segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Vazio...



Hoje sinto-me assim vazio
Querendo transbordar de pensamentos
Enfeitiçado pela luz daqueles momentos
Refém de um lugar distante e sombrio
 
Hoje sinto-me de novo perdido
Sem destino sou como aquele rio
Insensível ao calor ou mesmo ao frio
Vagueando sem destino definido
 
Hoje sinto mais a tua ausência
Abate-se sobre mim esta tristeza
De quem sofre com a distância
 
Sem ti sinto de novo aquela fraqueza
Que me faz cair de novo no vazio
Onde não há brilho da tua beleza
 
Hoje sinto-me assim vazio
Nesta longa viagem a descarrilar
Sem saber por onde irei caminhar
Desprovido de todo e qualquer brio
 
Hoje sinto-me de novo escondido
Por entre as palavras do meu diário
Querendo ser de novo o emissário
Do coração triste e muito ofendido
 
Hoje quero de volta o doce sorriso
Para os meus dias e noites alegrar
Na viagem para o perfeito paraíso
 
Não sei se ele irá até mim chegar
Desejo-o de todo o meu coração
Por isso irei continuamente sonhar!

quarta-feira, 24 de julho de 2013

Conheço-te...



Conheço-te...
Como? De onde?...
Nunca nos havíamos encontrado...
Ou será que juntos já havíamos sonhado...
Estou contigo...
Sinto a tua pele...
Ouço o bater do teu coração...
Bebo o teu aroma perfumado...
E por fico fico enamorado...
Não sei o teu nome...
Sou um desconhecido...
Conheço-te?...
Mas como e de onde?!...
Sorris e dizes que me conheces...
Como e de onde?!...
Nunca os nossos caminhos se cruzaram...
Apenas as nossas linhas se tocaram...
Como te posso conhecer assim...
Será que tudo isto é um sonho?!...
Mas eu sou real e tu és real...
Não estamos a sonhar...
Vivemos juntos sem nenhum mal...
Em ti me quero e vou encontrar...
Conheço-te...
Como mais ninguém conheci...
Tu conheces-me e eu me entrego a ti!...

quinta-feira, 4 de julho de 2013

Diz-me...



Diz-me...
O que quiseres...
Aquilo que não estavas a pensar...
Tudo o que queres viver...
Diz-me...
O que sentes na tua pele...
O que te toca o coração...
O que te desperta a paixão...
Diz-me...
Que me adoras...
Que me desejas...
Que me amas...
Diz-me...
Tudo o que quiseres...
Sempre de forma transparente...
Mostrando-me a tua tatuagem...
Diz-me tudo...
Mesmo aquilo que já sei...
Diz-me...
Nunca deixes nada por dizer...

Diz-me...



Diz-me...
O que quiseres...
Aquilo que não estavas a pensar...
Tudo o que queres viver...
Diz-me...
O que sentes na tua pele...
O que te toca o coração...
O que te desperta a paixão...
Diz-me...
Que me adoras...
Que me desejas...
Que me amas...
Diz-me...
Tudo o que quiseres...
Sempre de forma transparente...
Mostrando-me a tua tatuagem...
Diz-me tudo...
Mesmo aquilo que já sei...
Diz-me...
Nunca deixes nada por dizer...

segunda-feira, 1 de julho de 2013

Cúmplice e cumplicidade



Cúmplice ou mera cumplicidade
Importante mistério a desvendar
O precioso sabor de viver e sonhar
Poesia ilustrada na nossa cidade
Cúmplice de ti perante a verdade
Cumplicidade por ti partilhada
A nossa história bem contada
Em cada linha da nossa cidade
Cúmplice de ti, tatuado na pele
Cumplicidade na entrega total
Deixa que ao mundo eu revele
Que tu na minha vida és essencial
Cúmplice de ti, simplesmente eu
Cumplicidade sentida com saudade
És o céu e o mar unicamente meu
Eu, teu cúmplice, a tua cumplicidade

Cúmplice e cumplicidade



Cúmplice ou mera cumplicidade
Importante mistério a desvendar
O precioso sabor de viver e sonhar
Poesia ilustrada na nossa cidade
Cúmplice de ti perante a verdade
Cumplicidade por ti partilhada
A nossa história bem contada
Em cada linha da nossa cidade
Cúmplice de ti, tatuado na pele
Cumplicidade na entrega total
Deixa que ao mundo eu revele
Que tu na minha vida és essencial
Cúmplice de ti, simplesmente eu
Cumplicidade sentida com saudade
És o céu e o mar unicamente meu
Eu, teu cúmplice, a tua cumplicidade

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Sinto-me bem...



Hoje sinto-me muito bem...
Com a cabeça arrumada...
Quase não sinto a falta de nada...
Hoje sinto-me muito bem...
Com uma alegria dentro do peito...
Apesar do coração estar desfeito...
Hoje sinto-me muito bem...
Com esta imensa saudade...
Sei que ela é parte da felicidade...
Hoje sinto-me muito bem...
Mas queria-te aqui a meu lado...
Sentir-me no teu abraço embalado...
Hoje sinto-me muito bem...
Com a vida a começar a correr...
Sentindo a imensa alegria de viver...
Hoje sinto-me muito bem...
O que preciso mais que isso?!...
Sentir-me sempre assim é compromisso!...

Sinto-me bem...



Hoje sinto-me muito bem...
Com a cabeça arrumada...
Quase não sinto a falta de nada...
Hoje sinto-me muito bem...
Com uma alegria dentro do peito...
Apesar do coração estar desfeito...
Hoje sinto-me muito bem...
Com esta imensa saudade...
Sei que ela é parte da felicidade...
Hoje sinto-me muito bem...
Mas queria-te aqui a meu lado...
Sentir-me no teu abraço embalado...
Hoje sinto-me muito bem...
Com a vida a começar a correr...
Sentindo a imensa alegria de viver...
Hoje sinto-me muito bem...
O que preciso mais que isso?!...
Sentir-me sempre assim é compromisso!...

domingo, 9 de junho de 2013

Viver...



Viver é entrar em cena a cada momento...
É não ter medo de enfrentar a memória...
Não negar sentir qualquer sentimento...
Fazê-lo protagonista da nossa própria história...
É dirigir e unir o sentido da nossa emoção...
É viver cada dia como uma nova vitória...
Abraçar o bater do nosso coração...
Viver é não deixar fugir nada da mão...
Aceitar que nada acontece por acaso...
Sentir a vida em cada palmo de chão...
Sem pressas ou medo de qualquer atraso...
Viver é estar em sintonia comigo...
É trazer a beleza de dentro para fora...
Acreditar que o sonho não começa contigo...
Ele começa a cada instante, pode ser agora...
Viver é acreditar que o sonho comanda a vida...
Nunca desistir e encarar o horizonte sorrindo...
É fazer do fim sempre um ponto de partida...
Sentir que a vida está agora apenas começando...

Viver...



Viver é entrar em cena a cada momento...
É não ter medo de enfrentar a memória...
Não negar sentir qualquer sentimento...
Fazê-lo protagonista da nossa própria história...
É dirigir e unir o sentido da nossa emoção...
É viver cada dia como uma nova vitória...
Abraçar o bater do nosso coração...
Viver é não deixar fugir nada da mão...
Aceitar que nada acontece por acaso...
Sentir a vida em cada palmo de chão...
Sem pressas ou medo de qualquer atraso...
Viver é estar em sintonia comigo...
É trazer a beleza de dentro para fora...
Acreditar que o sonho não começa contigo...
Ele começa a cada instante, pode ser agora...
Viver é acreditar que o sonho comanda a vida...
Nunca desistir e encarar o horizonte sorrindo...
É fazer do fim sempre um ponto de partida...
Sentir que a vida está agora apenas começando...

quinta-feira, 6 de junho de 2013

Subtilezas...



Desde o seu início até ao seu fim
Construímos uma grande viagem
Numa porta o não, noutra o sim
Cintilando aquando da passagem
À medida que nos vamos libertando
Nós próprios vamos reconhecer
Como peregrinos vamos viajando
Sem amarras que nos possam prender
Podíamos ser qualquer outra pessoa
Ou poderíamos ser desconhecidos
Donos deste pensamento que voa
Repletos de sonhos muito merecidos
Nas meias palavras vamos viajar
Sem que o destino seja conhecido
Apenas levamos para nos orientar
A felicidade e o desejo prometido
As subtilezas são o meu refúgio
Onde gosto de me reencontrar
Poderosas como um forte rio
Que no mar quer ir desaguar
Surpresas boas são possibilidade
Muitas vezes difíceis de entender
Irei seguir com muita naturalidade
O que o meu coração tiver a dizer

Subtilezas...



Desde o seu início até ao seu fim
Construímos uma grande viagem
Numa porta o não, noutra o sim
Cintilando aquando da passagem
À medida que nos vamos libertando
Nós próprios vamos reconhecer
Como peregrinos vamos viajando
Sem amarras que nos possam prender
Podíamos ser qualquer outra pessoa
Ou poderíamos ser desconhecidos
Donos deste pensamento que voa
Repletos de sonhos muito merecidos
Nas meias palavras vamos viajar
Sem que o destino seja conhecido
Apenas levamos para nos orientar
A felicidade e o desejo prometido
As subtilezas são o meu refúgio
Onde gosto de me reencontrar
Poderosas como um forte rio
Que no mar quer ir desaguar
Surpresas boas são possibilidade
Muitas vezes difíceis de entender
Irei seguir com muita naturalidade
O que o meu coração tiver a dizer

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Aproveitar...



Há anos que podem parecer dias
Dias que se confundem com anos
Na história ficam todas a alegrias
Os medos e até alguns enganos
Há minutos que parecem ser horas
Segundos que são uma eternidade
Encerram em si verdadeiras loucuras
Histórias de muita e perfeita felicidade
Um truque podemos sempre usar
Para o tempo deixar de nos fugir
Basta apenas que consigas transformar
Cada segundo no teu imenso sentir

Aproveitar...



Há anos que podem parecer dias
Dias que se confundem com anos
Na história ficam todas a alegrias
Os medos e até alguns enganos
Há minutos que parecem ser horas
Segundos que são uma eternidade
Encerram em si verdadeiras loucuras
Histórias de muita e perfeita felicidade
Um truque podemos sempre usar
Para o tempo deixar de nos fugir
Basta apenas que consigas transformar
Cada segundo no teu imenso sentir

domingo, 2 de junho de 2013

Feiticeira do tempo...



Conta-me o teu feitiço
Que faz o tempo parar
O meu coração acelerar
E o pensamento atiradiço
Conta-me o teu segredo
Que me faz ter a saudade
De toda esta doce felicidade
Viajar sem sentir o medo
Conta-me toda a tua história
Faz de mim o teu presente
Juntos veremos o horizonte
Partilhando laços de alegria

Feiticeira do tempo...



Conta-me o teu feitiço
Que faz o tempo parar
O meu coração acelerar
E o pensamento atiradiço
Conta-me o teu segredo
Que me faz ter a saudade
De toda esta doce felicidade
Viajar sem sentir o medo
Conta-me toda a tua história
Faz de mim o teu presente
Juntos veremos o horizonte
Partilhando laços de alegria

quinta-feira, 30 de maio de 2013

Happy...



Sinto-me imensamente feliz
Parece saído de um conto
Adoro a forma como sorris
O teu charme e o teu encanto
Sinto-me um eterno viajante
Saindo do mais belo sonho
Coloco os olhos no horizonte
Ouço o meu coração risonho
Sinto-me confiante na vida
Tudo o que ela me oferece
Uma história para ser vivida
Numa felicidade que não esquece

Happy...



Sinto-me imensamente feliz
Parece saído de um conto
Adoro a forma como sorris
O teu charme e o teu encanto
Sinto-me um eterno viajante
Saindo do mais belo sonho
Coloco os olhos no horizonte
Ouço o meu coração risonho
Sinto-me confiante na vida
Tudo o que ela me oferece
Uma história para ser vivida
Numa felicidade que não esquece

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Recomeçar...



Na longa jornada de uma vida
Uma viagem temos a realizar
Cada etapa que foi conseguida
Nova meta a definir para alcançar
Por vezes é difícil caminhar
A vida planta muitos espinhos
Nem sempre é fácil acertar
É bom não estarmos sozinhos
Por vezes à que recomeçar
A viagem que foi interrompida
Uma porta finalmente fechar
Para que uma nova seja erguida
Na pele um misto de emoções
Do corpo de novo a viajar
Por entre as quatro estações
Antes do fim do dia chegar
Fecho os olhos para ter a certeza
Do teu rosto não encontrar
Desprovido dessa fraqueza
Estou pronto para avançar
No recomeçar da minha vida
Atento ao que ela me ensinou
Estou pronto para nova partida
Na viagem que agora começou

Recomeçar...



Na longa jornada de uma vida
Uma viagem temos a realizar
Cada etapa que foi conseguida
Nova meta a definir para alcançar
Por vezes é difícil caminhar
A vida planta muitos espinhos
Nem sempre é fácil acertar
É bom não estarmos sozinhos
Por vezes à que recomeçar
A viagem que foi interrompida
Uma porta finalmente fechar
Para que uma nova seja erguida
Na pele um misto de emoções
Do corpo de novo a viajar
Por entre as quatro estações
Antes do fim do dia chegar
Fecho os olhos para ter a certeza
Do teu rosto não encontrar
Desprovido dessa fraqueza
Estou pronto para avançar
No recomeçar da minha vida
Atento ao que ela me ensinou
Estou pronto para nova partida
Na viagem que agora começou

domingo, 19 de maio de 2013

Poeta...


Um poeta não sei eu ser
Apesar do desgosto do viver
A vida tem muito para me ensinar
Ergo os olhos e decido aproveitar
Porque poeta não sei eu ser
Não tenho arte para escrever
Falta-me o dom das palavras
Para fazer delas minhas aliadas
Poeta eu não posso ser
Preciso ainda de aprender
Na vida há princípio e fim
Ambos nunca precisaram de mim
Poeta poderei um dia ser
Parto para que possa vencer
Os medos de poder falhar
Nos braços do amor me lançar
Quando poeta vier um dia a ser
Um lição não devo esquecer
Para fugir de todo o triste fado
Encontrar quem queira ser amado

Poeta...


Um poeta não sei eu ser
Apesar do desgosto do viver
A vida tem muito para me ensinar
Ergo os olhos e decido aproveitar
Porque poeta não sei eu ser
Não tenho arte para escrever
Falta-me o dom das palavras
Para fazer delas minhas aliadas
Poeta eu não posso ser
Preciso ainda de aprender
Na vida há princípio e fim
Ambos nunca precisaram de mim
Poeta poderei um dia ser
Parto para que possa vencer
Os medos de poder falhar
Nos braços do amor me lançar
Quando poeta vier um dia a ser
Um lição não devo esquecer
Para fugir de todo o triste fado
Encontrar quem queira ser amado

quarta-feira, 8 de maio de 2013

Mistério...



Não há disfarce neste olhar
Revisto-me de bons sentimentos
O desejo intenso por revelar
Querendo a paixão dos momentos
Na porta a chave a telintar 
Lembrando-me dos esquecimentos
O mistério que impera e vai reinar

Mistério...



Não há disfarce neste olhar
Revisto-me de bons sentimentos
O desejo intenso por revelar
Querendo a paixão dos momentos
Na porta a chave a telintar 
Lembrando-me dos esquecimentos
O mistério que impera e vai reinar

terça-feira, 7 de maio de 2013

Quero-te...



Quero-te desde a manhã ao acordar
Ao pôr-do-sol ao fim do dia chegar
Quero o teu beijo intenso e molhado
Teu corpo repousando do mar salgado
Quero-te intensamente de corpo e alma
Entregando-te a mim na ardente chama
Quero-te no pleno do meu coração
Abraçando comigo a imensa paixão
Quero-te na universalidade do amor
Afastando para longe qualquer dissabor
Quero-te nos enigmas destes vocábulos
Encontrar os teus lábios e beijá-los.


Quero-te...



Quero-te desde a manhã ao acordar
Ao pôr-do-sol ao fim do dia chegar
Quero o teu beijo intenso e molhado
Teu corpo repousando do mar salgado
Quero-te intensamente de corpo e alma
Entregando-te a mim na ardente chama
Quero-te no pleno do meu coração
Abraçando comigo a imensa paixão
Quero-te na universalidade do amor
Afastando para longe qualquer dissabor
Quero-te nos enigmas destes vocábulos
Encontrar os teus lábios e beijá-los.


segunda-feira, 6 de maio de 2013

Sonhador...



Estou ainda estou a acordar
De um sonho que em pleno vivi
Para trás vou ter que deixar
Não explicando o que senti
Em frente ao espelho aqui estou
Querendo sair bem deste amor
Sem saber bem por onde vou
Querendo ser novamente sonhador
Foste o sonho que agora terminou
Eu fui o louco nesse grande amor
Custa acreditar que tudo acabou
Ficando este buraco e esta dor
Sinto esta chuva dentro de mim
Dos olhos não consigo chorar
Quero ouvir-te no meu jardim
Na esperança de te ver voltar
Sou sonhador sem os olhos fechar
Desta forma gosto de ser chamado
Colecciono sonhos antes de acordar
Pelos sonhos que vivo acordado


Sonhador...



Estou ainda estou a acordar
De um sonho que em pleno vivi
Para trás vou ter que deixar
Não explicando o que senti
Em frente ao espelho aqui estou
Querendo sair bem deste amor
Sem saber bem por onde vou
Querendo ser novamente sonhador
Foste o sonho que agora terminou
Eu fui o louco nesse grande amor
Custa acreditar que tudo acabou
Ficando este buraco e esta dor
Sinto esta chuva dentro de mim
Dos olhos não consigo chorar
Quero ouvir-te no meu jardim
Na esperança de te ver voltar
Sou sonhador sem os olhos fechar
Desta forma gosto de ser chamado
Colecciono sonhos antes de acordar
Pelos sonhos que vivo acordado


sábado, 4 de maio de 2013

Lugar especial...


No meu coração especial
Há um recanto sempre eterno
Onde não cabe nenhum mal
Que transporte para o inferno
Nele cabe a profunda saudade
Neste momento está mais vazio
Partiu contigo grande felicidade
Podia ter ficado mais sombrio
De batida ainda mais acelerada
Há que erguer alto o olhar
Ouvir o seu bater nesta balada
Fechar os olhos e voltar a sonhar
Neste meu coração especial
Há lugares nunca preenchidos
Momentos de tom celestial
Que jamais serão esquecidos

Lugar especial...


No meu coração especial
Há um recanto sempre eterno
Onde não cabe nenhum mal
Que transporte para o inferno
Nele cabe a profunda saudade
Neste momento está mais vazio
Partiu contigo grande felicidade
Podia ter ficado mais sombrio
De batida ainda mais acelerada
Há que erguer alto o olhar
Ouvir o seu bater nesta balada
Fechar os olhos e voltar a sonhar
Neste meu coração especial
Há lugares nunca preenchidos
Momentos de tom celestial
Que jamais serão esquecidos

quinta-feira, 2 de maio de 2013

Coração vazio...



Hoje uma lição de vida aprendi
Meu coração já não pode sangrar
De todas as letras que escrevi
Fizeram meu sangue nas veias secar
Escrevo hoje de coração vazio
Testando esta arte de escrever
Neste local encontro o refúgio
O tempo para de novo viver
Já não consigo mais lágrimas chorar
Apesar deste grande buraco no peito
Na vida não há lugar para lamentar
Nada ficou por dizer e tudo foi feito
Na linha do horizonte me concentro
No futuro está o resto da minha vida
Neste lugar onde sentado me encontro
Tenho o tempo de sarar esta ferida
Vazio está este meu delicado coração
Depois de sem aviso teres partido
Abraço cada momento de paixão
Nunca dando o tempo por perdido
Levas contigo a dor e a saudade
Deixando o meu coração vazio
Fica espaço para encher de felicidade
Jamais o quero sentir de novo sombrio
Abro as portas do meu coração
Para que o sol possa por ele entrar
Com ele traga a alegria e emoção
De novo a vontade de poder amar!

Coração vazio...



Hoje uma lição de vida aprendi
Meu coração já não pode sangrar
De todas as letras que escrevi
Fizeram meu sangue nas veias secar
Escrevo hoje de coração vazio
Testando esta arte de escrever
Neste local encontro o refúgio
O tempo para de novo viver
Já não consigo mais lágrimas chorar
Apesar deste grande buraco no peito
Na vida não há lugar para lamentar
Nada ficou por dizer e tudo foi feito
Na linha do horizonte me concentro
No futuro está o resto da minha vida
Neste lugar onde sentado me encontro
Tenho o tempo de sarar esta ferida
Vazio está este meu delicado coração
Depois de sem aviso teres partido
Abraço cada momento de paixão
Nunca dando o tempo por perdido
Levas contigo a dor e a saudade
Deixando o meu coração vazio
Fica espaço para encher de felicidade
Jamais o quero sentir de novo sombrio
Abro as portas do meu coração
Para que o sol possa por ele entrar
Com ele traga a alegria e emoção
De novo a vontade de poder amar!

sábado, 27 de abril de 2013

Contigo



Contigo o tempo parece parar
Controlado por cada suspiro teu
Um sopro capaz de descontrolar
O mais calmo do mar profundo
Contigo eu sinto-me viajar
Embalado no teu respirar
Calmo e sereno
Acelerado e descontrolado
Contigo eu gosto de acordar
Sentir o doce toque da tua pele
Beijar e sentir o seu sabor único
Absorver o calor que irradias
Contigo eu sou mais feliz
Os dias ganham muito mais sentido
Vivo nas nuvens a levitar
Do mundo dos sonhos não quero regressar!...

Contigo



Contigo o tempo parece parar
Controlado por cada suspiro teu
Um sopro capaz de descontrolar
O mais calmo do mar profundo
Contigo eu sinto-me viajar
Embalado no teu respirar
Calmo e sereno
Acelerado e descontrolado
Contigo eu gosto de acordar
Sentir o doce toque da tua pele
Beijar e sentir o seu sabor único
Absorver o calor que irradias
Contigo eu sou mais feliz
Os dias ganham muito mais sentido
Vivo nas nuvens a levitar
Do mundo dos sonhos não quero regressar!...

quinta-feira, 18 de abril de 2013

Sentei-me...



Sentei-me nesta rocha para observar o mar
Mesmo sem me aperceber dei por mim a pensar
Um dia fui como estas rochas soltas
Não deixando o mar o areal tocar
Só depois percebi que dessa forma
O amor jamais me iria banhar
Nesse momento descalcei os pés
Para a seguir o corpo desnudar
E rapidamente em teus braços me poder lançar
Vejo no mar o teu rosto
Nas tuas ondas me quero afogar
O doce salgado do teu beijo
Que mais e mais me faz desejar
Percorro esta praia de regresso para ti
Tenho hoje a certeza que por mim deste tudo
Para que voltasses a ter-me junto a ti
Nossas palavras são como a espuma do mar
Delicadas, meigas e atrevidas de uma maré calma de verão
Como são espinhosas e violentas num dia de mar do inverno
Eu sou teu como o areal é do mar
E sinto-te junto a mim como cada dia a chegar
Tu és minha como a espuma que me vem beijar
A cada passo que dou para junto a ti sempre estar... 

Sentei-me...



Sentei-me nesta rocha para observar o mar
Mesmo sem me aperceber dei por mim a pensar
Um dia fui como estas rochas soltas
Não deixando o mar o areal tocar
Só depois percebi que dessa forma
O amor jamais me iria banhar
Nesse momento descalcei os pés
Para a seguir o corpo desnudar
E rapidamente em teus braços me poder lançar
Vejo no mar o teu rosto
Nas tuas ondas me quero afogar
O doce salgado do teu beijo
Que mais e mais me faz desejar
Percorro esta praia de regresso para ti
Tenho hoje a certeza que por mim deste tudo
Para que voltasses a ter-me junto a ti
Nossas palavras são como a espuma do mar
Delicadas, meigas e atrevidas de uma maré calma de verão
Como são espinhosas e violentas num dia de mar do inverno
Eu sou teu como o areal é do mar
E sinto-te junto a mim como cada dia a chegar
Tu és minha como a espuma que me vem beijar
A cada passo que dou para junto a ti sempre estar... 

domingo, 14 de abril de 2013

Sentado...




Hoje aqui me vou sentar
Daqui a paisagem irei ver
Fechando os olhos e voar
Para nas palavras me inscrever

Tantas palavras sinto em mim crescer
Os meus dedos apressadamente a calcorrear
Na pressa de poderem longe chegar
À mente de quem as vai compreender
Em frente os pássaros estão a esvoaçar
Na liberdade e plenitude do seu sentir
Onde me encontro o mar não consigo ouvir
E por isso hoje aqui me vou sentar

Fecho os olhos pleno de esperança
Sinto meus pés no areal a viajar
A espuma do mar procura vir beijar
O meu olhar que no horizonte balança
Cada passo o festim digno de se viver
Trazidas pelos ventos desta maresia
A confiança, a entrega e a alegria
Até aqui onde a paisagem vou ver

Sei que nas palavras não tenho jeito
Das minhas emoções conseguir expressar
Por isso em sonhos te procuro ir visitar
E assim sentir-te viajar no meu peito
Eternamente contigo nos meus braços ficar
É tudo aquilo que mais quero sentir
Num sussurro leve no meu ouvido te ouvir
Fechando os olhos e continuando a voar

Este ar que me inunda e enche os plumões
À fonte do teu coração eu quero ir beber
Para que seja livre e pleno todo o meu ser
Entregue nas delícias de todas as emoções
Bom é fechar os olhos e o teu rosto ver
Nas tuas mãos o meu coração depositar
Assim no dia a dia em frente caminhar

E por entre as palavras me poder inscrever

Sentado...




Hoje aqui me vou sentar
Daqui a paisagem irei ver
Fechando os olhos e voar
Para nas palavras me inscrever

Tantas palavras sinto em mim crescer
Os meus dedos apressadamente a calcorrear
Na pressa de poderem longe chegar
À mente de quem as vai compreender
Em frente os pássaros estão a esvoaçar
Na liberdade e plenitude do seu sentir
Onde me encontro o mar não consigo ouvir
E por isso hoje aqui me vou sentar

Fecho os olhos pleno de esperança
Sinto meus pés no areal a viajar
A espuma do mar procura vir beijar
O meu olhar que no horizonte balança
Cada passo o festim digno de se viver
Trazidas pelos ventos desta maresia
A confiança, a entrega e a alegria
Até aqui onde a paisagem vou ver

Sei que nas palavras não tenho jeito
Das minhas emoções conseguir expressar
Por isso em sonhos te procuro ir visitar
E assim sentir-te viajar no meu peito
Eternamente contigo nos meus braços ficar
É tudo aquilo que mais quero sentir
Num sussurro leve no meu ouvido te ouvir
Fechando os olhos e continuando a voar

Este ar que me inunda e enche os plumões
À fonte do teu coração eu quero ir beber
Para que seja livre e pleno todo o meu ser
Entregue nas delícias de todas as emoções
Bom é fechar os olhos e o teu rosto ver
Nas tuas mãos o meu coração depositar
Assim no dia a dia em frente caminhar

E por entre as palavras me poder inscrever

domingo, 7 de abril de 2013

Ausência



Nesta ausência do escrever
Em muito deu para pensar
Nunca deixando de viver
Abrir o coração e sonhar

Da minha escrita houve saudade
Ela que jamais foi esquecida
Recompor a vida foi prioridade
Sentir que a vitória foi conseguida

Nestas linhas que vou escrevendo
Exponho de que massa sou feito
Ainda assim não fui esquecendo
Escrever é mais que um conceito

Não deixei de escrever por paixão
A escrever abro as portas da alma
Deixo que a voz venha do coração
Vivo cada dia para alimentar a chama

Regresso de novo à minha escrita
Não sei se irei ou não rimar
Em pleno nestes dourados trinta
Quero escrever, viver e amar!

Ausência



Nesta ausência do escrever
Em muito deu para pensar
Nunca deixando de viver
Abrir o coração e sonhar

Da minha escrita houve saudade
Ela que jamais foi esquecida
Recompor a vida foi prioridade
Sentir que a vitória foi conseguida

Nestas linhas que vou escrevendo
Exponho de que massa sou feito
Ainda assim não fui esquecendo
Escrever é mais que um conceito

Não deixei de escrever por paixão
A escrever abro as portas da alma
Deixo que a voz venha do coração
Vivo cada dia para alimentar a chama

Regresso de novo à minha escrita
Não sei se irei ou não rimar
Em pleno nestes dourados trinta
Quero escrever, viver e amar!

terça-feira, 19 de março de 2013

Escreve...



Crava em mim as tuas unhas...
Desenha as curvas do desejo...
Escreve em mim a tua paixão...
Cada linha seja a tua estrada...
Descobre os teus pontos de abrigo...
Escreve em mim a tua história...
Tatua-te na minha pele desnudada...
Inscreve-te em toda a minha essência...
Escreve em mim as tuas palavras...
Deixa-me ler-te em cada linha...
Conhecer-te a cada entrelinha...
Escreve em mim o teu ser...
Deposita-te na tua escrita...
Entrega-te no fruto do abraço...
Escreve-te em mim...
Inscreve-te na nossa essência!

Escreve...



Crava em mim as tuas unhas...
Desenha as curvas do desejo...
Escreve em mim a tua paixão...
Cada linha seja a tua estrada...
Descobre os teus pontos de abrigo...
Escreve em mim a tua história...
Tatua-te na minha pele desnudada...
Inscreve-te em toda a minha essência...
Escreve em mim as tuas palavras...
Deixa-me ler-te em cada linha...
Conhecer-te a cada entrelinha...
Escreve em mim o teu ser...
Deposita-te na tua escrita...
Entrega-te no fruto do abraço...
Escreve-te em mim...
Inscreve-te na nossa essência!

sexta-feira, 1 de março de 2013

Adoro-te...



A mais doce das doces lembranças
Na minha pele intensamente tatuada
De entre todas as outras presenças
De longe e de todas a mais notada
As palavras pouco podem dizer
Os silêncios reinam na memória
Nada que o tempo faça esquecer
Está presente em toda a história
Adoro-te... porquê eu não sei
Por tudo o que me fazes sentir
Esquecer toda a dor que aguentei
Abraçar o presente alegre e a sorrir
O mar não pode jamais apagar
O tempo já não tem qualquer poder
Será isto o que tantos dizem ser amar?
Não sei, mas é assim que quero viver!

Adoro-te...



A mais doce das doces lembranças
Na minha pele intensamente tatuada
De entre todas as outras presenças
De longe e de todas a mais notada
As palavras pouco podem dizer
Os silêncios reinam na memória
Nada que o tempo faça esquecer
Está presente em toda a história
Adoro-te... porquê eu não sei
Por tudo o que me fazes sentir
Esquecer toda a dor que aguentei
Abraçar o presente alegre e a sorrir
O mar não pode jamais apagar
O tempo já não tem qualquer poder
Será isto o que tantos dizem ser amar?
Não sei, mas é assim que quero viver!

domingo, 24 de fevereiro de 2013

(Des)Enlace...



Por entre os fios de uma vida
Tempo era de uma ponta puxar
A dor ser de vez esquecida
E no mar voltar a poder flutuar
Saborear a espuma salgada
Por entre o doce do teu beijar
Tu na minha pele estás tatuada
Sendo impossível de a apagar!
O enlace dos nossos caminhos
O desenlace dos sonhos perdidos
Dando lugar a novos sonhos
Momentos fantásticos sentidos.

(Des)Enlace...



Por entre os fios de uma vida
Tempo era de uma ponta puxar
A dor ser de vez esquecida
E no mar voltar a poder flutuar
Saborear a espuma salgada
Por entre o doce do teu beijar
Tu na minha pele estás tatuada
Sendo impossível de a apagar!
O enlace dos nossos caminhos
O desenlace dos sonhos perdidos
Dando lugar a novos sonhos
Momentos fantásticos sentidos.

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Pegadas...



Pegadas inscritas na areia
Visando a linha do horizonte
Conquistamos essa odisseia
De olhar bem fixo na frente
Do mar que banha nossos pés
A frescura do mar salgado
Lembrando do quem tu és
Esquecendo a dor do passado
Pegadas dos nossos pés marcadas
Lado a lado vamos caminhando
De corpos e de mãos dadas
Na linha do pensamento sonhando
Traçamos a linha na estrada
Marcamos a rota da viagem
De uma, surge a nova pegada
O horizonte deixa de ser miragem

Pegadas...



Pegadas inscritas na areia
Visando a linha do horizonte
Conquistamos essa odisseia
De olhar bem fixo na frente
Do mar que banha nossos pés
A frescura do mar salgado
Lembrando do quem tu és
Esquecendo a dor do passado
Pegadas dos nossos pés marcadas
Lado a lado vamos caminhando
De corpos e de mãos dadas
Na linha do pensamento sonhando
Traçamos a linha na estrada
Marcamos a rota da viagem
De uma, surge a nova pegada
O horizonte deixa de ser miragem

sábado, 26 de janeiro de 2013

Na palma da mão...



(In)esperadamente olhei para a minha mão
Nela vi o brilho da tua doce presença
Senti o acelerar do bater do meu coração
Reconhecendo o momento da sua nascença
Na palma da minha mão te sinto tatuada
Conquistando cada recanto da minha pele
A tua presença apenas por mim é notada
Faz em mim crescer o desejo que me impele
Cada linha me recorda o contorno do rosto
Que me dá alegria e faz ter vontade de sonhar
Trás-me à memória as viagens que tanto gosto
Num ritmo intenso de viver e intensamente amar


Na palma da mão...



(In)esperadamente olhei para a minha mão
Nela vi o brilho da tua doce presença
Senti o acelerar do bater do meu coração
Reconhecendo o momento da sua nascença
Na palma da minha mão te sinto tatuada
Conquistando cada recanto da minha pele
A tua presença apenas por mim é notada
Faz em mim crescer o desejo que me impele
Cada linha me recorda o contorno do rosto
Que me dá alegria e faz ter vontade de sonhar
Trás-me à memória as viagens que tanto gosto
Num ritmo intenso de viver e intensamente amar