quinta-feira, 6 de junho de 2013

Subtilezas...



Desde o seu início até ao seu fim
Construímos uma grande viagem
Numa porta o não, noutra o sim
Cintilando aquando da passagem
À medida que nos vamos libertando
Nós próprios vamos reconhecer
Como peregrinos vamos viajando
Sem amarras que nos possam prender
Podíamos ser qualquer outra pessoa
Ou poderíamos ser desconhecidos
Donos deste pensamento que voa
Repletos de sonhos muito merecidos
Nas meias palavras vamos viajar
Sem que o destino seja conhecido
Apenas levamos para nos orientar
A felicidade e o desejo prometido
As subtilezas são o meu refúgio
Onde gosto de me reencontrar
Poderosas como um forte rio
Que no mar quer ir desaguar
Surpresas boas são possibilidade
Muitas vezes difíceis de entender
Irei seguir com muita naturalidade
O que o meu coração tiver a dizer

1 comentário:

Nome Lua disse...

Olá...
Um texto, que espelha bem a nossa realidade partilhada... poderia dizer muito mais ...mas o texto já tem tudo...

bjo

Ana