quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Entre linhas...




Por entre linhas me escrevo
Através dos dedos me liberto
Solto as últimas amarras
E toco de novo o seguro chão


Por entre as linhas naveguei
Sempre de olhos no horizonte
O mapa são os sonhos que sonhei
O caminho esta longe estrada
Que atravessa o mais alto monte
Sem nunca ficar presa ou cansada

Através dos dedos me liberto
Derramando-me nesta escrita
Sempre de peito bem aberto
Sem medos ou quaisquer receios
Dando forma a toda esta tinta
Não tendo que olhar a meios

Solto as últimas amarras
Deixando as asas ao vento
Abro as mãos expondo as garras
Com o presente bem agarrado
Avanço pleno de todo o alento
Bem devagar e com muito cuidado

Toco de novo o seguro chão
Querendo ao céu regressar
Sempre com muita paixão
Neste novo porto de abrigo
Quero abrir asas e poder voar
E bem alto te levar comigo

Sem comentários: