sábado, 26 de janeiro de 2013

Na palma da mão...



(In)esperadamente olhei para a minha mão
Nela vi o brilho da tua doce presença
Senti o acelerar do bater do meu coração
Reconhecendo o momento da sua nascença
Na palma da minha mão te sinto tatuada
Conquistando cada recanto da minha pele
A tua presença apenas por mim é notada
Faz em mim crescer o desejo que me impele
Cada linha me recorda o contorno do rosto
Que me dá alegria e faz ter vontade de sonhar
Trás-me à memória as viagens que tanto gosto
Num ritmo intenso de viver e intensamente amar


Na palma da mão...



(In)esperadamente olhei para a minha mão
Nela vi o brilho da tua doce presença
Senti o acelerar do bater do meu coração
Reconhecendo o momento da sua nascença
Na palma da minha mão te sinto tatuada
Conquistando cada recanto da minha pele
A tua presença apenas por mim é notada
Faz em mim crescer o desejo que me impele
Cada linha me recorda o contorno do rosto
Que me dá alegria e faz ter vontade de sonhar
Trás-me à memória as viagens que tanto gosto
Num ritmo intenso de viver e intensamente amar


quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Saudade...




Sentimento profundo que magoa o coração
Conquista-me o desejo de te voltar a encontrar
Aperta-me o peito e muitas vezes faz até chorar
Alegra-me a tua presença, despertas a paixão
Une as pessoas não importa onde se encontrem
Todas elas recordam com saudade o momento
Derruba a distância com a força do pensamento
Irrompe sem dar qualquer aviso ou alarme
A doce lembrança de momentos vividos
A alegria de novamente te poder ver
Define-se como sendo próprio de quem ama
E a senti-la como própria de alguém que soube amar.

Saudade...




Sentimento profundo que magoa o coração
Conquista-me o desejo de te voltar a encontrar
Aperta-me o peito e muitas vezes faz até chorar
Alegra-me a tua presença, despertas a paixão
Une as pessoas não importa onde se encontrem
Todas elas recordam com saudade o momento
Derruba a distância com a força do pensamento
Irrompe sem dar qualquer aviso ou alarme
A doce lembrança de momentos vividos
A alegria de novamente te poder ver
Define-se como sendo próprio de quem ama
E a senti-la como própria de alguém que soube amar.

sábado, 19 de janeiro de 2013

Temporal...



O dia estava lindo com sol a brilhar
Sem qualquer  aviso começou a escurecer
A chuva começou a cair sem avisar
Mesmo muito antes da hora de anoitecer
No ar um aroma forte se levantou
Da terra que foi sendo regada
A poeira solta por fim se calou
Reinou a terra de água encharcada
No alto céu uma folha a voar
Pelo vento forte empurrada
Dificuldade em a acompanhar
Tem nela uma estrada gravada
Um mapa de um precioso tesouro
Muito fácil de se poder encontrar


Temporal...



O dia estava lindo com sol a brilhar
Sem qualquer  aviso começou a escurecer
A chuva começou a cair sem avisar
Mesmo muito antes da hora de anoitecer
No ar um aroma forte se levantou
Da terra que foi sendo regada
A poeira solta por fim se calou
Reinou a terra de água encharcada
No alto céu uma folha a voar
Pelo vento forte empurrada
Dificuldade em a acompanhar
Tem nela uma estrada gravada
Um mapa de um precioso tesouro
Muito fácil de se poder encontrar


domingo, 13 de janeiro de 2013

Tranquilidade...



Tranquilidade
Palavra dita numa simplicidade
Mas que no mesmo segundo
Me trouxe a profunda saudade
De viajar pelas estradas do mundo
Palavra que me faz voar
Mesmo que não possua asas
Ao ritmo do coração sonhar
E na paixão acender as brasas
Mexe comigo estar tranquilo
Sentir toda esta serenidade
Não pensar nisto nem naquilo
Apenas viver esta felicidade
Eu não me sentia assim ao tempo
Deixei o ontem me aprisionar
Fui ferido nesse contratempo
E com isso deixei de sonhar
Tudo mudou e eu renasci
Senti a serenidade que voltou
Do chão e do erro me ergui
E sinto a alegria do que sou
E sinto-me muito feliz e leve
Leve como uma pena ao vento
Sem os medos que outrora tive
Só preciso desfrutar cada momento
Tranquilamente.

Tranquilidade...



Tranquilidade
Palavra dita numa simplicidade
Mas que no mesmo segundo
Me trouxe a profunda saudade
De viajar pelas estradas do mundo
Palavra que me faz voar
Mesmo que não possua asas
Ao ritmo do coração sonhar
E na paixão acender as brasas
Mexe comigo estar tranquilo
Sentir toda esta serenidade
Não pensar nisto nem naquilo
Apenas viver esta felicidade
Eu não me sentia assim ao tempo
Deixei o ontem me aprisionar
Fui ferido nesse contratempo
E com isso deixei de sonhar
Tudo mudou e eu renasci
Senti a serenidade que voltou
Do chão e do erro me ergui
E sinto a alegria do que sou
E sinto-me muito feliz e leve
Leve como uma pena ao vento
Sem os medos que outrora tive
Só preciso desfrutar cada momento
Tranquilamente.

sábado, 12 de janeiro de 2013

Momento...




Ah! Se eu pudesse dissipar
As palavras numa gota de chuva
Pudesse o tempo enfim parar
Quando me fizeste sentir a tua luva
Os teus olhos os meus tocaram
No silêncio dum vendaval de vozes
Os nossos corpos se colaram
Ondulando frescos e velozes
O chão foi nosso, num intenso bailado
Ah! Pudesse eu imortalizar o momento
Em que o meu coração foi tocado
Num leve e poderoso pensamento
Tens em ti o fascínio e o imenso poder
Capaz de me fazer sonhar e voar
Meu coração bate forte apenas por te ver
Anseia o momento de te poder tocar!

Momento...




Ah! Se eu pudesse dissipar
As palavras numa gota de chuva
Pudesse o tempo enfim parar
Quando me fizeste sentir a tua luva
Os teus olhos os meus tocaram
No silêncio dum vendaval de vozes
Os nossos corpos se colaram
Ondulando frescos e velozes
O chão foi nosso, num intenso bailado
Ah! Pudesse eu imortalizar o momento
Em que o meu coração foi tocado
Num leve e poderoso pensamento
Tens em ti o fascínio e o imenso poder
Capaz de me fazer sonhar e voar
Meu coração bate forte apenas por te ver
Anseia o momento de te poder tocar!

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Entre linhas...




Por entre linhas me escrevo
Através dos dedos me liberto
Solto as últimas amarras
E toco de novo o seguro chão


Por entre as linhas naveguei
Sempre de olhos no horizonte
O mapa são os sonhos que sonhei
O caminho esta longe estrada
Que atravessa o mais alto monte
Sem nunca ficar presa ou cansada

Através dos dedos me liberto
Derramando-me nesta escrita
Sempre de peito bem aberto
Sem medos ou quaisquer receios
Dando forma a toda esta tinta
Não tendo que olhar a meios

Solto as últimas amarras
Deixando as asas ao vento
Abro as mãos expondo as garras
Com o presente bem agarrado
Avanço pleno de todo o alento
Bem devagar e com muito cuidado

Toco de novo o seguro chão
Querendo ao céu regressar
Sempre com muita paixão
Neste novo porto de abrigo
Quero abrir asas e poder voar
E bem alto te levar comigo

Entre linhas...




Por entre linhas me escrevo
Através dos dedos me liberto
Solto as últimas amarras
E toco de novo o seguro chão


Por entre as linhas naveguei
Sempre de olhos no horizonte
O mapa são os sonhos que sonhei
O caminho esta longe estrada
Que atravessa o mais alto monte
Sem nunca ficar presa ou cansada

Através dos dedos me liberto
Derramando-me nesta escrita
Sempre de peito bem aberto
Sem medos ou quaisquer receios
Dando forma a toda esta tinta
Não tendo que olhar a meios

Solto as últimas amarras
Deixando as asas ao vento
Abro as mãos expondo as garras
Com o presente bem agarrado
Avanço pleno de todo o alento
Bem devagar e com muito cuidado

Toco de novo o seguro chão
Querendo ao céu regressar
Sempre com muita paixão
Neste novo porto de abrigo
Quero abrir asas e poder voar
E bem alto te levar comigo

sábado, 5 de janeiro de 2013

Desconhecido...



Hoje mostro o meu lado mais feliz
O que brilha mais que a flor do lis
Tudo agora é muito mais risonho
Quase parece saído de um sonho

Abro os olhos e com eles o meu mundo
Ansiando o suspiro que dure um segundo
E nos teus braços enfim poder amar
Sem haver sombras para me enganar

Vem desvendar o meu profundo olhar
Simples, puro e muito transparente
Capaz de nos sonhos te fazer acreditar
E que se é feliz vivendo o doce presente

Quero apenas o que tens para me dar
O teu beijo do mais doce sabor
Aquele que me faz os pés levantar
E voltar a acreditar no amor.

Desconhecido...



Hoje mostro o meu lado mais feliz
O que brilha mais que a flor do lis
Tudo agora é muito mais risonho
Quase parece saído de um sonho

Abro os olhos e com eles o meu mundo
Ansiando o suspiro que dure um segundo
E nos teus braços enfim poder amar
Sem haver sombras para me enganar

Vem desvendar o meu profundo olhar
Simples, puro e muito transparente
Capaz de nos sonhos te fazer acreditar
E que se é feliz vivendo o doce presente

Quero apenas o que tens para me dar
O teu beijo do mais doce sabor
Aquele que me faz os pés levantar
E voltar a acreditar no amor.

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

O tempo...



O tempo voa e afasta-se
O dia não se detém e passa
De sorriso espalha alegria
No contágio do nosso dia

O barco outrora ancorado
Das amarras ficou libertado
Na vida sem nada a perder
Abro os braços para te acolher

E o mundo não desaba
Antes ganha cor e vida
Apesar do amor que acaba
Nova porta, nova saída

O tempo voa sem destino
Bate asas para bem longe
Sem ser preciso tocar o sino
Recupero o tempo que foge

O tempo...



O tempo voa e afasta-se
O dia não se detém e passa
De sorriso espalha alegria
No contágio do nosso dia

O barco outrora ancorado
Das amarras ficou libertado
Na vida sem nada a perder
Abro os braços para te acolher

E o mundo não desaba
Antes ganha cor e vida
Apesar do amor que acaba
Nova porta, nova saída

O tempo voa sem destino
Bate asas para bem longe
Sem ser preciso tocar o sino
Recupero o tempo que foge

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Recomeçar...




Noites longas, noites claras
Vagas e de pensamentos difusos
Fecho os olhos e não adormeço
Embarco nesta viagem
Por trajectos outrora visitados
De sorriso nos lábios vou
Sabendo das lembranças do passado
Sem medos ou receios de avançar
Espero até o sono me venha embalar
Noites longas, noites sonhadas
Intensas como o banho no mar salgado
Abro os olhos na hora de acordar
Abraço o novo dia repleto de energia
Mergulho nas horas com muita alegria
De sorriso nos lábios vou
Em passo lento mas bem marcado
Com o horizonte inscrito no olhar

Recomeçar...




Noites longas, noites claras
Vagas e de pensamentos difusos
Fecho os olhos e não adormeço
Embarco nesta viagem
Por trajectos outrora visitados
De sorriso nos lábios vou
Sabendo das lembranças do passado
Sem medos ou receios de avançar
Espero até o sono me venha embalar
Noites longas, noites sonhadas
Intensas como o banho no mar salgado
Abro os olhos na hora de acordar
Abraço o novo dia repleto de energia
Mergulho nas horas com muita alegria
De sorriso nos lábios vou
Em passo lento mas bem marcado
Com o horizonte inscrito no olhar