terça-feira, 23 de outubro de 2012

Pesadelo...



Corto esta amarra do pensamento...
Agarro a ponta por um breve momento...
Não sentindo o mesmo sentimento...
Libertei impedindo o agravar do tormento...
Corto esta amarra da memória...
Solto a ponta dessa velha história...
Libertando tantos momentos de glória...
Onde assino de plena e intensa autoria...
Corto esta amarra da louca paixão...
Respeitando a vontade do coração...
Esquecendo de vez a compaixão...
Para que não acabe num caixão!...
Corto esta amarra de muita alegria...
Agarro a ponta desta vida de fantasia...
Mas canso-me da incerteza da lotaria...
E por isso liberto essa ponta com mestria...
Corto esta amarra do pesadelo...
Como quem corta a ponta do seu cabelo...
Liberto assim a ponta deste novelo...
Sem que para tal precise de um cutelo...

Sem comentários: