sexta-feira, 8 de julho de 2016

Roubaste-me...



Chegaste de modo pouco sério
Com o doce toque do desabrochar
Adensaste a nuvem do mistério
Entre o vislumbre de cada olhar!
Onde estás tu neste momento, agora
Que partiste sem ideia de voltar
Talvez porque esteja na hora
De enfim deixares de me roubar!
Das palavras me sinto desnudado
Para longe partiu a inspiração
Não sei se por estar magoado
Ou pelo vazio que tenho no coração!

Sem comentários: