizer...
Mas, novamente, pouquíssimos para mencionar...
Eu fiz o que eu devia ter feito sem nada esquecer...
E passei por tudo consciente, para poder recordar...
Em alguns momentos, tenho certeza que sabias...
Que eu mordia mais do que eu podia mastigar...
Todavia fora tudo apenas quando restavam dúvidas...
De que mais cedo ou mais tarde iria mesmo acabar...
Eu enfrentei a tudo e de pé firme continuei...
E fiz tudo do meu jeito e assim sempre te amei...
Eu já amei, ri, chorei e até a morte desejei...
Cometi minhas falhas não nego nem negarei...
Tive a minha parte nas vitórias e nas derrotas...
E agora as lágrimas escorrem do meu rosto...
Mas em momento algum fechei as portas...
Mesmo quando de lado fui mesmo posto...
Para que serve um homem, o que ele merece?!...
Senão ele mesmo, então ele não tem ninguém...
Para dizer as coisas que ele sente e não esquece...
E não as palavras ditas de joelhos por alguém...
Eu fiz tudo sempre do meu jeito simples e humilde...

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Quero ler-te...




Adoro ler-te nas linhas da vida...
Tatear-te à mesa da emoção...
Como um cego de alma vendida...
Enxergar-te com a palma da minha mão...
Esperar-te nesta noite na brisa do luar...
Ou ao sol do meio-dia de amanhã...
Quero-te romance, livro de sonhar...
Quero-te poesia de uma nova manhã...
Procurar nas entrelinhas pedaços de ti...
Como um sábio teu sabor intenso degustar...
O mais doce perfume em ti em senti...
A pétala da mais bonita flor em ti folhear...
Minha página preferida do livro do meu viver...
Dás forma à minha vida em versos e calor...
Devorar-te por esta página primeira...
Com desejo, com amor e paixão...
E ao ler-te e entender-te sentir o querer...
E descobrir tua alma fascinante de sabor...
Quero ler-te por toda vida inteira…
E só ter você na estante do meu coração…

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Linhas...



Tomaste as linhas da minha mão...
E nela o teu corpo inteiro tatuaste...
Com ela conquistaste o meu coração...
Para a vida para sempre o resgataste...

Como uma pipa no céu solta ao vento...
Tu entraste e transformaste a minha vida...
Traçastes o nosso caminho pelo relento...
Em viagens de intensidade nunca sentida...
Num ritmo descompassado mas perfeito...
Deixas o meu coração forte a cada batida...

Dando à minha vida um rumo e direção...
Transbordando a alegria e a pura paixão...
Queria ser eu um motor forte e cortante...
Limpando montes e vales no horizonte...
Para que na paisagem sinta a liberdade...
Próximo de ti me sinta e deixe a saudade...

Tomaste as linhas da minha mão...
E elas a ti intensamente se ligaram...
Com ela conquistaste o meu coração...
E na companhia do teu eles se amaram...

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Sono...



Terminou o dia e estou cansado...
Horas de luta foram ultrapassadas...
O corpo torna-se muito pesado...
Para a cama me dirijo de pernas pesadas...
É tempo de a almofada me aconselhar...
Os olhos fechar e simplesmente dormir...
No colchão me vou agora aconchegar...
Sabendo já que o tempo está a fugir...
Quero os meus pensamentos brancos...
Como os lençóis que me adormecem...
Os sentimentos que me esmorecem...
Eu quero ver desde já para longe ir...
Estou cansado de lutar, remar e sentir...
Enquanto espero por ti por estes bancos...
Onde outrora descansei e ganhei força...
Agora tento colar meu frágil coração...
Partido como uma peça de louça...
Merecendo mais cuidado e atenção...
Vou dormir neste mundo para mim diferente...
Muito mais do que as palavras podem dizer...
Onde reina este coração que muito sente...
E que tão feliz quer para sempre poder ser!...

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Desejo...



Da tua pele eu tenho saudade...
O sol eu quero ver brilhar...
Na tua pele eu tenho a felicidade...
Sentir a minha pele inteira a suar...
O doce mel da tua pele é vaidade...
Faz meu coração bem forte palpitar...
A tua pele toca-me na cumplicidade...
A cor faz-me de desejo sonhar...
Tua pele quero num beijo de simplicidade...
No teu corpo me quero entregar...
A tua pele é mais que uma amizade...
O alto céu onde quero poder voar!...

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Vida...




As coisas que aprendi na vida!
Aprendi que não importa o quanto eu me importe...
Algumas pessoas simplesmente não se importam...
A essas pessoas é mesmo melhor fechar a porta...
Aprendi que falar pode aliviar as minhas dores...
Acima de tudo libertar a paz no meu interior...
Aprendi que se leva tempo a adquirir confiança...
Mas apenas segundos para que ela se quebre...
Aprendi que na vida, em instantes, muito posso fazer...
Coisas que para o resto da vida me posso arrepender...
Aprendi que o que importa não é o que eu tenho na vida...
Mas o valor que dou a quem eu tenho na vida...
Aprendi que devo deixar sempre as pessoas que amo com palavras amorosas...
Pois elas foram em algum momento o que de melhor tive na vida...
Aprendi que as circunstâncias e o ambiente têm influência sobre mim...
Mas eu sou responsável por mim mesmo e pelas minhas acções...
Aprendi que vou levar muito tempo para eu me tornar a pessoa que quero ser...
Mas que jamais desse objectivo me vou afastar ou esquecer…
Aprendi que quando estou com raiva, tenho direito de estar com raiva...
Mas isso não me dá o direito de ser cruel muitas vezes com quem não merece...
Aprendi que só porque alguém não me ama da maneira que eu quero...
Isso não significa que esse alguém não me ame com tudo o que tem e pode...
Aprendi que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém...
Tenho que aprender a perdoar-me a mim mesmo...
Aprendi que não importa em quantos pedaços meu coração foi partido...
O mundo não pára para que eu o repare ou conserte.
Apenas aprendi…
Que na vida nada se sabe e tudo se aprende…
Desde que haja humildade e não se maltrate que de nós gosta!...

domingo, 23 de setembro de 2012

Eu sou...




Vamos caminhar sobre as nuvens...
Vem descobrir e conhecer o universo...
Eu sou as estrelas que no céu brilham...
Eu sou a lua que a noite ilumina...
Eu sou o escuro da lua nova...
Eu sou frio da noite de inverno...
Encontra-te comigo e vem conhecer o paraíso...
No compasso desta música vem ouvir o nosso coração...
E sem medo vem conhecer o desconhecido.
Eu sou a luz do alegre amanhecer...
Eu quero ser o sol das tuas manhas...
Quero ser aquela pessoa em que pensas todos os dias...
Vem comigo encarar o desconhecido...
Vem comigo e vamos começar a viver...
Vem comigo e dança comigo debaixo da chuva...
Eu sou o outono no qual as folhas dançam no ar...
Eu sou a lágrimas que do rosto caíram...
Sou também a paz, a felicidade e o sonhar...
Vem comigo e vamos gritar...
E na noite vamos enlouquecer...
Vem e vamos até de manhã na rua dançar...
Eu sou o sorriso tímido e escondido...
Sou a criança que nunca quer crescer...
Eu sou a música, a poesia que corre na minha vida...
Vou saltar bem alto e tocar o céu...
Vou abraçar-te e vamos beijar-nos...
A vida é pra ser vivida neste instante...
Eu sou o homem trabalhador e sonhador...
Eu sou a esperança, o sonho de hoje...
Eu sou o amanhã eu quero ser o agora...

sábado, 22 de setembro de 2012

Fénix...



Tinha saudade de a vida sentir...
De o sangue nas veias ferver...
Torna-se mesmo difícil de exprimir...
Tudo o que está a acontecer...
É como de um pesadelo acordar...
De todo o mal me poder soltar...
Sentir a alegria de poder viver...
Tão grande e difícil de conter...
Sinto o que há muito não sentia...
Vejo em mim o que há muito não via...
Observo no espelho alguém que conheço...
Será que é tarde para um novo começo?
Sinto de novo que posso amar...
Sendo feliz e sem te magoar...
Das cinzas me estou agora a erguer...
Para um novo presente poder escrever...
Para onde vou não posso adivinhar...
Mas sei que é contigo que quero estar... 


sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Amar...



Amar é o verbo mais difícil de conjugar...
Pois eu amo, tu amas, nós amamos...
Mesmo que esse amar possa significar...
Que apesar de amar juntos não ficamos...
Então vive-se um amor chamado imortal...
Onde mesmo longe te quero ver ser feliz...
Quando fico e me sinto imensamente mal...
Por a felicidade contigo não poder partilhar...
Sei que amar rima com respeitar e confiar...
E que amar nunca será o outro magoar...
Vivemos num mundo longe de ser perfeito...
E em que amar é muito mais que mero conceito...

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Despertar...




Ontem caminhei nos vales do tempo...
Calcorreando estradas de um passado...
Suspirando os desejos do meu destino...
Vagueando o espaço outrora subjugado...
Empunhei as armas da irracionalidade...
E a ti massacrei com tanta maldade...
Como foi possível tamanha cegueira...
Os olhos tapados por óculos de madeira...
Ontem caminhei nos vales do tempo...
Abri o meu peito à luz intensa e pura...
Deixei sair a dor e procurei a tua cura...
Tantas palavras em outras vezes repetidas...
Desta vez abertas com a chave do coração...
Ditas com emoção e plenamente sentidas...
Emanando a luz pura e cristalina da paixão...
Tudo o que quero neste momento é despertar...
Estar junto a ti e das tuas feridas tratar...
Abro-te o meu coração para que possas entrar...
Sei que pode ser muito difícil mas podes acreditar...
Calcorreei estradas do meu passado...
De todo o mal que fiz quero ser afastado...
Suspiro os meus desejos nas vozes do destino...
Fico a observar a delicadeza de singelo bailarino...
Vagueio num espaço que outrora era subjugado...
Mas onde agora por ti quero apenas ser encontrado!...

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Lágrima...




Foi fora do simples papel…
Que um dia comecei a colocar…
Os desabafos do meu coração...
Com eles procurei uma pintura desenhar…

Procurando as palavras ir escondendo…
Elas que os meus sentimentos denunciavam…
Mostrando as minhas profundas vontades…
Uma lágrima rolou dos meus olhos…
Foi cair sobre a palavra amor...
Nesse momento eu percebi…
Os meus olhos choram por amor...
Lágrimas que nascem no meu coração…
Brotam como uma nascente que a alma aprova…
Pois sente que essas lágrimas fortalecem…
Durante muito tempo procurei segurar…

As lágrimas que do rosto queriam cair…
Como que pedindo ao tempo que parasse…
E para junto de ti me transportasse…
O amor não pode fazer chorar…
Por ser o sentimento mais forte…
Só deve fazer mesmo sonhar…
Fazer as emoções girar até perder o norte…
Por vezes escrevo com uma grande marca…
A marca de um amor que se quer expressar…
Mesmo quando seja uma lágrima que o esteja a vincar!...

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Emoções...




Quantas emoções eu já vivi…
Quantas emoções eu já senti…
Por vezes paro e fico a pensar…
Quantas mais irei experimentar…
Vou vivendo, errando e aprendendo…
Na vida caminhos vou desbravando…
Os sonhos intensos vou sentindo…
E sensações vou redescobrindo…
Tantas vezes que sou forte e guerreiro…
Sentindo capaz de conquistar o mundo inteiro…
Outras vezes sou fraco e na noite choro de tristeza…
Mas enxugo os olhos e abraço os sonhos com firmeza…
A porta da vida trás de novo sensações…
Que no coração tantas vezes refletem emoções…
Na vida enfrento as contradições…
Por um lado eu sou tudo…
Por outro lado sou nada…
Uns dias sou a felicidade…
Outros mergulho na amarga tristeza…
Tenho o meu lado claro, alegre e optimista…
Na vida apenas do amar intensamente sigo a pista…
Tenho o meu lado obscuro e desolador…
Que me cansa, desespera e trás muita dor…
Tempos houve que a escuridão imperou…
Mas agora apenas a luz do dia ficou…
Cada dia abro os olhos e sorrio de felicidade…
Mesmo que no peito sinta a imensa saudade…
Sorrio feliz porque sinto a luz em mim brilhar…
Tenho a saudade de ao meu lado te ter para amar!...

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Vazio...




Entre o vazio que rodeia as estrofes…
Criado pela ausência do teu rimar…
No lajedo de pedra do meu silêncio…
Procuro onde possa enfim escrever…
Rabisco as palavras que me restam…
Aquelas com que te quero tocar…
E que falta de ar não me deixou pronunciar…
Vinco a folha pela dobra do verso…
Marcando a viragem de uma página…
Ao trespassar um desfiladeiro de vogais…
Terminando uma longa travessia do deserto…
No leito frémito onde ecoam e ressoam…
Os gritos que não consigo enfim soltarem…
Os pássaros feridos do meu tormento…
Dão voz à dor que sinto no meu peito…
Como quem borda um rio sem margens…
Não conhecendo ou tendo qualquer limite…
No frio enrugado da pele cercada e desgastada…
Sacudo as amarras de tudo o que me condena…
Ultrapassando por fim este trilho de escuridão…
A escassa luz ilumina um coro de consoantes…
Sigo então o sangue pisado pelas metáforas…
Sem adjectivos para fugir ao naufrágio…
Procuro um porto onde possa ter abrigo…
No grito obscuro que serpenteia…
Entre o vazio que cerca as estrofes…

domingo, 16 de setembro de 2012

Dança Comigo...





Vem e dança comigo...
Encosta o teu corpo ao meu...
Sente o quanto ele te deseja...
O quanto vibra a tocar no teu...
Vem e dança comigo...
Olha-me nos olhos enquanto o fazemos...
Vê neles o quanto eu te quero...
O quanto eu te desejo...
Vem e dança comigo...
Ouve o som da nossa dança...
Pois é música por nós tocada...
Ao ritmo do nosso coração...
Vem e dança comigo...
Cheira o aroma dos nossos corpos...
Transpirados de tanto movimento...
Aquecido pelas ondas da paixão...
Vem e dança comigo...
Saboreia o doce sal que vem de nós...
Saciando a sede de estarmos juntos...
Alimentando a nossa fome de prazer...
Vem e dança comigo...
E transformemos o leito macio...
Em ampla pista de dança...
Num bailado só para nós composto!...

sábado, 15 de setembro de 2012

Viver...



Viver...
A porta do conhecer...
Experiência do sonhar...
O horizonte do saber...
A viagem para amar...

Deixamos para trás o impossível...
Lutamos por um dia melhor amanhã...
Acreditamos que o sonhar é possível...
Que depois da noite surge a manhã...
Não viramos as costas ao lutar...
Se na vida queremos ascender...
Longe queremos e vamos alcançar...
Abrindo as portas do conhecer...

As montanhas conseguimos mover...
Quando mais longe queremos chegar...
Nas estrelas o caminho vamos ler...
Nos sonhos partimos para navegar...
Não há pedra que barre o caminho...
Se a viagem queremos terminar...
Não a quero completar sozinho...
Pois já sei o que é contigo sonhar...

Na vida não irei sempre acertar...
Muitas vezes poderei mesmo cair...
Mas sei reconhecer o meu errar...
E o chão frio não gosto de sentir...
Não sou no amor nenhum letrado...
Em tudo na vida gosto de aprender...
Não sou de ficar sentado e parado...
Experiência a vida me deu a saber...

Da vida pensei por vezes em desistir...
Quando o desanimo de mim se apoderou...
Para longe largar tudo e enfim partir...
Ainda bem que nunca se concretizou...
No dia a dia da vida aprendi a sobreviver...
Tantas vezes enquanto observei o luar...
Na esperança de no seu brilho te poder ver...
E contigo viajar abraçando este amar...

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Sinto-me bem...



Hoje sinto-me muito bem...
Com a cabeça arrumada...
Quase não sinto a falta de nada...
Hoje sinto-me muito bem...
Com uma alegria dentro do peito...
Apesar do coração estar desfeito...
Hoje sinto-me muito bem...
Com esta imensa saudade...
Sei que ela é parte da felicidade...
Hoje sinto-me muito bem...
Mas queria-te aqui a meu lado...
Sentir-me no teu abraço embalado...
Hoje sinto-me muito bem...
Com a vida a começar a correr...
Sentindo a imensa alegria de viver...
Hoje sinto-me muito bem...
O que preciso mais que isso?!...
Sentir-me sempre assim é compromisso!...

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Mar...



Quem por mim quiser procurar...
Encontrar-me não será difícil...
Apenas tem de no pais encontrar...
O local que a fotografia mostra...
Onde saboreio o sol e o mar...
Sentindo o calor do imenso areal...
Hoje peguei na toalha e fui experimentar...
O mar quente e salgado da Salema...
Mar imenso e de enorme poderio...
Ao mesmo tempo calmo e sereno...
Ondulante balançando os meus sonhos...
Neste mar esqueci este triste Portugal...
Banhei a minha pele no seu sal...
Mar poderoso, azul e delicado...
A ti observo nesta toalha deitado...
A quem me quiser encontrar...
Terei todo o gosto em vos receber...
Desde que no mapa consigam saber...
O local onde encontrar este mar!...

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Sereno...



Somo mais uma dia à minha conta pessoal...
Electrizante sentir-me de novo a viver...
Rejeitando para longe todo aquele mal...
Espírito sereno desde o cedo amanhecer...
Nas palavras viajo e nelas agora descanso...
Onde na paisagem não se vê pinheiro manso...
Repousa o meu ser nesta paz e serenidade...
Conseguindo saborear toda a tranquilidade...
Somo mais um dia na linha da minha vida...
Sinto-me feliz e isso para mim basta...
Olhar no espelho e poder livremente sorrir...
Aproveitar para embarcar nesta viagem...
Deixar de lado esta vida já em si gasta...
Dá-me uma alegria difícil de exprimir...
Por isso tento passar nesta breve mensagem...
Tudo aquilo que esta serenidade me faz sentir...
A felicidade de a vida viver, saborear e curtir!...

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Acordar...



Guio o meu olhar para o novo dia...
Invisto na luz que me desperta...
Subo as escadas do horizonte...
Nesta hora em que é para acordar...
Num misto de tristeza e muita alegria...
Aprendo que a vida agora deserta...
Tem tudo para que seja diferente...
Tem tudo para novamente sonhar...
Acordo os meus sentidos adormecidos...
Os sentimentos para serem vividos...
É tempo do corpo acordar para viver...
Os novos mundos partir para conhecer...
Tempo de dar tempo ao próprio tempo...
Deixando os sonhos bem alto voar...
Pairar sobre as nuvens e o campo...
Mas sentindo sempre o corpo levitar...
Quero a felicidade nesta minha vida...
Amar sem ter peso nem qualquer medida...
Viver intensamente cada simples momento...
Desfrutando apenas do mais belo sentimento...
É mesmo tempo de para a vida acordar...
E no viver voltar a sentir o que é amar!...

sábado, 8 de setembro de 2012

Branco...



Em branco te encontrei naquele dia...
Como que esperando que no teu interior...
Eu me depositasse e em ti me entregasse...
Lá fora nem um único som se ouvia...
Na rádio entre músicas a voz do locutor...
Como que esperando que até ti chegasse...
Em branco não te quero agora deixar...
Por entre estas linhas procuro a ti chegar...
Viajo de letra em letra percorrendo este chão...
Alimentado pelo bater forte do meu coração...
Fecho os olhos para em ti pensar...
Leve como uma pena sinto meu corpo levitar...
De ti sinto uma imensidão de saudade...
Entre os teus braços encontrar a felicidade...
Em branco neste momento deixaste de estar...
Nesta hora de a viagem enfim terminar...
De ti irei guardar muitas imagens e memórias...
E ainda esquecer todas as outras histórias...
Do branco irei partir para o futuro começar...
Buscar novas linhas de vida para escrever...
Viver muitos momentos para sempre recordar...
Embora acima de tudo ao teu lado queira viver!...

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Descalço...



No teu profundo e belo poema...
Eu vi os sonhos e os versos de amor...
Adoptei frases tuas para serem meu lema...
Deixei de lado e esqueci toda a dor...
Eu vi pensamentos e história de encantar...
Nas linhas entreabertas do teu escrever...
Nelas consegui sonhas, mais ainda... acreditar...
Que no teu poema eu saberia viver...
Percorro este areal num passo descalço...
Sinto o teu poema os meus pés banhar...
Sem colocar em causa cada meu passo...
Eu vi o sincero acreditar no teu olhar...
No teu poema eu vi o meu mundo girar...
Nas suas palavras adorei viajar...
Abruptamente o teu poema terminou...
Terá sido porque a tinta acabou?!...

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Aqui estou...



Aqui estou bem fundo nestes buracos...
Vergado pelo orgulho e erros do passado...
Olho para o que resta da minha vida...
Aqui estou juntando todos os pequenos cacos...
De tantas lutas travadas fiquei cansado...
Hoje agarro a vida que quero vivida...
Aqui estou querendo sair desta trincheira...
Onde durante demasiado tempo fui escondido...
Quero a luz, o sol, o calor, o amor e a alegria...
Aqui estou saindo desta vida de lixeira...
Dos vícios e malefícios estou fugindo...
Deixando a tristeza e agarrando o novo dia...
Aqui estou e não me volto a esconder...
Tudo o que quero na vida é mesmo viver...
Não sou mais refém do meu triste passado...
Pois para mim ele está mesmo terminado!...