sábado, 8 de setembro de 2012

Branco...



Em branco te encontrei naquele dia...
Como que esperando que no teu interior...
Eu me depositasse e em ti me entregasse...
Lá fora nem um único som se ouvia...
Na rádio entre músicas a voz do locutor...
Como que esperando que até ti chegasse...
Em branco não te quero agora deixar...
Por entre estas linhas procuro a ti chegar...
Viajo de letra em letra percorrendo este chão...
Alimentado pelo bater forte do meu coração...
Fecho os olhos para em ti pensar...
Leve como uma pena sinto meu corpo levitar...
De ti sinto uma imensidão de saudade...
Entre os teus braços encontrar a felicidade...
Em branco neste momento deixaste de estar...
Nesta hora de a viagem enfim terminar...
De ti irei guardar muitas imagens e memórias...
E ainda esquecer todas as outras histórias...
Do branco irei partir para o futuro começar...
Buscar novas linhas de vida para escrever...
Viver muitos momentos para sempre recordar...
Embora acima de tudo ao teu lado queira viver!...

Sem comentários: