sábado, 12 de julho de 2014

A chave



Do coração da tempestade
Pensei mesmo em desistir
Perderia o sol da liberdade
Sem ele não podia existir.
Dos sonhos não abdicar
Agarra-los com convicção
Soltar as asas e poder voar
Ao ritmo do bater do coração.

Da tempestade veio a bonança
Depois de te ver enfim partir
Da solidão veio a esperança
De no abraço te poder sentir.
Não deixo de ser quem sou
Nem de o amor procurar
Sei que agora tudo acabou
Na paz irei dormir e acordar.

Sinto força no coração a bater
Ainda com feridas para curar
Tempo de lições enfim aprender
Para que não volte a magoar.
Da entrega e amor pleno
Jamais voltarei a prescindir
Só assim viajarei sereno
Hoje e nos dias que hão-de vir.

Sem comentários: