quinta-feira, 18 de abril de 2013

Sentei-me...



Sentei-me nesta rocha para observar o mar
Mesmo sem me aperceber dei por mim a pensar
Um dia fui como estas rochas soltas
Não deixando o mar o areal tocar
Só depois percebi que dessa forma
O amor jamais me iria banhar
Nesse momento descalcei os pés
Para a seguir o corpo desnudar
E rapidamente em teus braços me poder lançar
Vejo no mar o teu rosto
Nas tuas ondas me quero afogar
O doce salgado do teu beijo
Que mais e mais me faz desejar
Percorro esta praia de regresso para ti
Tenho hoje a certeza que por mim deste tudo
Para que voltasses a ter-me junto a ti
Nossas palavras são como a espuma do mar
Delicadas, meigas e atrevidas de uma maré calma de verão
Como são espinhosas e violentas num dia de mar do inverno
Eu sou teu como o areal é do mar
E sinto-te junto a mim como cada dia a chegar
Tu és minha como a espuma que me vem beijar
A cada passo que dou para junto a ti sempre estar... 

Sem comentários: