quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Coisas I




Ser feliz não é ter uma vida isenta
Sem sentir a dor de perdas e frustrações
É ser alegre, mesmo se ainda vier a chorar
É sorrir mesmo que por dentro sintas as lágrimas cair
É viver intensamente, estejas onde estiveres
Sabendo que nada ficou por provar e viver
É nunca deixar de sonhar, mesmo quando se tem pesadelos
Acreditar que os sonhos são os guias da nossa vida
As portas à espera de serem transpostas
É dialogar consigo mesmo, nunca perder a lucidez
Mesmo que se fique sozinho uma e outra vez
É sempre ser jovem, mesmo que os cabelos fiquem brancos
É ter histórias para contar sobre sucessos e desventuras
É transformar erros em lições de vida
Aprender a levantar cada vez que cair
Ser feliz é sentir o sabor da água
Sentir a frescura de uma brisa a tocar o rosto
É sentir o cheiro da terra molhada
É viver as grandes emoções trazidas pelas pequenas coisas
É rir das próprias tolices e brincadeiras
É não desistir de quem se ama, mesmo se houver decepções
É ter amigos para pedir consolo e dividir alegrias
É saber que ser feliz está dentro de nós e não nos outros
Aceitar a nossa felicidade e vivê-la apaixonadamente
E perceber o quanto é fácil e simples ser feliz...

Coisas I




Ser feliz não é ter uma vida isenta
Sem sentir a dor de perdas e frustrações
É ser alegre, mesmo se ainda vier a chorar
É sorrir mesmo que por dentro sintas as lágrimas cair
É viver intensamente, estejas onde estiveres
Sabendo que nada ficou por provar e viver
É nunca deixar de sonhar, mesmo quando se tem pesadelos
Acreditar que os sonhos são os guias da nossa vida
As portas à espera de serem transpostas
É dialogar consigo mesmo, nunca perder a lucidez
Mesmo que se fique sozinho uma e outra vez
É sempre ser jovem, mesmo que os cabelos fiquem brancos
É ter histórias para contar sobre sucessos e desventuras
É transformar erros em lições de vida
Aprender a levantar cada vez que cair
Ser feliz é sentir o sabor da água
Sentir a frescura de uma brisa a tocar o rosto
É sentir o cheiro da terra molhada
É viver as grandes emoções trazidas pelas pequenas coisas
É rir das próprias tolices e brincadeiras
É não desistir de quem se ama, mesmo se houver decepções
É ter amigos para pedir consolo e dividir alegrias
É saber que ser feliz está dentro de nós e não nos outros
Aceitar a nossa felicidade e vivê-la apaixonadamente
E perceber o quanto é fácil e simples ser feliz...

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Sentado...




Durante muito tempo estive sentado no passado
Com palavras que não podia esquecer
Com certezas que em tempos tive
Com as memórias do meu coração!
Sentado no passado
Cansei-me de procurar motivos
De ser perseguido por sombras discretas
Hoje sento-me no presente
Olho as estrelas no alto céu
Vivo livre das memórias
E liberto de todas as histórias
Sentado no presente 
Procuro a doçura e presença do olhar
Construindo palavras novas
Agrupando-as em textos diferentes
Cansei-me de sentar
E de esperar sentado
Cansei-me de pensar
Em tudo o que já era passado
Preciso sim de te abraçar!
Sentir-me no teu olhar
Absorver o teu perfume na minha pele
Ter-te junto a mim e ao meu lado
Sentir os meus olhos brilharem
A minha esperança e sorriso crescerem
E de forma natural o coração acelerar

Sentado...




Durante muito tempo estive sentado no passado
Com palavras que não podia esquecer
Com certezas que em tempos tive
Com as memórias do meu coração!
Sentado no passado
Cansei-me de procurar motivos
De ser perseguido por sombras discretas
Hoje sento-me no presente
Olho as estrelas no alto céu
Vivo livre das memórias
E liberto de todas as histórias
Sentado no presente 
Procuro a doçura e presença do olhar
Construindo palavras novas
Agrupando-as em textos diferentes
Cansei-me de sentar
E de esperar sentado
Cansei-me de pensar
Em tudo o que já era passado
Preciso sim de te abraçar!
Sentir-me no teu olhar
Absorver o teu perfume na minha pele
Ter-te junto a mim e ao meu lado
Sentir os meus olhos brilharem
A minha esperança e sorriso crescerem
E de forma natural o coração acelerar

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Diferente...



Quando os teus olhos me tocaram
Indescritível aquilo que neles vi
Os ponteiros do relógio pararam
Dei conta de ti em mim a entrar
Um turbilhão de sentimentos senti
Capazes de me fazer despertar

Sou um rapaz honrado
Que gosta de sorrir
Quer muito ser amado
E a vida voltar a sentir

Quando os teus olhos me tocaram
Não sei se tiveste o mesmo sentir
Todos os lugares se esvaziaram 
E o mundo completo ficou só nosso
Olhei em redor e dei por mim a sorrir
Ao mesmo tempo disse: eu posso!

Escrevo aqui sentado
Bem perto do mar
Ajuda a estar concentrado
E o tempo a passar

Quando os teus olhos me tocaram
Neles quis de imediato mergulhar
Ao mesmo tempo que se afastaram
Para depois de novo se reunirem
Quero as tuas mãos poder tocar
Não deixar os teus olhos partirem


Diferente...



Quando os teus olhos me tocaram
Indescritível aquilo que neles vi
Os ponteiros do relógio pararam
Dei conta de ti em mim a entrar
Um turbilhão de sentimentos senti
Capazes de me fazer despertar

Sou um rapaz honrado
Que gosta de sorrir
Quer muito ser amado
E a vida voltar a sentir

Quando os teus olhos me tocaram
Não sei se tiveste o mesmo sentir
Todos os lugares se esvaziaram 
E o mundo completo ficou só nosso
Olhei em redor e dei por mim a sorrir
Ao mesmo tempo disse: eu posso!

Escrevo aqui sentado
Bem perto do mar
Ajuda a estar concentrado
E o tempo a passar

Quando os teus olhos me tocaram
Neles quis de imediato mergulhar
Ao mesmo tempo que se afastaram
Para depois de novo se reunirem
Quero as tuas mãos poder tocar
Não deixar os teus olhos partirem


quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Brilhar...



O sol há-de sempre brilhar
A chuva vai continuar a cair
O amigo não te irá abandonar
O rio para o mar vai correr
A estrada a viagem irá seguir
A alegria vou continuar a viver

Quando minha esperança vacilar
Quero me unir àquela perfeita luz
Que todas as noites no céu a brilhar
Me encanta na escuridão e me seduz

Um amigo um verdadeiro tesouro
Um abraço um gesto puro e natural
Um olhar mais precioso que o ouro
Na riqueza da vida quero te encontrar
Banhar-me no teu corpo e no teu sal
Em ti me perder e por fim brilhar

Brilhar...



O sol há-de sempre brilhar
A chuva vai continuar a cair
O amigo não te irá abandonar
O rio para o mar vai correr
A estrada a viagem irá seguir
A alegria vou continuar a viver

Quando minha esperança vacilar
Quero me unir àquela perfeita luz
Que todas as noites no céu a brilhar
Me encanta na escuridão e me seduz

Um amigo um verdadeiro tesouro
Um abraço um gesto puro e natural
Um olhar mais precioso que o ouro
Na riqueza da vida quero te encontrar
Banhar-me no teu corpo e no teu sal
Em ti me perder e por fim brilhar

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Partiste...



Decidiste enfim partir
Sem adeus foste embora
Não quiseste me ouvir
Sem palavra te fechaste
Talvez já fosse mesmo hora
Terminar o que começaste

Não tive o último adeus
Pensei que iria chorar
Estão secos os olhos meus
O que posso eu fazer?!
Erguer os olhos e sonhar
Recuperar todo o meu viver

Solto agora a tua mão
Vendo-te para longe voar
Tempo de ouvir o coração
Forte, intenso no seu bater
Disponível para poder amar
E na vida voltar a me erguer

Não lamento a saudade
Tudo foi vivido intensamente
Tanto a alegria e a felicidade
Como a dor e o sofrimento
De novo serei transparente
Saboreando o prazer do momento.

Partiste...



Decidiste enfim partir
Sem adeus foste embora
Não quiseste me ouvir
Sem palavra te fechaste
Talvez já fosse mesmo hora
Terminar o que começaste

Não tive o último adeus
Pensei que iria chorar
Estão secos os olhos meus
O que posso eu fazer?!
Erguer os olhos e sonhar
Recuperar todo o meu viver

Solto agora a tua mão
Vendo-te para longe voar
Tempo de ouvir o coração
Forte, intenso no seu bater
Disponível para poder amar
E na vida voltar a me erguer

Não lamento a saudade
Tudo foi vivido intensamente
Tanto a alegria e a felicidade
Como a dor e o sofrimento
De novo serei transparente
Saboreando o prazer do momento.

sábado, 17 de novembro de 2012

Olhar...




Senti o teu imenso olhar
Invadindo meu íntegro ser
Aos poucos a conquistar
O direito a não te esquecer!

Quando o teu olhar me procura
Sinto a minha alma conquistar
Desce no silêncio a noite escura
Meu corpo de ti não quer partir
Nele sonho por fim mergulhar
Ir mais fundo no teu pleno sentir

Invades sem receio o meu ser
Nele reconheces integridade
Inda que possas não o conhecer
Nada temes para te afastar
Avanças em caminhos de verdade
E o meu coração vais conquistar

Na tua conquista vais avançando
Qual será o teu objectivo final
Mesmo que o tempo vá passando
Nada em ti me querer recuar
Sem que és livre de qualquer mal
E em paz enfim quero repousar

Se um dia te puder enfim conhecer
À minha vida trouxeste outra cor
Sei que jamais te irei esquecer
Quero o dia certo para agarrar
Sem receios, reservas ou pudor
O livre direito de te poder amar

Se um dia eu fosse o teu olhar
Como tu conquistaste o meu
Tudo o que posso agora desejar
É não ter que te ver de mim partir
Sabes que o meu coração é teu
Sem que o tivesses que pedir

Olhar...




Senti o teu imenso olhar
Invadindo meu íntegro ser
Aos poucos a conquistar
O direito a não te esquecer!

Quando o teu olhar me procura
Sinto a minha alma conquistar
Desce no silêncio a noite escura
Meu corpo de ti não quer partir
Nele sonho por fim mergulhar
Ir mais fundo no teu pleno sentir

Invades sem receio o meu ser
Nele reconheces integridade
Inda que possas não o conhecer
Nada temes para te afastar
Avanças em caminhos de verdade
E o meu coração vais conquistar

Na tua conquista vais avançando
Qual será o teu objectivo final
Mesmo que o tempo vá passando
Nada em ti me querer recuar
Sem que és livre de qualquer mal
E em paz enfim quero repousar

Se um dia te puder enfim conhecer
À minha vida trouxeste outra cor
Sei que jamais te irei esquecer
Quero o dia certo para agarrar
Sem receios, reservas ou pudor
O livre direito de te poder amar

Se um dia eu fosse o teu olhar
Como tu conquistaste o meu
Tudo o que posso agora desejar
É não ter que te ver de mim partir
Sabes que o meu coração é teu
Sem que o tivesses que pedir

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Renascer...




Obrigado!

Por mais esta oportunidade
De renascer para nova vida
Abraçar de novo a felicidade
Recuperar a esperança perdida

Tenho pressa do teu perdão
Quero dar alegrias à nova vida
Ouvir muito mais o meu coração
Dar voz à esperança esquecida

Modificar, renascer o meu jeito de ser
Agradecer ao sol que aquece a terra
Esperar ansioso o novo alvorecer
Visualizando a luz por trás da serra

Tomar banho na chuva perfumada
Beijar a água cristalina a brilhar
Nas pétalas da roseira aveludada
Deitar na relva fresquinha e sonhar

Renascer...




Obrigado!

Por mais esta oportunidade
De renascer para nova vida
Abraçar de novo a felicidade
Recuperar a esperança perdida

Tenho pressa do teu perdão
Quero dar alegrias à nova vida
Ouvir muito mais o meu coração
Dar voz à esperança esquecida

Modificar, renascer o meu jeito de ser
Agradecer ao sol que aquece a terra
Esperar ansioso o novo alvorecer
Visualizando a luz por trás da serra

Tomar banho na chuva perfumada
Beijar a água cristalina a brilhar
Nas pétalas da roseira aveludada
Deitar na relva fresquinha e sonhar

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Mistério...



Tanto do meu ser viveu incerto
Que vivi o ardor tremendo de frio
Refugiei-me na gruta do mistério
Querendo o mundo todo por perto

E tudo quanto sinto, um desacerto
Da alma um fogo sai, arde sem se ver
Agora espero, agora quero viver
O teu corpo num abraço, num aperto

Estando em terra, o céu quero tocar
Numa hora quero todo o momento
Que num segundo não posso encontrar

Se junto a mim alguém vier perguntar
Respondo que não sei, mas suspeito
Que seja porque vos vi, por vos amar

Mistério...



Tanto do meu ser viveu incerto
Que vivi o ardor tremendo de frio
Refugiei-me na gruta do mistério
Querendo o mundo todo por perto

E tudo quanto sinto, um desacerto
Da alma um fogo sai, arde sem se ver
Agora espero, agora quero viver
O teu corpo num abraço, num aperto

Estando em terra, o céu quero tocar
Numa hora quero todo o momento
Que num segundo não posso encontrar

Se junto a mim alguém vier perguntar
Respondo que não sei, mas suspeito
Que seja porque vos vi, por vos amar

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Sol...



Por mim o sol passou
Na linha do horizonte
Por fim o dia terminou
Neste banco sentado
O mar frente a frente
Pensamento elaborado.

Da luz para a escuridão
Da direita para a esquerda
O desejo na minha mão
Deste momento registar
A alegria poderosa sentida
Tinha a bateria que acabar.

Toca a música no ouvido
Embalando o meu coração
Pelo mar o areal é comido
Num momento de tranquilidade
Em que sinto os pés no chão
E de ti sinto imensa saudade.

Agora paro neste momento
Interiorizo as tuas palavras
Sinto todo o seu sentimento
Sei que tens muita razão
E que é nelas que te mostras
Apenas posso pedir perdão.

Posso até não o merecer
Mas tenho que o pedir
Que mais poderei fazer
Se não te deixar pensar
Ouvindo no coração o sentir
De te querer de novo abraçar.

Sol...



Por mim o sol passou
Na linha do horizonte
Por fim o dia terminou
Neste banco sentado
O mar frente a frente
Pensamento elaborado.

Da luz para a escuridão
Da direita para a esquerda
O desejo na minha mão
Deste momento registar
A alegria poderosa sentida
Tinha a bateria que acabar.

Toca a música no ouvido
Embalando o meu coração
Pelo mar o areal é comido
Num momento de tranquilidade
Em que sinto os pés no chão
E de ti sinto imensa saudade.

Agora paro neste momento
Interiorizo as tuas palavras
Sinto todo o seu sentimento
Sei que tens muita razão
E que é nelas que te mostras
Apenas posso pedir perdão.

Posso até não o merecer
Mas tenho que o pedir
Que mais poderei fazer
Se não te deixar pensar
Ouvindo no coração o sentir
De te querer de novo abraçar.

domingo, 11 de novembro de 2012

Sonhos...



Sonho na vida encontrado
Pura e intensamente vivido
Na noite foi alcançado
Uma meta muito desejada
Um objetivo enfim atingido
Sombra finalmente apagada.

Que lindo finalmente sonhar
Fechar os olhos e adormecer
Não querer na noite acordar
Querer continuar a sorrir
Depois de a manhã chamar
E de casa por fim partir.

Sonho na alegria conquistado
Mesmo após muito sofrer
Livre das feridas já curado
Enfim sinto o meu coração
No meu peito forte a bater
Tenho o mundo na minha mão.

Sonho no olhar espelhado
Num brilho puro e cristalino
Na alma um dia adormecido
Sonho que dou a conhecer
Não ao som de um violino
Mas neste simples escrever.

Sonho como todos o fazem
Quero os sonhos colecionar
E que todos hoje se realizem
Sem medos de um passado
Do qual me quero distanciar
Num passo bem apressado.

Sonho com amor e felicidade
Quero com os amigos partilhar
Dar luz e brilho à nossa amizade
Sonho com amor e muita paixão
E intensamente contigo vivenciar
Cada batida forte do meu coração.

Sonhos...



Sonho na vida encontrado
Pura e intensamente vivido
Na noite foi alcançado
Uma meta muito desejada
Um objetivo enfim atingido
Sombra finalmente apagada.

Que lindo finalmente sonhar
Fechar os olhos e adormecer
Não querer na noite acordar
Querer continuar a sorrir
Depois de a manhã chamar
E de casa por fim partir.

Sonho na alegria conquistado
Mesmo após muito sofrer
Livre das feridas já curado
Enfim sinto o meu coração
No meu peito forte a bater
Tenho o mundo na minha mão.

Sonho no olhar espelhado
Num brilho puro e cristalino
Na alma um dia adormecido
Sonho que dou a conhecer
Não ao som de um violino
Mas neste simples escrever.

Sonho como todos o fazem
Quero os sonhos colecionar
E que todos hoje se realizem
Sem medos de um passado
Do qual me quero distanciar
Num passo bem apressado.

Sonho com amor e felicidade
Quero com os amigos partilhar
Dar luz e brilho à nossa amizade
Sonho com amor e muita paixão
E intensamente contigo vivenciar
Cada batida forte do meu coração.

sábado, 10 de novembro de 2012

Destino...



Se um dia enfim voasse
Nos céus de Arganil
Sem que o medo tocasse
A alegria de poder sonhar
Num dia alegre de Abril
Em que o sol toca o mar

Que luz esta do destino
Que um dia me fez viajar
Por território quase argelino
Onde o céu toca o mar
Leve como um bailarino
Que se ergue no alto ar

Se um pobre trabalhador
Quisesse o dia a dia viver
Deixaria de ser sonhador
E as trouxas iria reunir
Para que um dia qualquer
Se fizesse à estrada e partir

Que luz esta do destino
Que um dia me fez viajar
Por território quase argelino
Onde o céu toca o mar
Leve como um bailarino
Que se ergue no alto ar

Se o mar trás a saudade
Da memória marinheiro
Num mar de felicidade
Do mais profundo amar
Entre todos o primeiro
A bem alto fazer voar


Destino...



Se um dia enfim voasse
Nos céus de Arganil
Sem que o medo tocasse
A alegria de poder sonhar
Num dia alegre de Abril
Em que o sol toca o mar

Que luz esta do destino
Que um dia me fez viajar
Por território quase argelino
Onde o céu toca o mar
Leve como um bailarino
Que se ergue no alto ar

Se um pobre trabalhador
Quisesse o dia a dia viver
Deixaria de ser sonhador
E as trouxas iria reunir
Para que um dia qualquer
Se fizesse à estrada e partir

Que luz esta do destino
Que um dia me fez viajar
Por território quase argelino
Onde o céu toca o mar
Leve como um bailarino
Que se ergue no alto ar

Se o mar trás a saudade
Da memória marinheiro
Num mar de felicidade
Do mais profundo amar
Entre todos o primeiro
A bem alto fazer voar


quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Sombras...




Na sombra do teu olhar,
o meu ser vou esconder.
Capaz de no alto voar,
e de as asas estender.

O sol na tarde quente a brilhar
Um corpo que projeta a luz
Adormecido nas ondas do mar
O astro rei que no alto me seduz.
Sinto o desejo em mim a crescer
Nestas palavras me vou banhar
Solto as rédeas do meu escrever
Na sombra intensa do teu olhar.

Quero caminho que me faça fugir
De tudo o que não me deixa ver
O que me impede de poder sentir
Nova paixão desde o amanhecer.
Sigo o rumo das portas que abrir
Em direção aos sonhos alcançar
Capaz de por vezes poder cair
Mas mais forte me irei levantar.

Sombras...




Na sombra do teu olhar,
o meu ser vou esconder.
Capaz de no alto voar,
e de as asas estender.

O sol na tarde quente a brilhar
Um corpo que projeta a luz
Adormecido nas ondas do mar
O astro rei que no alto me seduz.
Sinto o desejo em mim a crescer
Nestas palavras me vou banhar
Solto as rédeas do meu escrever
Na sombra intensa do teu olhar.

Quero caminho que me faça fugir
De tudo o que não me deixa ver
O que me impede de poder sentir
Nova paixão desde o amanhecer.
Sigo o rumo das portas que abrir
Em direção aos sonhos alcançar
Capaz de por vezes poder cair
Mas mais forte me irei levantar.

Impossível...



Impossível pensar sequer em fechar-te, tu nasceste de um sonho, nasceste de uma partilha, és e sempre serás o meu refúgio, a minha cidade, o meu espelho de alma!
Não voltarei a deixar-te na escuridão, desculpa-me por isso! tu és a minha porta para um lugar melhor!
Somos um do outro e assim ficaremos para sempre... até que a morte nos separe!

Impossível...



Impossível pensar sequer em fechar-te, tu nasceste de um sonho, nasceste de uma partilha, és e sempre serás o meu refúgio, a minha cidade, o meu espelho de alma!
Não voltarei a deixar-te na escuridão, desculpa-me por isso! tu és a minha porta para um lugar melhor!
Somos um do outro e assim ficaremos para sempre... até que a morte nos separe!